Bom dia! Confira agora os destaques dos jornais desta segunda-feira, 20 de maio. Em Cabo Frio, o presidente Toninho Corrêa convida para a inauguração, hoje, às 9 horas, da nova sede da COMSERCAF, em São Cristóvão.


Jornais nacionais
O Estado de S.Paulo
Virada Cultural mais violenta tem arrastões e duas mortes
O Globo
Enxurrada de dólares - Empresas brasileiras captam mais no exterior
Valor Econômico
Inflação faz novos estragos nos balanços das empresas
Correio Braziliense
GDF pretende convocar 6,4 mil concursados
Estado de Minas
Galo é bi
Zero Hora
Importar médicos é bom para a saúde?
Brasil Econômico
Competitividade é questão do país, não da indústria
*
Jornais internacionais
The New York Times (EUA)
Hackers chineses retomam ataques contra alvos americanos
The Guardian (Reino Unido)
Cameron negocia com trabalhistas para salvar lei sobre casamento gay
El País (Espanha)
Alemanha se aferra à austeridade com críticas ao BCE e à França
Clarín (Argentina)
Os negócios milionários de outro financiador dos Kirchner



O Globo

Manchete: Enxurrada de dólares - Empresas brasileiras captam mais no exterior
Grupo de 13 companhias já levantou 63% do total do ano passado

EUA e Europa são os maiores compradores de títulos, e recursos obtidos somam US$ 18,9 bi. Dívida torna empresas mais vulneráveis

Com o objetivo de ampliar investimentos ou baratear as suas dívidas, 13 empresas brasileiras já buscaram este ano recursos no mercado externo com emissão de bônus e captaram US$ 18,9 bilhões, o equivalente a 63% de todas as operações ano passado. Num momento em que a economia dá sinais de recuperação, uma operação da Petrobras neste mês, de US$ 11 bilhões, abriu espaço para novas ações. Fundos de pensão e de investimento americanos e europeus são os principais compradores dos papéis. O endividamento das empresas nacionais chegou a R$ 192 bilhões no primeiro trimestre. Especialistas avaliam que as companhias ficarão mais sensíveis às flutuações do câmbio. (Págs. 1 e 17)

Denunciados pelo MP têm aumento no governo
Passados seis meses da Operação Porto Seguro, que descobriu esquema de favorecimento a interesses privados operado por funcionários do Executivo, só um servidor perdeu o emprego: a ex-chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo Rosemary Noronha. Os outros 12 denunciados pelo Ministério Público mantiveram o emprego, e cinco tiveram aumento de salário. (Págs. 1 e 3)
Vans: no sábado, nova fase da proibição
A partir do próximo sábado, vans não poderão mais circular em toda a Zona Sul. A proibição, que já vale para 11 bairros, chegará a Flamengo, Laranjeiras, Cosme Velho, Catete e Glória. As exceções são Rocinha e Vidigal. (Págs. 1 e 9)
Educação: Arte a serviço do ensino
Instituições culturais, como o Museu de Arte do Rio (MAR) e a Casa Daros, oferecem programas que combinam arte e educação e atraem alunos das redes pública e privada do Rio. (Págs. 1 e 6)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Virada Cultural mais violenta tem arrastões e duas mortes
Pelo menos 5 foram baleados e 2, esfaqueados; PM e Haddad dizem que houve mais pessoas dispostas a roubar

Duas pessoas morreram, pelo menos cinco foram baleadas e outras duas, esfaqueadas, entre sábado e ontem, na edição mais violenta da Virada Cultural, evento que ocorre desde 2005 na cidade de São Paulo. Também houve arrastões, roubos, brigas, consumo de drogas e fechamento de estações de Metrô. Foram presos 28 adultos e 9 adolescentes, detidos. Foram registrados 1.800 atendimentos por excesso de álcool. A única morte no evento havia ocorrido no ano passado, quando uma pessoa foi assassinada a tiros. O prefeito Fernando Haddad (PT) e o coronel Reinaldo Simões Rossi, comandante da área centro da Polícia Militar, disseram que ainda precisam refletir sobre as causas. Mas ambos afirmaram que o motivo pode ter sido o aumento do número de pessoas dispostas a roubar. (Págs. 1 e Metrópole A12 e A13)

Segurança controversa

Secretário municipal de Cultura, Juca Ferreira afirmou que pode rever pontos para 2014. Ele não considerou o evento violento: ‘A Virada foi segura.' (Págs. 1 e A13)

Fotolegenda: Retorno

Racionais se apresentam após 6 anos de ausência e criticam violência registrada no próprio evento.

