Frase do dia

“O amor é tudo”
(Jesus Cristo)







terça-feira, 11 de junho de 2013

Bom dia! Vamos com as principais notícias dos jornais desta terça-feira, 11 de junho. Cabo Frio se prepara para segunda edição da Conferência de Cultura. Evento será realizado dia 29 de junho no Teatro Municipal Inah Mureb. Objetivo é garantir novos investimentos ao Fundo Municipal de Cultura.



Folha de S.Paulo


Agora S.Paulo


O Estado de S.Paulo

Barbosa quer triplicar teto de gasto do CNJ com servidor

O Globo

Fim da privacidade: EUA caçam americano que revelou espionagem

Valor Econômico

Empresa brasileira já deixa Argentina em segundo plano

Correio Braziliense

Alimentos voltam a subir. Dólar dispara e atropela BC

Estado de Minas

Delegado indiciado

Zero Hora

120 carros novos da BM parados por falhas nos freios

Brasil Econômico

Real sob efeito de incertezas e especulação

*
Jornais internacionais
The Washington Post (EUA)

Acesso de funcionário da NSA é examinado

The Guardian (Reino Unido)

Europa pede explicações a Obama sobre espionagem americana

Le Monde (França)

Ciberespionagem: ex-funcionário da CIA foi quem revelou tudo

El País (Espanha)

Escândalo de espionagem em massa coloca Obama contra as cordas

Clarín (Argentina)

Cristina defendeu a reforma com um duro ataque à Corte



O Globo

Manchete: Fim da privacidade: EUA caçam americano que revelou espionagem
País se divide sobre ação de ex-técnico da CIA, e começa pressão para extraditá-lo.

Obama se cala e entrega investigação sobre vazamento ao Departamento de Justiça; Edward Snowden refugiou-se em Hong Kong no último dia 20, mas seu paradeiro é desconhecido desde ontem.

O FBI e a CIA buscam o americano Edward Snowden, de 29 anos, ex-técnico da agência de inteligência que vazou dois programas secretos de monitoramento de dados telefônicos e da internet pelo governo Obama. Ele se refugiou em Hong Kong, mas ontem seu paradeiro era desconhecido. A atuação do informante já divide os americanos, que o rotulam como herói ou traidor. O governo entregou o caso ao Departamento de Justiça, mas as pressões por sua extradição já começaram. (Págs. 1 e 31 e 32, Pedro Doria e editorial “A difícil e necessária defesa dos direitos civis".)

Enquanto isso, na economia...: S&P melhora viés para os EUA
Não valeu a máxima de que o que é bom para os EUA é bom para o Brasil. A S&P elevou de negativa para estável a perspectiva para os EUA. Resultado: o dólar foi a R$ 2,16, e o BC vendeu US$ 2,1 bilhões para segurar a alta. (Págs. 1 e 21 e 22 e Míriam Leitão)
BRT: um ano cheio de problemas
O BRT Transoeste, corredor de ônibus articulados que liga Santa Cruz e Campo Grande à Barra da Tijuca, ainda tem 15 estações inacabadas, apesar de inaugurado há um ano. O sistema também apresenta superlotação, atraso nas linhas alimentadoras, falhas de sinalização e acidentes. (Págs. 1 e 8)
Álcool, o combustível dos acidentes (Págs. 1 e 12)


