No Rio, polícia oferece R$ 1.000 de recompensa por pistas sobre supostos assassinos de segurança da Mangueira


Dedé, Quinho e André estão foragidos desde a morte de Alan Carlos Silvio
Divulgação Disque-Denúncia
Dede_Quinho_Andre_2302
Dedé, Quinho e André: suspeitos pela morte de Alan


O Disque-Denúncia oferece recompensa de R$ 1.000 por informações que levem à prisão de três suspeitos pelo assassinato de Alan Carlos da Silva Sílvio, ocorrido no último domingo (17), na Mangueira, zona norte do Rio.
A vítima trabalhava como segurança da quadra da escola de samba. O delegado Rivaldo Barbosa, da Divisão de Homicídios, afirmou que o inquérito está avançado e divulgou as fotos dos três suspeitos na noite de sexta-feira. Reinaldo Santos de Sena, conhecido como Dedé, de 28 anos, Marcus Vinicius da Silva Monteiro, o Quinho, de 33, e André Luiz Pereira da Silva, de 20, estão desaparecidos desde a noite do crime e são considerados foragidos. Os mandados de prisão preventiva já foram expedidos.


Informações sobre o paradeiro dos três homens devem ser repassadas ao telefone do Disque-Denúncia: (21) 2253-1177. Os investigadores apuram se a morte de Alan Sílvio teve ligação com outros dois assassinatos cometidos poucas horas antes, do ritmista da Mangueira Jefferson Fernandes de Oliveira e de Acir Ronaldo Monteiro da Silva, o 2K, que possuía ligação com o tráfico na comunidade.
A comunidade da Mangueira é pacificada, mas crimes relacionados ao tráfico de drogas continuam ocorrendo com frequência na região. Após a morte de 2K, aliás, criminosos ordenaram que o comércio fechasse as portas em protesto.
Cerca de 20 pessoas teriam sido expulsas da Mangueira por determinação de traficantes nas últimas semanas. Assista ao vídeo:


Comentários