Frase do dia

“O amor é tudo”
(Jesus Cristo)







domingo, 9 de junho de 2013

Bom dia! Vamos com as principais notícias dos jornais e revistas deste domingo, 9 de junho.Aniversário de Iguaba Grande continua com shows. Uma cavalgada vai percorrer a cidade, hoje, a partir das 12h. A concentração será na Praça Estação, de onde os participantes vão sair em direção ao bairro Chácara das Rosas



O Estado de S.Paulo
'Alckmin politiza a questão da segurança', diz Cardozo
O Globo
Família S/A: Políticos empregam parentes até em partidos
Estado de Minas
A Guerra das Tribos
Zero Hora
Um raio X dos 491 km de estradas devolvidos pelas concessionárias
*
Veja
Terror islâmico
Época
Especial Pós-graduação
IstoÉ
Religião: A face impiedosa e obscura de Madre Teresa de Calcutá
Carta Capita
Joseph Stiglitz
*
Jornais internacionais
The New York Times (EUA)
EUA ajudam aliados a combater hackers iranianos
Le Monde (França)
Antiterrorismo: como Obama utiliza as gigantes da internet
El País (Espanha)
Ajuste proposto nas pensões é um dos mais duros da UE
Clarín (Argentina)
Provas contra Boudou por irregularidades


O Globo
Manchete: Família S/A: Políticos empregam parentes até em partidos
Nas 30 legendas legalizadas, familiares ocupam pelo menos 150 cargos de direção.

De salário a consultoria, tudo é pago com dinheiro publico repassado pelo fundo partidário.

Se fosse possível resumir em uma denominação as siglas partidárias brasileiras, um bom nome seria Partido da Família S/A. Nos 30 registrados no Tribunal Superior Eleitoral, há pelo menos 150 parentes de políticos em cargos de direção, revela Chico de Gois. São cônjuges, irmãos, tios e primos muitas vezes remunerados para fazer negociações políticas e financeiras. Os ganhos incluem de salário a consultorias que o dirigente dá ao partido que comanda — tudo legalmente pago com o dinheiro público do fundo partidário. No PTC, cinco dos 14 membros da Executiva tem o sobrenome Tourinho. (Págs. 1 e 3 e 4)

Herança indesejada de R$ 50 bi
Os custos com subsídios ao BNDES e os incentivos do governo em desonerações para turbinar o Pibinho farão com que o próximo presidente deixe de contar com R$ 50 bilhões só em 2015. Especialistas também alertam para alta do déficit externo do país. (Págs. 1 e 31 e 32)
2013, o ano que ainda não começou (Págs. 1 e 33)

Os sobreviventes de uma guerra
Em cinco anos, o número de acidentes com vítimas no Rio aumentou 62%. Vinte ruas concentram quase a metade das colisões e atropelamentos (Págs. 1 e 14 e 15)
Conflito indígena: Lentidão para julgar ocupações
Por causa de processos que se arrastam sem definição na Justiça, fazendas ocupadas há mais de dez anos por índios em Sidrolândia (MS) viraram grandes aldeias. (Págs. 1 e 9)
Madeiras da Amazônia: Exportações sem chancela legal
Sem ter certeza da legalidade da extração, nove estados da Amazônia Legal exportam US$ 625 milhões em madeiras por ano, incluindo ipê, cedro, cerejeira e imbuia. (Págs. 1 e 37)
De cara nova: Harlem, o bairro da moda em NY
Com novos moradores de classe média (muitos deles brancos), empreendimentos comerciais e restaurantes, o Harlem deixou para trás a fama de perigoso e virou região cobiçada. (Págs. 1 e 38)
Rio 2017
O Globo a Mais tem edição grátis sobre o legado dos eventos. (Págs. 1 e 23)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo
Manchete: ‘Alckmin politiza a questão da segurança’, diz Cardozo
Ministro da Justiça afirma que governador quer se isentar do problema; ele nega ser candidato em 2014.

Após um período de desgaste sofrido com protestos de índios e com uma investigação ainda sem resultado sobre os boatos do fim do Bolsa Família, o ministro dá Justiça, José Eduardo Cardozo, entra em nova polêmica. Ele afirmou a Vera Rosa que o governador Geraldo Alckmin (PSDB) politiza a segurança pública ao culpar a falta de policiamento nas fronteiras pela escalada da violência no Estado. “Querer atribuir a subida da violência a algo que está melhorando é se isentar do problema.” Apesar do discurso de candidato, ele nega que vá enfrentar Alckmin em 2014. Sobre a questão indígena, Cardozo afirmou que quer criar um “fórum de negociação” para Mato Grosso do Sul.

