Pescadores da Lagoa de Araruama reivindicam período de defeso


Pescadores estão agora proibidos de exercer a atividade por três meses.
Período é uma medida para preservar o desenvolvimento das espécies.

 Pescadores da Lagoa de Araruama, Região dos Lagos do Rio, solicitavam pelo defeso, período em que a atividade fica proibida, para a proteção e desenvolvimento das espécies. Na sexta-feira (03), o Ministro da Pesca e Aquicultura, Marcelo Crivela, apresentou as instruções normativas para a atividade na lagoa, como o mapeamento da área de pesca, as espécies e os equipamento permitidos em cada ponto.
Mas o anúncio mais esperado era a oficialização do defeso, de primeiro de agosto até 31 de outubro, quando os pescadores não podem capturar peixes e crustáceos. O defeso abrange os municípios de Araruama, Iguaba Grande, São Pedro da Aldeia, Arraial do Cabo e Cabo Frio.


Durante os três meses de defeso, os quase dois mil pescadores cadastrados vão receber o seguro de um salário mínimo por mês. Cerca de R$ 1,2 milhão injetados na economia dos municípios ao redor da lagoa, segundo o Ministério da Pesca e Aquicultura.
Na visita para anúncio do defeso, o ministro também assinou o Termo de Cooperação Técnica com os municípios de São Pedro da Aldeia e Armação dos Búzios, que vai beneficiar cerca de 1,7 mil pescadores da região.
Segundo o Diretor de Pesca de Araruama, a fiscalização vai ser rigorosa. O pescador flagrado desrespeitando o defeso vai ser notificado e pode ainda ter o material, a embarcação e o registro profissional apreendidos. Sem o registro, o pescador perde também o benefício.
do G1

Comentários