Deputados na folia com salários extras

Documento oficial da assessoria da Câmara mostra que só 29 deputados abriram mão dos 14º e 15º salários
por Leandro Mazzini
Pelo menos 484 deputados federais – entre eles o presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN) e o vice, André Vargas (PT-PR) – caem na folia com bolso cheio. Além do salário de Dezembro e do 13º, eles receberam o 15º salário e em Março embolsam o 14º. Por três vezes, curiosamente, não houve quórum ano passado na comissão especial para votar projeto que extingue os extras e a tramitação travou. De Dezembro até mês que vem, a soma para cada um será de R$ 106.800 (brutos) — R$ 26.723 por mês. A Câmara retoma os trabalhos só dia 19.   
Os 29
Documento oficial da assessoria da Câmara mostra que só 29 deputados abriram mão dos 14º e 15º salários. Os nomes do presidente e vice não constam (lista no site).


Sei de nada
O vice-presidente André Vargas diz que recebeu os extras. “Não sabia da lista e nem fui procurado”, justifica. Tá bom… O presidente Henrique não foi encontrado.
Sem farra
Os 29 vão se reunir após o Carnaval para cobrar celeridade na tramitação do projeto que põe fim à farra. O relator, Afonso Florence (PT-BA), luta para isso.
Vale explicar
A Câmara paga o 15º todo Dezembro, para quem exerceu no mínimo três quartos das sessões. O 14º é pago 30 dias após o início do Ano Legislativo, ou seja, em Março.
Mozart, o retorno
Eminência parda de seguidos presidentes da Câmara por 28 anos, o ex-secretário-geral da Casa Mozart Vianna confirmou que volta ao posto após o Carnaval, convidado por Henrique Alves, que conhece há 30 anos. Deixou alto salário como consultor da TV Globo, e explica o retorno: “Tenho crença na instituição”.
Bateu saudade
Mozart diz que a escolha foi difícil, porque o ambiente na emissora era muito bom. Mas pesou a saudade da Casa do Povo e da relação com os parlamentares. O também competente Sérgio Sampaio, atual secretário, terá uma missão especial de Alves.
Epa, epa
A extinta Fundação Roquette Pinto, que foi incorporada pela Empresa Brasileira de Comunicação, depois de contrair dívidas de R$ 34 milhões, já tem sucessores. Um grupo assumiu o nome e tenta contratos na administração pública. O MP está de olho.
Salto digital
Cenário do poderoso The New York Times: o faturamento com anúncios para o impresso caiu 5,6% e com a internet subiu 5,1%.
Decolou
Os passageiros do voo 5431 da Azul, BH-Rio, tiveram um afago na noite de quinta (7) com o atraso da aeronave. O gerente regional apareceu na fila, explicou a situação, pediu compreensão e acompanhou todos até a porta do avião. Foi aplaudido.
Perigo real
Especialistas estão preocupados com as maquiagens no superávit primário do governo. Em especial após Guido Mantega anunciar que até as desonerações (R$ 20 bilhões) serão descontadas da meta. Veem ‘argentinalização’ da economia.
Karatê no Senado
Renan Calheiros conheceu um bom candidato a segurança contra os protestantes que às vezes passam pelo salão Azul do Senado. Bicampeão mundial de Karatê em competição militar, Damião Martins mostrou orgulhoso suas medalhas a ele na quarta à noite.
Cofre do algodão
Lavouras de algodão tiveram retração de 33% na área plantada. Governo não revê preço mínimo do produto há 10 anos. Como a crise europeia freou as exportações, o setor pediu socorro aos bancos para evitar colapso.
Alívio
Lembram o ex-reitor da UnB Timothy Mulholland, acusado de compras de luxo para o gabinete como a lixeira? Foi absolvido de todos os processos administrativos.
Olho vivo
Fica a dica para o cidadão em tempos de transparência online. Olho nos gastos da verba indenizatória dos senadores e deputados após o carnaval. É folia de notas estranhas.
Ponto Final
Só faltava essa. Impotente diante dos sequestradores, a polícia de Brasília vai dar uma dura em quem ficar de bobeira na rua.
Leandro Mazzini é escritor e jornalista
Com Vinícius Tavares, Marcos Seabra e Adelina Vasconcelos
www.colunaesplanada.com.br
contato@colunaesplanada.com.br
@colunaesplanada

Comentários