Ministério Público pede afastamento do delegado de Cabo Frio

Policial civil e servidor público também estão sendo denunciados.
Delegado Leonardo Reis afirma que denúncia do MP não procede.

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) entrou com o pedido de afastamento do delegado Sérgio Lorenzi, titular da 126ª DP (Cabo Frio) e do policial civil Antônio José Martins por permitir que um funcionário da Câmara Municipal de Duque de Caxias desempenhasse função de policial civil em Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro.

Segundo o MP, o funcionárioa da Câmara, Leonardo César Alvarez Reis, transportava presos e praticava atos oficiais no setor de investigação da delegacia. Os três são acusados de crime de usurpação de função pública, sendo os dois na modalidade de omissão. A denúncia ainda mostra que a permanência do servidor na delegacia também garantia o acesso a informações privilegiadas em relação ao inquérito que ele responde na 62ª DP (Imabriê), por manter uma casa de prostituição.
Em entrevista ao G1, o delegado Sérgio Lorenzi disse que veio transferido para a delegacia de Cabo Frio em 2011 e que a denúncia não procede. "Isso não existe. Eu cheguei aqui em 2011 e o Leonardo já estava lotado na 126ª DP. No ano seguinte, ele foi levado de volta para Duque de Caxias, ou seja, já tem um ano que ele não está mais aqui. E sobre a informação sobre o acesso ao inquérito que ele responde, isso também não existe porque o caso está com a delegacia de imbariê, bem longe daqui. Uma equipe da corregedoria esteve aqui na última sexta-feira e não encontrou nenhuma irregularidade" explicou o delegado de Cabo Frio.  

Comentários