José Eduardo Cardozo
Ministro da Justiça

“A responsabilidade (pelo falta de segurança) é do Estado brasileiro”. (Págs. 1 e Política A4)

Para Mantega, nota de risco do País vai melhorar
O ministro da Fazenda, Guido Mantega,acredita que a agência de risco Standard & Poor’s terá de mudar a perspectiva negativa anunciada para o País. Na quinta, a agência ameaçou rebaixar a nota do Brasil de “estável” para “negativa”. Em entrevista a João Caminoto e Ricardo Grinbaum, o ministro diz que a economia ganhou velocidade, a inflação começou a cair e defendeu a política fiscal. (Págs. 1 e Economia B1 e B3)

EUA não analisam dados que coletam
Falhas de segurança ocorrem nos EUA não por falta de informações, mas por incapacidade de analisá-las, diz João Roberto Martins Filho, ex-presidente da Associação Brasileira de Estudos de Defesa. Das empresas gigantes da internet somente o Twitter hesitou em facilitar o acesso do governo aos dados de usuários. (Págs. 1 e Internacional A13 e A16)

Personagem: Orgulho que virou decepção 
A prostituta Nilce Machado, de 53 anos, milita na luta contra doenças sexualmente transmissíveis. Ela foi convidada para campanha do Ministério da Saúde, mas a peça foi vetada. (Págs. 1 e E4)
Pedro Malan: Difícil travessia
O prematuro lançamento da campanha pela reeleição da presidente sugere que voltarão variantes do “nunca antes na história deste País”. (Págs. 1 e Espaço Aberto A2)

Notas & Informações: Cada vez maior a farra fiscal
O ministro Guido Mantega respondeu com mais uma de suas bravatas à agência S&P. (Págs. 1 e A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense
Manchete: Filho de general que chefiou DOI-Codi é diretor da Abin
Adjunto da Agência Brasileira de Inteligência e bastante influente na comunidade de espionagem, Ronaldo Martins Belham ingressou no então SNI, na década de 1980, antes do primeiro concurso do órgão, em 1999. Seu pai, o general da reserva José Antônio Nogueira Belham, era o chefe do DOI-Codi do Rio de Janeiro, na época em que o ex-deputado federal Rubens Paiva desapareceu, após ser preso. Marcelo Rubens Paiva, escritor e filho do político, disse ao repórter João Valadares temer que o acesso do agente a documentos da época possa até obstruir a circulação de informações sobre o período. (Págs. 1 e 2).
Servidor: Juventude invade o setor público
Sem experiência e seduzidos pela estabilidade, jovens saem da faculdade direto para as repartições. Média de idade dos servidores federais diminuiu 10 anos em uma década. Para especialistas, há risco para a qualidade do serviço. (Págs. 1, 9 e 10)
Se a eleição fosse hoje, a inflação influenciaria o voto.
(Págs. 1 e 14)
Os EUA são alvo de nova denúncia de espionagem
(Págs. 1 e 18)
Índios disputam terra em 17 estados
Etnia briga com fazendeiros e madeireiros por territórios que, por lei, lhe pertecem, e que somam 35km² - seis vezes o tamanho do Distrito Federal. (Págs. 1 e 8)
------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas
Jornal Impresso
Manchete: A Guerra das Tribos
Skinheads neonazistas e punks encabeçam a violência entre as gangues de BH

