Neymar chega a quinta expulsão da carreira mantendo sina de reclamar e fazer Santos sofrer

Neymar discute com o lateral Artur momentos antes deles serem expulsos de campo
Neymar discute com o lateral Artur momentos antes deles serem expulsos de campo


Na derrota do Santos por 3 a 1 para a Ponte Preta, Neymar foi expulso pela quinta vez em sua carreira. E, em todas elas, o astro santista deixou o campo se achando injustiçado pela arbitragem. Não foi diferente no réves do último domingo, quando o camisa 11 reclamou muito ao levar o cartão vermelho no fim do primeiro tempo do duelo, em Campinas.

 
Outra curiosidade envolvendo as expulsões de Neymar é que o Santos não costuma ter sucesso nas partidas em que o atacante vai mais cedo para o chuveiro. Contra a Ponte, o alvinegro perdeu o seu terceiro jogo nessas condições. Nos dias em que o craque tomou o vermelho, o time ainda empatou uma vez e venceu só um jogo, tendo assim um aproveitamento de apenas 26% dos pontos.
 
Diante da Ponte Preta, o craque santista foi expulso, pelo árbitro Luiz Flávio de Oliveira, após uma discussão com o lateral direito ponte-pretano Artur. Após disputa de bola, o ala deu um tapa no craque santista, que não gostou e usou os braços ao discutir com o ponte-pretano. O zagueiro Cleber chegou a empurrar Neymar durante a discussão, mas ele não foi punido.
 
"Nem eu sei o que aconteceu. Numa disputa de bola, eu acabei apanhando e fui expulso. Só estão errando no momento errado", reclamou Neymar. "Nem eu e nem o Artur tínhamos que ser expulso. O futebol está ficando chato demais. Para quem está jogando, quem está assistindo e quem está transmitindo", acrescentou ele.
 

Gols e lances - Ponte Preta x Santos - 8ª rodada - 4 vídeos

 
As outras expulsões de Neymar pelo Santos foram divididas em três temporadas. Na primeira delas, em 2010, aconteceu num clássico no qual o Santos perdeu por 4 a 3 para o Palmeiras, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Paulista. No fim da partida, o jovem deu uma entrada dura no volante Pierre e o árbitro Antônio Rogério do Prado o expulsou. Na súmula, o juiz inclusive relatou que Neymar o ofendeu após a jogada. Isso irritou ainda mais o jogador.
 
Em 2011, a estrela santista acumulou o seu maior número de expulsões em uma temporada. Foram duas: uma no Libertadores e outra no Campeonato Brasileiro. A da competição continental foi a mais polêmica. Neymar tomou o cartão vermelho após marcar um golaço no triunfo por 3 a 2 sobre o Colo-Colo, na Vila Belmiro. Ao comemorar o tento, contr os chilenos, o jogador usou uma máscara que reproduzia o seu rosto e recebeu o segundo cartão amarelo do árbitro uruguaio Roberto Silvera. O detalhe é que Neymar pegou o material com torcedores de um dos camarotes da Vila. Ele reclamou energicamente ao deixar o gramado.
 
A segunda expulsão de 2011 - e terceira da carreira - foi a que mais fez o melhor jogador em atividade no Brasil sofrer. Nos 2 a 1 do Atlético-MG sobre o Santos, no Brasileirão de dois anos atrás, em Sete Lagoas, Neymar bateu boca com o árbitro Wilton Sampaio e recebeu os cartões amarelo e vermelho numa tacada só. Muito irritado, o atleta cantou "parabéns" ao juiz e não conseguiu segurar o choro ao ter que abandonar o jogo.
 
O quarto vermelho de Neymar foi no empate por 1 a 1 com o Grêmio, no Brasileirão do ano passado, no Olímpico, em Porto Alegre. Após uma dividida de bola com o lateral direito Pará, o camisa 11 foi derrubado no gramado. E, ao levantar, ele acabou pisando no seu ex-companheiro de Santos. O árbitro Nielson Nogueira Dias, que estava a dois metros da jogada, parou o lance e mostrou diretamente o cartão vermelho ao santista, deixando ele muito nervoso.
 
Ampliar

Campeonato Paulista44 fotos

42 / 44
Jogadores do Palmeiras fazem aquecimento com bola nos vestiários do Pacaembu antes do clássico com o Corinthians Leia mais Cesar Greco/Ag Palmeiras
 
Técnico do Santos desde abril de 2011, Muricy Ramalho, que assumiu o time alguns dias depois da expulsão de Neymar contra o Colo-Colo, não condenou o árbitro Luiz Flávio de Oliveira por ter expulsado o craque contra a Ponte. Mas ele já pediu que o seu principal jogador pare de cair no jogo dos adversários. 
 
"Ele precisa se acostumar que o jogo é duro contra ele. Quando o cara coloca a mão nele, ele precisa sair de perto", afirmou Muricy. "Sem o Neymar, nós perdemos a nossa principal jogada, que é a velocidade dele. Ele ser expulso nos prejudica muito", completou o treinador.

Comentários