Polícia encontra ossada de mulher enterrada em Araruama


Ossos podem ser de vítima de quadrilha que atuava na Região dos Lagos.
Quadrilha comprava imóveis de idosos e depois matava proprietários.


A ossada de uma mulher foi encontrada ontem (27) em Araruama, Região dos Lagos do Rio de Janeiro. Segundo a Polícia Civil, a ossada pode ser de Aldeir da Silva Gomes, uma das vítimas de uma quadrilha que comprava imóveis de idosos e depois matava os proprietários. Os ossos foram encontrados em um terreno do bairro Praia do Hóspicio. Segundo investigações da polícia, Aldeir da Silva Gomes foi enterrada no local em 2010.


Esta semana, dois homens suspeitos de integrar a quadrilha foram presos. Um deles, Paulo Sérgio de Souza, levou nesta quarta-feira os policiais até o local onde a mulher teria sido enterrada e deu detalhes de como o crime teria acontecido. Segundo as investigações, Aldair Gomes desapareceu em 2010, no mesmo dia em que teria feito uma procuração de compra e venda de um imóvel em nome de Paulo Sérgio.
ossada de mulher é encontrada em araruama (Foto: Heitor Moreira/G1)
Delegado responsável, Eduardo Soares, diz que mais
gente pode estar envolvida.(Foto: Heitor Moreira/G1)
O delegado Eduardo Soares, da Delegacia Antissequestro do Rio de Janeiro, é o responsável pela operação na região. Eles continuam nas investigações, pois acreditam que mais gente participava da quadrilha.
``Com certeza tem mais gente envolvida. É muita coisa para duas pessoas só. A polícia vai contniuar investigando e nosso trabalho só vai parar quando todos estiverem presos.``, declarou o delegado.
O suspeito Paulo Sérgio de Souza nega participação nos assassinatos, mas confessou ter sido beneficiado com o esquema de compra e venda irregular de imóveis.
ossada de mulher é encontrada em araruama (Foto: Heitor Moreira/G1)
Paulo de Souza, preso suspeitosindidcou onde
senhora teria sido enterrada. (Foto: Heitor Moreira)
No local onde o corpo foi encontrado, moradores estavam assustados em saber que uma pessoa havia sido enterrada no terreno em 2010. Orlando da Silva, de 63 anos, mora em Araruama desde que nasceu. A casa dele fica bem perto de onde a ossada da mulher foi encontrada. Para Orlando o caso é inacreditável.
``É uma covardia. É muito difícil de acreditar que alguém possa fazer isso. Os policiais tiveram aqui e reviraram o terreno todo e acharam um monte de ossos. Eu moro aqui tem tempo e nunca vi esse tipo de coisa. Esse mundo tá ficando doido.``, disse o aposentado.
ossada de mulher é encontrada em araruama (Foto: Heitor Moreira/G1)
Morador ficou suspreso em saber que corpo foi
encontrado no bairro onde mora (Foto: Heitor Moreira)
A ossada foi encaminhada para o Instituto Médico Legal de Araruama. Familiares de Aldeir Gomes vão precisar fazer exames de DNA para comprovar se o corpo é realmente dela. A polícia confirmou que a ossada é de uma mulher, pois o cabelo longo da vítima ainda estava junto da ossada.
O outro homem preso suspeito de participar da quadrilha é Jonas Patrick. Ele não foi levado para Araruama porque não quis ajudar nas investigações.
Empresário foi encontrado enterrado nesta segunda (25)
Uma das vítimas da quadrilha foi o engenheiro Luís Lesuir Mendonça, de 68 anos. Segundo a polícia, a necessidade de pagar o tratamento para a mulher doente o obrigou a vender uma casa de praia no bairro da Pontinha, em Araruama.
De acordo com as investigações, para negociar o imóvel, Luís recebeu em casa Paulo Sérgio de Souza.Eles concordaram em fazer uma escritura de compra e venda da residência. Em seguida, Paulo entregou para a vítima um cheque sem fundos no valor de R$ 100 mil como primeira parcela do negócio.
Segundo a polícia, Luis desapareceu no dia 15 de março quando tentava apresentar o cheque ao banco. Os investigadores acreditam que Paulo Sérgio armou uma emboscada para o engenheiro ficar com o imóvel. De acordo com a polícia, Luis foi sequestrado, esfaqueado e enterrado ainda com vida.
A presidente do Tribunal de Justiça, Leila Mariano, investiga a conivência de outras pessoas com o esquema e vai pedir uma busca da Corregedoria nos cartórios da Região dos Lagos.

Comentários