Dando um tempo: Nas lojas, nota fiscal fora do padrão
A nova lei que determina que o valor dos impostos seja informado na nota fiscal entrou em vigor ontem, mas ainda é raro encontrar no comércio quem esteja cumprindo a regra. A Casa Civil da Presidência disse que encaminhará ao Congresso, esta semana, proposta para ampliar em um ano o prazo para aplicar punição a quem descumprir a lei. (Págs. 1 e 30)
Quatro tribunais e a conta: Novos TRFs custam R$ 922 mi ao ano
Um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada estima que, além de não aumentar a eficiência da Justiça, a criação de quatro novos Tribunais Regionais Federais custará ao menos R$ 922 milhões por ano. (Págs. 1 e 3)
Negócios no poder: Partidos: como é fácil ter um
Criar um partido no Brasil é um processo demorado, porém não muito difícil. Além das 30 legendas já existentes, mais quatro (incluindo a de Marina Silva) estão próximas da legalização e ganharão horário de TV e verbas do fundo partidário. (Págs. 1 e 6)
Copa das Confederações: Balotelli declara amor ao Brasil
Principal jogador da Itália, primeira grande seleção a chegar ao Rio para a Copa das Confederações, o polêmico atacante Balotelli disse, no Twitter, que ama o Brasil. O time faz hoje um amistoso contra o Haiti. (Págs. 1 e Caderno esportes)
Em duas horas: Ator é alvo de ladrões duas vezes
Em menos de duas horas, o comediante Castrinho sofreu duas tentativas de assalto, no Recreio. Em uma delas, o carro do ator foi baleado. Nos três primeiros meses do ano, o número de roubos de veículos na região subiu 53,4%. (Págs. 1 e 11)
Revista Amanhã: Guardiões da Mata Atlântica
Uma reserva particular na Pedra da Mina, na Serra da Mantiqueira, protegerá nascentes importantes para o Rio e uma área estratégica para a Mata Atlântica.
(Pág. 1 e Revista Amanhã)

Ciência: China volta ao espaço
Enquanto os EUA sequer possuem um veículo espacial, a China lança sua quinta missão tripulada. Desta vez, três astronautas ficarão no espaço por 15 dias.
(Págs. 1 e 34)

------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Barbosa quer triplicar teto de gasto do CNJ com servidor
Ministro negocia para que tribunais superiores cedam limites de despesa; manobra contraria o TCU

O presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Joaquim Barbosa, negocia com presidentes de quatro tribunais superiores a alteração, por meio de resolução, dos limites de gastos com pessoal impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Barbosa quer aumentar em R$ 74 milhões o teto do órgão para contratação de servidores, o que praticamente triplicaria o valor atual, de R$ 41 milhões. Para isso, pediu aos presidentes dos tribunais superiores de Justiça, Militar, do Trabalho e Eleitoral que cedam parte dos limites de despesas para o CNJ. Sem a medida, o órgão não poderá convocar 177 candidatos aprovados em concurso. A manobra desafia o TCU, que considera obrigatório o aval do Legislativo. O CNJ confirma a negociação, mas nega que vá extrapolar limites. (Págs. 1 e Política A4)

Novos TRFs custarão R$ 1 bi

Cálculo do Ipea mostra que os novos Tribunais Regionais Federais (TRFs) de MG, PR, BA e AM vão custar R$ 922 milhões por ano, sem aumento de produtividade. (Págs. 1 e A4)

BC intervém, mas dólar fecha no maior valor desde 2009
Pela primeira vez no ano, o Banco Central fez ontem duas intervenções no mercado para tentar conter o dólar. Durante o dia, a moeda americana chegou a R$ 2,16 e fechou em R$ 2,1480, alta de 0,56%, o maior valor em relação ao real desde 30 de abril de 2009. O real vem se desvalorizando nas últimas semanas, pressionado por fatores externos e internos. (Págs. 1 e Economia B1)
Argentina quer controlar o paralelo
O governo argentino controla a cotação do dólar oficial e quer agora determinar o valor do dólar paralelo. A meta é um teto de 6 a 7 pesos. Na quinta-feira, a moeda estava cotada a 8,52 pesos para compra e 8,57 para venda. (Pág. 1 e B9)
Quebra-quebra no Rio
Manifestantes contra o aumento da passagem de ônibus no Rio entram em confronto com a polícia. O Movimento Passe Livre promete novo protesto hoje em SP. Em Paris, o prefeito Fernando Haddad montou ‘sala de situação’ para acompanhar manifestação. (Págs. 1 e Metrópole A10)
Americano que revelou ação dos EUA busca asilo
Sem garantia de permanência em Hong Kong, o americano Edward Snowden, que revelou dados sobre o programa ultrassecreto de vigilância dos EUA, procura asilo na Islândia. Ontem, ele deixou o hotel onde se hospedava. Seu destino é desconhecido. (Págs. 1 e Internacional A7)
MEC cria avaliação para aluno do 3º ano (Págs. 1 e Metrópole A16)


Minha Casa puxa investimentos do PAC (Págs. 1 e Economia B4)