Corpos malhados, portando armas brancas e até pedras e correntes, eles se encontram à noite em regiões nobres da capital, como as praças da Liberdade e da Savassi, para medir forças e brigar por território.
Há ainda os góticos e emos, menos agressivos, e todos são monitorados pela Polícia Militar. Os grupos mais radicais são formados, em sua maioria, por jovens que respondem por agressão, lesão corporal, vandalismo e tráfico de drogas. Os neonazistas são acusados ainda de crimes intolerância racial, religiosa e sexual. Em abril, o skinhead Antonio Donato Baudson Peret, de 25 anos, chocou as redes sociais ao postar foto na qual aparece estrangulando com corrente um morador de rua negro.
(Págs. 1, 21 e 22)
Transparência: Nota fiscal vai mostras os impostos
Varejistas e prestadores de serviços serão obrigados por lei, a partir de amanhã, a exibir nas notas fiscais os valores de sete tributos federais, estaduais e municipais embutidos nas contas pagas pelo consumidor.
(Págs. 1 e 14)
Espionagem: Eles monitoram conexões de internet no mundo todo
(Págs. 1 e 17)
Educação: Delegação mineira busca fórmula do ensino chinês
(Páginas 1, 24 e 25)
Pressão na Câmara por ingresso grátis para Jogos da Copa
A chamada da bola da Câmara dos Deputados, formada por parlamentares ligados aos esportes, perdeu o sossego. É assediada até no cafezinho por colegas que desejam ingressos para os jogos da Seleção Brasileira na primeira fase da Copa das Confederações, contra o Japão, sábado, México, dia 19, e Itália, dia 22.
(Págs. 1 e 3)
------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio
Manchete: Cuidado com o Dr. Google
(Pág. 1)
Descontrole urbano do Recife em pauta
(Pág. 1)
Dilma perde oito pontos na popularidade
(Pág. 1)
Mandela é internado em estado grave
(Pág. 1)
Ação contra o INSS não prescreve mais
(Pág. 1)
------------------------------------------------------------------------------------
Veja
Terror islâmico
As conexões brasileiras do atentado de 1994 em Buenos Aires (Pág. 1)
Novo Escândalo
Como o governo de Barack Obama espiona os cidadãos americanos (Pág. 1)
Manchete: A verdade sobre José Dirceu
Uma biografia não autorizada conta a transformação do jovem militante em um exímio manipulador político, homem de negócios e condenado que: sequestrou - teve múltiplas identidades - chantageou Lula (Pág. 1)
------------------------------------------------------------------------------------
Época
capa
Especial Pós-graduação
Como estudar no MIT, em Harvard, Princeton, Stanford... de graça - e sem sair de casa (Pág. 1)
Entrevista
"Se o PSDB assumir o governo, não teremos mais que 22 ministérios", diz Aécio Neves (Pág. 1)
Exclusivo: Padre Marcelo
"Como a fé me ajudou a evitar uma depressão"

Novos estudos revelam porque a crença sincera e as orações contribuem para o equilíbrio emocional
(Pág. 1)
------------------------------------------------------------------------------------
ISTOÉ
Religião: A face impiedosa e obscura de Madre Teresa de Calcutá
(Pág. 1)
Sexo e dinheiro: A incrível herança de madame Devaux, a cafetina que encantou o Rio de Janeiro
(pág. 1)
Manchete: São Paulo Capital do Crime
Como a omissão das autoridades que deveriam zelar pela segurança e a absoluta falta de respostas da polícia colocaram a maior metrópole do País de joelhos, vítima da barbárie e da banalização da vida. Execuções à luz do dia e assassinatos cruéis aterrorizam uma população cada vez mais indefesa

Execução à luz do dia
Na sequência, a vítima se ajoelha, pede pela vida e mesmo assim é executada. Logo após, os criminosos fogem
(Pág. 1)
------------------------------------------------------------------------------------
ISTOÉ Dinheiro
Dólar: Governo corre atrás do prejuízo para salvar o câmbio
(Pág. 1)
Pão de Açúcar: Raio X do lucro que não para de crescer
(Pág. 1)
Luxo: Até onde vai a febre dos apartamentos de até 80 mi
(Pág. 1)
Manchete: Votorantim vai à bolsa
Conglomerado industrial da família Ermírio de Moraes quebra paradigma e abre capital da joia da coroa do grupo, a Votorantim Cimentos, e tenta captar 10 bilhões. Conheça os detalhes da operação

José Roberto Ermírio de Moraes, presidente
"Acreditamos na melhora dos mercados internacionais e confiamos na capacidade do Brasil de realizar grandes obras de infraestrutura (Pág. 1 )
------------------------------------------------------------------------------------
Carta Capital
Joseph Stiglitz
A desigualdade é a causa da crise, prova o Nobel de Economia (Pág. 1)
Congresso
Projetos reacionários dominam a pauta na Câmara e no Senado (Pág. 1)
Manchete: O Rio esquecido
A vasta porção da metrópole à margem dos investimentos da Copa e das Olimpíadas (Pág. 1)
------------------------------------------------------------------------------------
---------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora
Manchete: Um raio X dos 491 km de estradas devolvidos pelas concessionárias
Teste ZH nos polos de pedágio de Lajeado e Caxias do Sul mostra como a EGR e o Dnit recebem rodovias após fim dos contratos.

Rosane de Oliveira - Melhorou ou piorou? Resposta em seis meses.

Carlos Rollsing - Faltaram obras e preços mais justos. (Págs. 1 e 10 e 21 a 23)



Incêndio da Kiss: Justiça não tem data para definir futuro de Schirmer
Decisão do TJ sobre prefeito de Santa Maria pode anular depoimentos e audiências já realizadas. (Págs. 1 e 26 e 27)
------------------------------------------------------------------------------------
EBC Serviços
Postar um comentário