Educação positiva contribui para desenvolvimento saudável da criança



Luanda - A directora do Instituto Nacional da Criança (INAC), Ruth Mixinje, afirmou hoje, em Luanda, que a educação positiva é um complemento que visa contribuir na protecção e promoção dos direitos da criança, para a prevenção e combate da violência contra a mesma.
Segundo a responsável, que falava hoje, terça-feira, na abertura de uma palestra interactiva sobre a educação positiva, a acção oferece métodos práticos e alternativos no processo educativo, com vista a redução dos índices de violência contra a criança e estimular a autoconfiança das mesmas.


Ruth Mixinje frisou que “Educação positiva” é um projecto do INAC em parceria com a Associação de Jovens Angolanos para a Reintegração e Progresso (AJARP), baseado em 5 competências nomeadamente prestar atenção positiva, explorar os interesses, dar limites, castigar sem violência e ser persistente nas palavras e nos actos da criança.
Por outro lado, sublinhou que esta acção deve ser promovida de forma sistemática e a todos os níveis para que a criança seja estimulada intelectualmente, amada e protegida, para se tornar num adulto saudável e um recurso humano válido para o desenvolvimento equitativo da sociedade.
De acordo com a directora do INAC, parafraseando o Presidente da República, na sua mensagem de fim de ano, “é necessário continuar a proteger a família como o núcleo social onde se transmitem em primeiro lugar os valores éticos, culturais e morais mais importantes da sociedade".
"Que cada família se constitua num lugar de serenidade, de paz, de diálogo e de partilha de afectos aonde os jovens podem encontrar a confiança necessária para encarar o futuro com esperança e sentido de responsabilidade”, citou.
Este projecto visa a implementação da Convenção sobre os Direitos da Criança, tendo em consideração o postulado da Lei Constitucional, segundo o qual “As crianças constituem prioridade absoluta, na especial protecção que a família, o Estado e a sociedade devem primar para que se desenvolva integralmente”.

Comentários