Afif assume governo de SP e retoma PPPs
Governador em exercício de SP, Guilherme Afif Domingos (PSD) retomou projeto das Parcerias Público-Privadas (PPPs) para vencer “boicote” de secretários à sua passagem pelo comando do Estado. Ministro, ele foi exonerado para poder assumir o governo até sexta. (Págs. 1 e Política A6)
MPF pede a Dilma dados sobre Rose
O Ministério Público Federal pediu à presidente informações sobre sindicância que investiga atos de Rosemary Noronha. (Págs. 1 e Política A5)
Dora Kramer 
União instável

É ilusão acreditar que o casamento do eleitorado com o PT é por amor. Dinheiro não aguenta desaforo e eleitor evita levar prejuízo para casa (Págs. 1 e Política A6)

José Paulo Kupfer 
Manobras inúteis

O rebaixamento da perspectiva dos títulos brasileiros pela S&P é um sinal de alerta para os riscos da economia que não deveria ser desprezado. (Págs. 1 e Economia B4)

Notas & Informações
A presidente perde pontos

As pessoas começam a ligar os seus problemas ao desempenho de Dilma Rousseff. (Págs. 1 e A3)

------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense

Manchete: Alimentos voltam a subir. Dólar dispara e atropela BC
Banco Central intervém, gasta US$ 2,1 bilhões, mas não consegue deter alta da moeda americana, que fechou a R$ 2,148, a maior cotação em quatro anos. Pesquisa aponta elevação de preços, apesar de o governo afirmar que a inflação está sob controle. (Págs. 1, 8,9 e Visão do Correio, 12)
Brasília: Mais ingressos, comércio em alta, hotéis cheios... É a Copa!
A cinco dias de Brasil x Japão, a cidade vive clima de euforia. A primeira boa notícia: 3,7 mil bilhetes estão à disposição para o jogo. Nas lojas, a expectativa é de aumento de 10% nas vendas. E no setor hoteleiro, o torneio das Confederações já é realidade: muitos hóspedes e poucas vagas. O Correio preparou um guia para o torcedor que sonha ver os astros da Seleção Brasileira. (Págs. 1, 19 a 22 e Superesportes 2 a 9)
Fora do ar: Panes atrasam a emissão de passaportes
Problemas no sistema da PF têm prejudicado os pedidos e a entrega do documento em todo o país. Ontem, no primeiro dia da restituição do Imposto de Renda, o site da Receita Federal também apresentou instabilidade. (Págs. 1 e 11)
Repressão: Pai de diretor da Abin deve depor no Rio
Ex-chefe do DOI-Codi no Rio, o general da reserva José Antônio Nogueira Belham será convocado pela Comissão Estadual da Verdade do Rio para falar sobre o desaparecimento do deputado Rubens Paiva. (Págs. 1 e 2)
------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico

Manchete: Empresa brasileira já deixa Argentina em segundo plano
A perda das concessões ferroviárias da ALL, anunciada na semana passada, está longe de ser um episódio isolado na retração do investimento das grandes empresas brasileiras na Argentina - e não deverá ser o último. Antevendo o agravamento da crise econômica no país vizinho em 2014, pelo menos três outras empresas já manifestaram, sob reserva, a disposição de reduzir sua presença no país, segundo consultorias que prestam serviço a investidores brasileiros.

A retração mais importante do investimento brasileiro foi a suspensão do projeto Rio Colorado, da Vale, que demitiu 2,7 mil empregados. Com isso, a Odebrecht perdeu seu maior cliente no país. Também foram atingidas a Andrade Gutierrez e a Camargo Correa. A Camargo é a dona da cimenteira Loma Negra, que diminuiu seu ritmo. Em abril, a Duratex fechou sua fábrica na Argentina. A Petrobras vendeu, por US$ 35 milhões, os 48,5% que detinha na distribuidora de energia Edesur. A JBS mantém fechadas quatro de suas cinco unidades de abate e a Marfrig vai fechar duas. (Págs. 1 e B9)

Desafios do crescimento
Sergio Rial, da Marfrig, e Wesley Batista, da JBS, no anúncio da aquisição da Seara Brasil. Negócio eleva receita da JBS a R$ 100 bilhões, mas impõe desafios de alavancagem e integração. (Págs. 1 e B14)

Unidas é dos fundos por R$ 1.500
Por pouco menos de R$ 1.500, os fundos que compram participações em empresas das gestoras Gávea, Kinea e Vinci assumiram o controle da locadora de veículos Unidas. Com o negócio, as firmas passaram a deter, em conjunto, 65,25% do capital da companhia.