Boato sobre o Bolsa Família causa tumulto
Boatos de que o Bolsa Família seria encerrado levou milhares de pessoas às agências da Caixa em diversos Estados, especialmente os do Nordeste. Em agências em que o dinheiro disponível não foi suficiente, houve depredação. Dados preliminares apontam o Ceará como o Estado mais prejudicado. O governo negou a possibilidade de suspensão dos benefícios e a alteração dos pagamentos. A Polícia Federal vai investigar o caso. (Págs. 1 e Política A7)
Supremo paga voos de esposas de ministros
Os gastos com passagens para ministros do STF e suas mulheres, inclusive em período de férias, somam R$ 2,2 milhões entre 2009 e 2012. Levantamento feito pelo Estado com dados do site da Corte aponta que R$ 1,5 milhão foi usado para viagens ao exterior e R$ 608 mil em bilhetes para as mulheres de cinco ministros. O pagamento de passagens a dependentes é permitido por resolução. (Págs. 1 e Política A4)
Sisu tem 80% de adesão federal após três anos
Desde 2010, plataforma digital para preencher vagas em instituições públicas de ensino superior teve a adesão de 47 das 59 universidades federais. (Págs. 1 e Metrópole A18)
Negócios: Dobra dívida da Odebrecht
A dívida da Odebrecht com bancos e investidores dobrou desde 2010 e atingiu R$ 62 bilhões. A empresa diz que, se não fosse a variação cambial, teria obtido lucro. (Págs. 1 e Economia B1)
Hezbollah auxilia Assad contra rebeldes sírios (Págs. 1 e Internacional A8)


Após 4 meses, número de mortos na Kiss chega a 242 (Págs. 1 e Metrópole A15)


Jorge J.Okubaro 
A maioria fluida e seu preço

Convém ao eleitor mais refletir do que comover-se com as cenas passadas no Congresso durante a votação da Medida Provisória dos Portos. (Págs. 1 e Economia B2)

Lucia Guimarães 
Guerra Fria do cotidiano

Há algo errado quando anfitrião pede celular de convidado. O amigo de hoje pode ser o ressentido acumulador de mensagens fora de contexto amanhã. (Págs. 1 e Caderno 2, C8)

Notas & Informações
O FAT pede socorro

As despesas têm crescido mais depressa do que as receitas, o que exige dinheiro do Tesouro. (Págs. 1 e A3)

------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense

Manchete: GDF pretende convocar 6,4 mil concursados
O Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias, enviado pelo governo à Câmara Legislativa, prevê um gasto de R$ 221 milhões, em 2014, com as contratações. Saúde, educação e segurança serão as áreas mais contempladas. Também estão reservados R$ 477 milhões para reajustes e outros benefícios. (Págs. 1 e 19)
Despesas: Congresso vai gastar R$1 bi a mais este ano
Que economia que nada! O orçamento do Senado e o da Câmara Federal previstos para 2013 é de R$ 8,6 bilhões contra R$ 7,6 bilhões no ano passado, segundo dados do portal Siga Brasil, do próprio Legislativo. (Págs. 1 e 4)
Bolsa família: PF investiga boato de fim do benefício
A notícia falsa de que o governo acabaria hoje com o principal programa levou milhares de pessoas às agências da CEF em 12 estados. A presidente Dilma se irritou com demora em divulgar desmentido. (Págs. 1 e 6)
Brasileiro inventa e estrangeiro fica com o lucro (Págs. 1, 7 e 8)


E o Mané, passou no teste?
Inauguração da arena de Brasília rende elogios e críticas. Veja o que muda para a próxima partida. (Págs 1 e Superesportes, 12 e 13)
------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico

Manchete: Inflação faz novos estragos nos balanços das empresas
Com a inflação em alta, os custos das empresas cresceram mais que as receitas e reduziram os lucros no primeiro trimestre. Após um recuo de 30% em 2012, os ganhos das companhias abertas caíram 12,1% nos primeiros três meses do ano em relação ao mesmo período do ano passado, para R$ 14,4 bilhões. O levantamento, feito pelo Valor Data com base nos dados da consultoria Economática, leva em conta 238 empresas não financeiras. A quantidade de resultados negativos aumentou: 68 empresas fecharam o trimestre com prejuízo, 20% mais do que um ano antes. A amostra exclui os balanços da Petrobras, Vale e Eletrobras, que tendem a distorcer o resultado final.

