Pular para o conteúdo principal

Experiência decisiva: Ramon relembra carreira e analisa momento na Cabofriense


Veterano disputará a final do primeiro turno da Série B do Cariocão contra o Bonsucesso, às 15h deste sábado, em Moça Bonita
POR RAFAEL ARANTES/O Dia
Cabo Frio - Aos 40 anos de idade, o meia Ramon está prestes a vivenciar mais uma decisão em sua carreira. Atualmente na Cabofriense, o atleta disputará, às 15h deste sábado, a final da Taça Santos Dumont, contra o Bonsucesso, em Moça Bonita. O título do torneio garante à equipe da Região dos Lagos uma vaga na finalíssima da Série B do Carioca, onde buscará por um lugar na elite do futebol estadual.

Em conversa com o ATAQUE, Ramon relembrou diversos momentos da carreira e comentou como está sendo a fase na nova casa, onde chegou em fevereiro deste ano. Sem realizar pré-temporada, o jogador afirmou ter passado por um início complicado, mas nada que atrapalhasse seu desenvolvimento no clube, o quarto a defender no Rio de Janeiro.

Ramon disputará final do primeiro turno da Série B pela Cabofriense | Foto: Divulgação
Ramon disputará final do primeiro turno da Série B pela Cabofriense | Foto: Léo Borges / Divulgação
ATAQUE: Como está sendo essa fase na Cabofriense?
Ramon: Estou me sentindo bem aqui. O início foi um pouco difícil pois não cheguei a fazer pré-temporada nem nada, mas já estou me encontrando bem com o grupo e podendo ajudar o time, que é o meu grande objetivo aqui.


Como vê a importância da sua experiência dentro do elenco da Cabofriense?
Isso sempre aconteceu comigo. Mais uma vez estou tendo essa oportunidade, que é umaresponsabilidade muito grande. Aqui na Cabofriense eu sabia que não ia ser diferente. É uma equipe que tem uma grande mescla de atletas, jovens e também veteranos. Mas o importante mesmo é todo mundo estar focado, trabalhando muito, estar um correndo pelo outro. Estar bem organizado faz uma equipe estar preparada para alcançar o objetivo maior.

Ansioso pela disputa da final da Série B do Carioca?
É um período decisivo. Estou vivendo essa ansiedade há três semanas já. Tivemos que ganhar do Angra para nos classificarmos, era uma obrigação e conseguimos. Depois, ganhamos também do América-Rj para chegar à final. Estamos trabalhando muito, totalmente focados, concentrados. Estamos conseguindo nos encontrar e organizar bem também dentro de campo, que é muito importante.

Especialista em cobrança de faltas, você sonha em balançar as redes na decisão?
Sem dúvida esta é uma marca registrada minha. Estou trabalhando muito neste sentido também. Quero ajudar poder ajudar na bola parada, é um fator que pode decidir um jogo, tanto em faltas, escanteios e até laterais. Venho treinando muito para que isso aconteça, para que eu possa ajudar. Sei que não é como eu treinava antes, mas ainda estou trabalhando para poder aproveitar caso a oportunidade apareça.

Foto: Divulgação / America-RJ
Ramon atuou na vitória sobre o América-Rj pela semifinal da Taça Santos Dumont | Foto: Divulgação
Como foram as passagens por Japão, Alemanhã e Catar?
Do exterior guardo o aprendizado. São culturas e costumes diferentes. Cresci muito como pessoa, como homem. Foram boas experiências.

Mesmo sendo mineiro, o Rio se tornou uma cidade especial?
Tenho um carinho muito grande pelo Rio. Estou numa nova fase da minha vida e à vontade. Me sinto super feliz com essa nova oportunidade. Cabo Frio é um lugar muito bacana, uma cidade que respira futebol e que tende a crescer muito junto ao esporte, além de ter uma condição de vida muito boa.

Qual momento que você guarda como o mais especial da carreira?
Não tem como negar que no Vasco conquistei os titulos mais importantes. Foram imensas vitórias, muita euforia e alegria no clube. Sempre lembro também das passagens pelo Vitória, Atlético-Mg, e até pelo Cruzeiro, clube onde eu comecei e que tenho um grande carinho. Mas me dediquei ao máximo e vesti a camisa de todas as equipes por onde passei, me orgulho de cada época.

Ramon fez história no Vasco | Foto: Arquivo
Era de conquistas! Ramon fez história jogando pelo Vasco | Foto: Arquivo
Já está pensando em aposentadoria?
Estou num processo de tansição, não nego isso. Tenho contrato com a Cabofriense até o fim deste ano e sei que daqui a um ano ou dois a hora pode estar chegando. Mas não gosto de projetar nada. Minha continuidade será no futebol. Fiz um curso de treinador e quero seguir dentro do esporte.

Existe algum sonho que ainda deseja em realizar nos gramados?
Sonhar todo mundo sonha... Com vitórias, com conquistas.. Quando você para de sonhar está deixando de querer viver, de querer ganhar. Sou muito satisfeito com tudo que já aconteceu na minha carreira e só tenho a agradecer. Sempre trabalho para fazer o melhor, para ser vitorioso. Este é e sempre foi o meu grande sonho..


Comentários