As gestoras entraram na Unidas há dois anos, quando pagaram R$ 300 milhões por 47% do capital. O grupo português SAG, que não participou do aumento de capital da semana passada, teve a participação diluída de 52,7% para 34,75%. Após a mudança societária, a Unidas se prepara para realizar uma oferta pública de ações no segundo semestre. (Págs. 1 e B1)

Política fiscal pode ser mudada
A ameaça da agência de rating Standart & Poor's de rebaixar a nota do Brasil preocupou o governo e abalou os alicerces da atual política econômica, sobretudo na questão fiscal. A convicção do Palácio do Planalto de que estava acertando na gestão das contas públicas já não é tão sólida e o governo pensa em reagir.

Não está claro ainda como deve ser a reação, mas ressurge a proposta feita pelo ex-ministro Delfim Netto, em 2006, de o governo anunciar como meta para os próximos 4 ou 5 anos o fim do déficit nominal público. (Págs. 1 e A2)

Assimetria afeta gestão da economia
A alta do dólar ontem - mesmo após duas intervenções do BC, que somaram R$ 2,1 bilhões - mostra que o mercado está explorando as inconsistências da política econômica. O BC terá dificuldade de conduzir uma transição ordenada da taxa de câmbio para um novo patamar se não tiver respaldo no campo fiscal - como o governo se recusa a adotar uma política contracionista, o peso do ajuste recairá sobre os juros.

Assim, o problema brasileiro é a assimetria entre a "nova" política monetária e a política fiscal. O mercado desconfia da autonomia do Copom para elevar a Selic e essa desconfiança está aparecendo no mercado de câmbio. (Págs. 1 e C2)

Ceará adota pacto e reduz analfabetismo entre crianças
Em 2007, o indicador de proficiência dos alunos de 2º ano da rede pública no Ceará mostrou que 48% eram considerados não alfabetizados ou com alfabetização incompleta e apenas 30% tinham alfabetização desejável. Hoje, menos de 10% dos alunos têm problemas de alfabetização e mais de 60% têm alfabetização desejável.

Governo e especialistas consideram que a principal causa dessa mudança foi a adoção do Programa Alfabetização na Idade Certa (Paic) - um projeto de gestão administrativa e pedagógica centrado na colaboração entre o governo estadual e as prefeituras. O objetivo do pacto, assinado por todas as 184 cidades do Estado, é garantir que o estudante da rede municipal esteja alfabetizado no 2º ano do ensino fundamental, aos sete anos. Na prática, o governo estadual, que dispõe de recursos e técnicos capacitados, indica como os municípios - a maioria pobres - devem conduzir suas políticas. (Págs. 1 e A16)

Governo apressa PCHs
Governo acelera processo de licenciamento de pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) para incluí-las no leilão previsto para dezembro. São pelo menos nove projetos, que somam 1,4 mil MW. O maior deles é São Manoel, de 700 MW, no rio Teles Pires (MT). (Págs. 1 e A4)
ACS ganha mais US$420 milhões
Brasil e Ucrânia vão aumentar o capital da binacional Alcântara Cyclone Space (ACS) em US$420 milhões, em partes iguais. A empresa é responsável pelo desenvolvimento do foguete Cyclone 4 e a construção de sua base de lançamento em Alcântara (MA). (Págs. 1 e B9)
Bancos apostam no ´private equity´
Bancos ampliam sua atuação em “private equity” para estreitar o relacionamento com as empresas, oferecer opções de investimento aos clientes e buscar fontes mais rentáveis para alocar o capital próprio. “Temos sentido muito interesse de investidores”, diz Fernando Buso, do Bradesco. (Págs. 1 e C16)
Janela cambial
Valorização do dólar abre espaço para oportunidades na bolsa brasileira. Exportadoras estão no foco do mercado, mas desempenho da economia chinesa é visto como entrave para recuperação. (Págs. 1 e Dl e C2)
Judicialização da guerra fiscal
Balanço das ações diretas de inconstitucionalidade (Adins) que questionam leis estaduais que provocam a guerra fiscal entre Estados mostra que já foram impetradas quase 150 Adins no Supremo Tribunal Federal sobre o assunto. (Págs. 1 e El)

