Cultura de Cabo Frio tem meio milhão de reais para financiar projetos artísticos

Quem quer dinheiro?
Walter Biancardine

Faltando pouco mais de vinte dias para o término das inscrições do PROEDI – Programa Municipal de Editais de Fomento e Difusão Cultural de Cabo Frio – o Secretário de Cultura José Facury lembra a todos os produtores artísticos, grupos e entidades culturais que o Programa é uma oportunidade ímpar: 
- Estamos não apenas viabilizando a produção, distribuição e circulação de produtos culturais da cidade, mas também estendendo o aprendizado sobre como obter recursos na iniciativa privada e nas esferas governamentais, afirmou.


Facury destaca que um dos principais méritos do PROEDI é justamente este caráter didático, que irá guiar todo o processo de montagem de projeto e captação de recursos, diante de programas como a Lei Rouanet, entre outros, além da facilidade para se inscrever:

- Temos vários locais onde estão sendo feitas as inscrições para o processo de seleção: Sala Chico Tabibuia, que fica na sede da CODESTAM (no antigo prédio da subprefeitura de Tamoios), e no Jardim Esperança o Centro Cultural Anderson Gigabyte além, é claro, da própria Secretaria de Cultura. São R$ 500 mil a serem distribuídos entre os quarenta projetos selecionados, disse o Secretário.

Antes e depois
Um ponto que o Secretário José Facury faz questão de lembrar é a dificuldade que todos os agentes culturais tem em adequar seus projetos dentro da linguagem e das regras determinadas por lei. Segundo ele, ainda existe uma ilusão de que seria mais fácil simplesmente “pedir dinheiro” a um empresário ou a um órgão governamental do que seguir os trâmites corretos:

- Isso não leva a lugar nenhum. Primeiro porque afasta o artista do processo correto de captação de recursos e segundo porque pode significar dependência de favores e simpatias pessoais. Pensando nisso a Secretaria de Cultura formou um grupo de pessoas treinadas para ensinar e auxiliar os proponentes a adequarem suas propostas aos parâmetros exigidos. Assim, através deste aprendizado, o agente cultural estará apto a montar corretamente seu projeto e conseguir recursos de acordo com as normas vigentes em qualquer lugar do país, informou.

Sonho que se torna realidade
Ver sua criação exposta ao público é, talvez, o maior anseio do artista. José Facury afirma que o PROEDI é o caminho para que uma ideia se torne algo concreto:

- Deixando de lado o aspecto legal do processo, é inegável o desejo que todos nós, artistas, temos de ver nossos sonhos exibidos à opinião e ao eventual aplauso do público. Quantas ideias maravilhosas não dormem nas gavetas de seus criadores unicamente porque eles ainda não encontraram um caminho para produzi-las? A comissão que irá selecionar estes trabalhos será composta por artistas e pessoas que entendem do assunto, e eu gostaria muito de ter tido – anos atrás – uma chance como essa, afirmou Facury.

Os recursos para os projetos estão divididos nas seguintes faixas:
a) até R$ 6 mil – 25 projetos de pessoas físicas/jurídicas
b) até R$ 16 mil – 10 projetos de pessoas físicas/jurídicas
C) até R$38 mil – 5 projetos de pessoas físicas/jurídicas

Os projetos deverão ser inscritos no Cadastro Geral de Ocupações e Atividades Culturais da Secretaria de Cultura, conforme formulários disponíveis também no site da Prefeitura Municipal de Cabo Frio, através do link www.cabofrio.rj.gov.br/editais.aspx

As inscrições estão abertas até o dia 28 de junho nos locais citados acima, e informações adicionais podem ser obtidas diretamente na Secretaria de Cultura de Cabo Frio
0