A perda de rentabilidade explica o tombo na última linha do balanço. A receita subiu 11% no período, para R$ 234,2 bilhões, mostrando que ainda há fôlego considerável da demanda. Mas os custos avançaram 12,6%, representando 71,9% do faturamento, ante 70,9% e 70,7% nos períodos equivalentes de 2012 e 2011. (Págs. 1 e B2)

Venda agita o mercado de crédito 'podre'
A expectativa pela venda de uma carteira de empréstimos do BNDES com pagamentos atrasados, que soma R$ 37 bilhões, promete movimentar o mercado de fundos especializados em créditos "podres". A carteira do banco está em fase de avaliação antes da licitação e seu valor contábil é de R$ 6 bilhões. "Se a operação do BNDES for bem-sucedida, pode abrir espaço para outras instituições, em especial os bancos públicos", diz Nicolas Malagamba, diretor da KPMG.

Até agora, entre os grandes bancos apenas o Santander vende habitualmente suas carteiras de créditos inadimplentes, sendo que Citibank e Votorantim já recorreram a esse expediente algumas vezes. (Pás. 1 e C1)

Superávit de grandes exportadores cai 65%
As maiores exportadoras de manufaturados viram suas vendas no ano passado caírem 11,8% em relação a 2007, ano anterior à crise. Suas importações, por outro lado, cresceram 36,8%. O superávit da balança comercial das 25 empresas que ocupavam o topo do ranking das vendas externas de manufaturas encolheu quase dois terços (65,7%), de US$ 13,7 bilhões para US$ 4,7 bilhões. Levantamento feito pelo Valor com essas companhias mostra que só quatro delas aumentaram o saldo positivo. Para empresários e analistas, foco no consumo doméstico, desaceleração de mercados maduros e dificuldade de competição com estrangeiros explicam a tendência.

O movimento de baixa foi puxado pelas quatro maiores montadoras do país. Há seis anos, Volkswagen, General Motors, Ford e Fiat obtiveram saldo positivo de US$ 3,1 bilhões. Em 2012, registraram déficit de US$ 1,8 bilhão. (Págs. 1 e A12)

Asiáticos aumentam compras do Brasil
A Ásia cresceu de tamanho como mercado para o Brasil, apesar da queda nos preços de importantes produtos de exportação neste ano. Vários países da região ajudam a compensar a perda de apetite da China por commodities. Em abril, a fatia dos asiáticos entre os compradores de mercadorias brasileiras chegou a pouco menos de 36% do total, mais de 80% acima do mercado representado pela União Europeia e quatro vezes superior ao dos EUA.

Fora a China, outros países asiáticos importaram mais do Brasil, como Japão, Coreia do Sul, Taiwan, Malásia e Indonésia. O Japão elevou suas compras do Brasil em 20% no primeiro quadrimestre e em 42% em abril, na comparação com o mesmo período de 2012. (Págs. 1 e A12)

Produtores ampliam área com algodão
Depois de reduzir em 36% a área plantada com algodão, os maiores produtores brasileiros planejam fazer o caminho inverso na safra 2013/14 e elevar novamente o cultivo. O pessimismo com os preços dos grãos está na base da decisão, que também leva em conta a rentabilidade do algodão, que não é ruim atualmente, apesar dos preços estarem em patamares bem distantes do recorde de US$ 2 por libra-peso no primeiro trimestre de 2011.

A Abrapa, associação que representa os produtores brasileiros, prevê um plantio 25% a 30% maior em 2013/14. Um exemplo dessa tendência é o grupo Bom Futuro, do empresário rural Eraí Maggi Scheffer, que pretende elevar em 28,5% o cultivo de algodão. (Págs. 1 e B14)

Preços de artigos de luxo estão em queda no Brasil
A mudança na estratégia das marcas internacionais de luxo no mercado brasileiro está levando à queda dos preços. Empresários estimam que a redução nos valores cobrados por bolsas, sapatos e outros itens chega a 30% em relação ao que se cobrava há cerca de um ano.