Ideias
Delfim Netlo

A crítica a Mantega padece de fundamento. Ele não pode ter errado quando instituiu o IOF e quando o eliminou. (Págs. 1 e A2)

Ernesto Lozardo

A sociedade brasileira não aceita o retorno da inflação de dois dígitos, tampouco da recessão. (Págs. 1 e A16)

Governo vai reduzir valor de outorga do trem-bala para atrair investidores (Págs. 1 e A3)

Anglo American ainda espera ter lucro com projeto Minas-Rio (Págs. 1 e B11)


------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas

Manchete: Delegado indiciado 
Acusação é de homicídio qualificado contra ex-namorada.

Concluído o inquérito, o delegado Geraldo do Amaral Toledo Neto, de 40 anos, é apontado como autor do tiro na cabeça que matou Amanda Linhares dos Santos, de 17 anos, na estrada de Lavras Novas, em Ouro Preto, em 14 de abril. Com um agravante: cometeu o assassinato por motivo fútil. A pena prevista é de 12 a 30 anos de prisão. Além disso, o policial responderá ainda à Justiça, com cinco pessoas, entre as quais sua advogada, Maria Amélia Tupynambá, por ter tentado esconder provas, o que configura crime de fraude processual, cuja pena é de três meses a dois anos de detenção. Ele continuará preso por prazo indeterminado. (Págs. 1 e 19)

Uma rua sufocada 
Platina virou sinônimo de engarrafamento e desordem.

Degradada, com asfalto e sinalização precários e estreita para o volume de tráfego que recebe, a Rua Platina, nos bairros Prado e Calafate, vive em constante congestionamento e em meio a um festival de irregularidades. Como a predominância é de prestação de serviços e comércio na via, a procura por estacionamento é alta. Porém, quase não há vagas, o que leva muitos motoristas a pararem em local proibido, pontos de ônibus e nas calçadas, piorando a disputa por espaço com os pedestres, que já não respeitam os poucos locais de travessia. A fila dupla, também comum, pode impedir o fluxo de 2 mil veículos por hora. A BHTrans informa que há um projeto de requalificação da rua em estudo, mas ainda sem data de conclusão nem de implantação. (Págs. 1 e 17)

TRF-MG nasce abarrotado 
Novo tribunal começará a operar com 201 mil processos.

Criado por emenda constitucional promulgada na semana passada, juntamente com mais três unidades, com sedes no Amazonas, Bahia e Paraná, o Tribunal Regional Federal de Minas já surgirá com acúmulo de processos e uma taxa de congestionamento - percentual de ações não solucionadas a cada ano - de 78%. Os dados são de um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Segundo o levantamento, a implantação dos quatro órgãos custará R$ 922 milhões, dos quais R$ 272,5 milhões só para o de BH. Defensores do novo tribunal sugerem reforço na estrutura, com 25 desembargadores e não apenas 20 como consta do estudo. Lembram também que parte do aparato do TRF1, com sede em Brasília, que hoje atende o DF, Minas e mais 12 estados, poderia ser transferida para cá. (Págs. 1 e 3)

Dólar bate recorde e inflação segue alta
Cotação fechou em alta de 0,56%, com a moeda a R$2,148, maior valor em quatro anos. Pela primeira vez no ano, Banco Central fez duas intervenções para tentar conter a disparada. Alimentos já dão sinais de que não haverá alívio no custo de vida este mês. (Págs. 1 e 10 e 11)
Notas fiscais: Lojas ganham mais um ano para discriminar impostos (Págs. 1 e 12 e editorial, 8) 


Execução no Fórum: Ex-marido de juíza morta em Mato Grosso é preso (Págs. 1 e 7)


------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio
Manchete: Arena de oportunidades
Comerciantes ao redor do estádio veem na Copa das Confederações chance de aumentar faturamento. (Págs. 1 e Esportes 4)

Fotolegenda: Obras
No lado de fora da Arena Pernambuco, últimos detalhes estão sendo preparados para receber o público que vai ver Espanha x Uruguai, no domingo. Para melhorar o acesso ao estádio, parte da BR-232 passa por recapeamento. No Aeroporto do Recife, PF aperta o cerco contra a entrada de drogas e produtos sem nota.

