Lagartas deixam nas plantas para próximas gerações

Editora Globo
Larva de mariposa que os cientistas
mostraram ser capaz de "ler" recados de gerações
 anteriores / Foto: Marcos Veiga | Alamy


Não são apenas os humanos que deixam lições para gerações futuras. Cientistas do Netherlands Institute of Ecology e da Universidade Wageningen, centros de pesquisa holandeses, descobriram que insetos podem fazer o mesmo. “Até aqueles que não vivem na mesma planta ou época podem interagir”, diz a pesquisadora Olga Kostenko, autora principal do estudo. O trabalho mostra que, dependendo do recado, o desenvolvimento das espécies pode mudar, para melhor ou para pior.
A “secretária eletrônica” dos insetos pesquisados, espécies de lagarta e de besouros, são plantas. Os cientistas acreditam que, quando os insetos se alimentam de um vegetal, eles alteram o solo e, consequentemente, até o “sabor” da geração seguinte de plantas. Quando outros insetos chegam ao local, alteram seu comportamento segundo a interpretação da mensagem. Na pesquisa, as lagartas conseguiam saber se aquele solo já tinha sido habitado por outras como elas. Neste caso, elas se multiplicavam ainda mais que a geração anterior. Mas se antes o local era frequentado por outro tipo de inseto, elas se multiplicavam menos.

"É uma nova perspectiva sobre a interação entre plantas e insetos. Agora sabemos que comunidades de insetos podem ser afetadas até pelo que aconteceu no passado”, diz a autora da pesquisa. A seguir, a ideia é investigar se o fenômeno só acontece com essa planta e por quanto tempo o recado pode ser passado de geração em geração na natureza.
http://revistagalileu.globo.com

Comentários