A substituição do sistema de licenciamento pela operação direta, maior número de lojas e margem de lucro menor explicam o fenômeno. "Acreditamos que, com preços próximos aos praticados no exterior e maior investimento em marketing, as vendas possam crescer entre 30% e 50% no Brasil", diz Fábio Gianni, diretor-geral da Salvatore Ferragamo para a América do Sul. Marcas como Longchamp, Prada e Christian Louboutin também realinham os preços. (Págs. 1 e B5)

R$ 9 bi do FI-FGTS para infraestrutura
O fundo de investimentos do FGTS (FI-FGTS) tem R$ 9 bilhões para aplicar em projetos de infraestrutura neste ano. Os empreendimentos em análise pela Caixa Econômica Federal, responsável pela gestão do fundo, já somam R$ 10 bilhões. Mas esse número deve subir com as oportunidades de negócios esperadas com as concessões de rodovias e ferrovias. O vice-presidente da Caixa, Marcos Vasconcelos, disse ao Valor que de R$ 5 bilhões a R$ 6 bilhões poderão ser destinados para investimentos em estradas. (Págs. 1 e A4)
A difícil e rara punição de promotores
Fiscal das leis, o Ministério Público tem dificuldade para apurar faltas cometidas por seus próprios integrantes. Grande parte das reclamações que chegam às corregedorias e ao Conselho Nacional do Ministério Público são arquivadas por decurso do prazo de investigação e punição.

De 2005 a 2012, o CNMP recebeu 2.696 reclamações - 64 geraram procedimentos administrativos disciplinares e 31, punições. O Ministério Público tem 11.658 membros. Em geral, a investigação começa nas corregedorias locais, que no ano passado arquivaram 3.895 procedimentos e aplicaram 81 penalidades. O MP não tem dados sobre causas das reclamações, mas são relativamente poucos os casos de corrupção. (Págs. 1 e A7)

Protestos contra a austeridade na zona do euro podem chegar ao ponto de ruptura (Págs. 1 e B11)


Petroleiras americanas se unem na promoção do carro a gás (Págs. 1 e B10)


Bosch vê emergentes como opção à Europa em crise, diz Denner (Págs. 1 e B9)


Estratégia internacional
O governo cria diretoria específica para incrementar a atuação do BNDES no financiamento à exportação de bens e serviços brasileiros para os países da América Latina, Caribe e África. (Págs. 1 e A3)
Armadores pedem veto na MP
Clientes diretos dos portos, os armadores aprovam o texto da MP dos Portos, mesmo com críticas pontuais. Uma delas é sobre a limitação imposta à participação nos terminais. “É equivocado e vai na contramão de outros países”, diz Cláudio Loureiro, do Centronave. (Págs. 1 e A6)
Morpho amplia atuação no país
No Brasil desde 1998, a francesa Morpho, que produz chips para celulares e cartões, estreia em um novo negócio, fornecendo equipamentos de detecção de explosivos e narcóticos à Infraero. (Págs. 1 e B3)
Legacy chinês
O primeiro jato executivo Legacy montado pela Embraer na China será entregue em novembro ou dezembro. Toda a produção na China será destinada para o mercado local. (Págs. 1 e B9)
STJ rejeita patente da Monsanto
Superior Tribunal de Justiça nega recurso da Monsanto que tenta prorrogar a patente da soja RR, resistente ao glifosato. Para o STJ, os direitos da empresa venceram há mais de dois anos. (Págs. 1 e B13)
Proposta limita tarifa de cartão
Projeto de lei do senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) sobre o mercado de cartões reacende o temor de intervenção governamental no setor. Entre as medidas está a possibilidade de limitar a tarifa cobrada aos lojistas nas transações. (Págs. 1 e C8)
CDI começa a perder espaço
Esforço do Banco Central para desestimular o uso do CDI como parâmetro para as carteiras de renda fixa ganha respaldo entre gestores e cresce o número de fundos que já adotam outros índices de referência. (Págs. 1 e D3)
Dívida do JB com o Econômico
Superior Tribunal de Justiça responsabiliza o empresário Nelson Tanure e suas empresas por dívida de R$ 1 bilhão do Jornal do Brasil com o Banco Econômico, hoje em liquidação, e mantém penhora de R$ 800 milhões em ações como garantia do débito. (Págs. 1 e E1)
Ideias
Renato Janine Ribeiro

Candidatos alternativos, como Marina e Campos, não têm chance em 2014 porque não oferecem governabilidade. (Págs. 1 e A6)

Luiz Carlos Mendonça de Barros

Estamos vivendo os últimos capítulos da crise que domina a economia americana e mundial há mais de cinco anos. (Págs. 1 e A11)

------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas

Manchete: Galo é bi (Págs. 1 e Super Esportes)