Taças expostas

Réplicas das taças conquistadas pelo Brasil, além de camisas usadas pelos atletas da seleção, podem ser vistas a partir de hoje no Círculo Militar. (Págs. 1 e Esportes 3)

Pagamento feito

O governo estadual pagou à Odebrecht, ontem, a primeira parcela pela construção da Arena, no valor de R$ 395 milhões. (Págs. 1 e Economia 3)

Ingressos à venda

Fifa reabriu a venda de bilhetes para jogos da Copa das Confederações. Ainda há tíquetes para ver o Brasil. Espanha x Uruguai tem poucas entradas. (Págs. 1 e Esportes 5)

Metade dos morros aguarda lonas
Faltando 10 dias para início do inverno, Prefeitura do Recife instalou 602.960 m² de lona. Meta era proteger mais de 1 milhão de m². (Págs. 1 e Cidades 1)
Feirão da Caixa começa na próxima sexta
São 23.800 unidades, a maioria com valor até R$ 170 mil, para atender o público do Minha Casa, Minha Vida. (Págs. 1 e Economia 6)
Ferrovia deve ficar pronta em 126 anos
Média da Transnordestina é de 13,7 km por ano. Nesse ritmo, só acaba em 2139. (Págs. 1 e Economia 1)
Eduardo torce para Governo Dilma dar certo
Governador condenou quem aposta no declínio econômico para se beneficiar. (Págs. 1 e 4)
Docentes fazem dossiê criticando estrutura da UFPE (Págs. 1 e Cidades 5)


------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete: 120 carros novos da BM parados por falhas nos freios
Veículos Fiesta recém-comprados estão fora de operação na Capital e Interior. Ford diz ter recebido reclamação e promete investigar problema.(Págs. 1 e 32)

Fotolegenda: Viaturas adquiridas pela Brigada neste ano estão estacionadas em batalhão de Porto Alegre.

Emprego: Trabalhador está mais velho e mais qualificado
Pesquisa mostra evolução da mão de obra na Região Metropolitana nas últimas duas décadas. (Págs. 1 e 16)
Justiça: R$ 922 milhões para criação de Cortes federais
Estudo do Ipea diz que novos tribunais regionais serão ineficientes. (Págs. 1 e 6)
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico

Manchete: Real sob efeito de incertezas e especulação
A perspectiva negativa dada ao Brasil e suas empresas por agências de classificação de risco, o desempenho da economia mais baixo do que o esperado e uma onda de especulação sobre mudanças na equipe do governo estão mexendo com os títulos do mercado financeiro e refletindo nas cotações do câmbio. Como mostra o colunista Luiz Sergio Guimarães, a briga entre “comprados e vendidos” pressiona a valorização do dólar. Mas as forças de mercado não abalam o governo. Ontem, o secretário de Política Econômica, Márcio Holland, disse, que o Brasil vai mostrar “com tranquilidade” que a economia está crescendo de maneira firme. Para analistas, o momento é de exão: “a lua de mel acabou”, afirma Carlos Guzzo. (Págs. 1, 3, 4, 18, 19 e 21)
O rei do gado agora também é rei do frango
Acordo firmado com a Marfrig para compra da marca Seara faz a JBS, de Wesley Batista, assumir a liderança do mercado mundial de aves. O negócio inclui a transferência de R$ 5,85 bilhões em dívidas para o novo controlador. (Págs. 1, 10 e 11)
Funai: Mudanças agravam o conflito
Coincidência da renúncia da presidente da Fundação, Marta Azevedo, por motivo de saúde, com a troca do diretor-executivo da Polícia Federal, Paulo de Tarso Teixeira, evidencia as dificuldades do governo em lidar com a questão indígena. (Págs. 1 e 9)
Produtividade: País tem custo de trabalho recorde
Na comparação internacional, o custo subiu 112% no Brasil, entre 2001 e 2010, enquanto no Japão, no mesmo período, cresceu só 9% e nos EUA caiu 14% naquela década. O levantamento é da Firjan com base no Bureau de Estatísticas americano. (Págs. 1 e 6)
Colunistas: Esportes
Chico Silva revela que o Botafogo sofrerá um baque nas finanças com a interdição do Engenhão. Em 2013, perderá R$ 38 milhões. (Págs. 1 e 25)
------------------------------------------------------------------------------------
EBC Serviços
Postar um comentário