Domésticas exigem R$ 900 para trabalhar de segunda a sexta


PAUTA DE REIVINDICAÇÕES
O Sindoméstica-SP (Sindicato das Empregadas e Trabalhadores Domésticos da Grande SP) entregou a pauta de reivindicações da categoria ao sindicato patronal.

Esse é o primeiro passo para definir a convenção coletiva das domésticas, que determinará algumas regras de pagamentos e de benefícios das empregadas.
O documento foi protocolado na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego na terça-feira e pede piso salarial de R$ 900 para as domésticas, valor acima do salário mínimo regional de São Paulo, de R$ 755. Veja as reivindicações ao lado.
Os patrões já receberam os pedidos. A presidente do Sedesp (sindicato dos patrões), Margareth Carbinato, diz que o próximo passo das negociações é fazer uma assembleia com os empregadores para discuti-los e, então, apresentar uma contraproposta.
"Ainda está em fase de negociação."
A reunião, marcada para o dia 27, pode ser adiada, já que o sindicato patronal diz que é preciso mais tempo para discutir com os empregadores.
Thâmara Kaoru
do Agora

Comentários