Assalto com reféns na UFMG
Bandidos trancam vigias, alunos e professor numa sala e arrombam caixa eletrônico na Faculdade de Engenharia, no câmpus da Pampulha. (Págs. 1 e 17)
Microempresas: Alta no lucro impulsiona os empregos
Estudo do Ipea mostra que entre 2003 e 2013, o lucro de microempreendedores aumentou 27%, o que levou as pequenas empresas a abrirem mais vagas de trabalho. (Págs. 1 e 10)
Bolsa-família: Boato causa tumultos na Caixa
Falsa informação sobre extinção do benefício provocou corrida a agências da Caixa no Rio e capitais do Norte e Nordeste. A PF apura de onde partiu o boato. (Págs. 1 e 4)
Fotolegenda: País dos impostos
Na série sobre tributos, veja a história do advogado Vinicios Leôncio, que há 21 anos escreve livro de 6,2 toneladas e 43 mil páginas, o maior e mais pesado do mundo, reunindo todas as leis tributárias publicadas no Brasil desde 1988. (Págs. 1 e 11)
Eleições 2014: Candidatos cortejam os prefeitos bons de voto (Págs. 1 e 6)


Agropecuário: Menos milho
Por causa de problemas climáticos, safra mineira deve cair 2,7% em relação a 2012. Novas técnicas e sementes evitaram queda maior. Quinta-feira começa a 55ª Festa Nacional do Milho (Fenamilho), em Patos de Minas. (Págs. 1, Capa e 3 a 5)
------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio

Manchete: Recife, Cabo e Jaboatão livres do racionamento
As chuvas que atingiram a Região Metropolitana na última sexta causaram transtornos, mas trouxeram uma boa notícia: o nível das barragens melhorou e isso vai permitir normalizar o fornecimento de água a partir do meio-dia de hoje. (Págs. 1 e 13)
Boataria tumultua agências da Caixa
Falsa notícia sobre fim do Bolsa Família provoca corrida aos bancos em pleno domingo, nas capitais do Nordeste, em algumas cidades do Norte e no Rio. (Págs. 1 e 4)
Dilma lança navio e vê jogo na Arena
Presidente está hoje no Estado, em novo cara a cara com seu possível concorrente, Eduardo Campos. (Págs. 1, 3 e Esportes 1)
Mil pessoas na marcha da maconha
Mobilização pela legalização foi da Praça do Derby à Rua da Moeda. (Págs. 1 e Capa Dois)
Venezuela tenta aproximação com os EUA
Chanceler venezuelano fala em restabelecer embaixador em Washington. (Págs. 1 e 7)
Exército entra em reduto rebelde na Síria
Com apoio do Hezbollah, tropas invadiram cidade na província de Homs. (Págs. 1 e 7)
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete: Importar médicos é bom para a saúde?
Proposta de trazer estrangeiros de países como Cuba para cidades do Interior põe em guerra prefeitos e a categoria, e levanta a dúvida: faltam médicos ou faltam salários, estrutura e condições de trabalho? (Págs. 1, 4 e 5)

“Salário de R$ 2 mil, R$ 3 mil, regra nas pequenas cidades, não prende um profissional.”
Maria Rita de Assis Brasil
Presidente interina do Sindicato Médico do RS

“As entidades defendem o médico. Como gestor, defendo a população.”
José Fortunati
Presidente da Frente Nacional de Prefeitos

Dor revivida: Mariane, 24 anos, a 242ª vítima da Kiss
Internada desde o incêndio na boate em Santa Maria, jovem morreu na manhã de ontem.

Vocalista diz que show com fogos era autorizado. (Págs. 1 e 24)

------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico

Manchete: Competitividade é questão do país, não da indústria
Após a redução das tarifas elétricas, o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, tem pleiteado junto ao Planalto o que ele chama de um “choque de competitividade”. Em entrevista ao Brasil Econômico, ele evitou afirmar que disputará o governo de São Paulo, mas diz que o PMDB deve ter candidato próprio “e aceita o PT como vice”. (Págs. 1 e 4 a 7)
Mudança de rumo na OSX
Frustração com encomendas leva empresa a privilegiar aluguel de plataformas. (Págs. 1 e 15)
Observatório da Mobilidade
Projeto do Grupo Ejesa debaterá soluções para as grandes cidades brasileiras. (Págs. 1 e 13)
‘Genesis’ segundo Sebastião Salgado
Livro mostra regiões intocadas ao redor do mundo, resultado de um projeto de 8 anos e custo de € 1 milhão. (Págs. 1, 10 e 11)
Pequenas
Pesquisa mostra que aumento no número de shoppings expande franquias no país. (Págs. 1 e 14)
Escuta nos EUA
Métodos do governo americano na imprensa viram polêmica mundial. (Págs. 1 e 28)
------------------------------------------------------------------------------------
EBC Serviços

Comentários