Frase do dia

“O amor é tudo”
(Jesus Cristo)







segunda-feira, 10 de junho de 2013

Em gafe, Nadal dá adeus a Mandela, ainda vivo: 'Descanse em paz'

Pelo Twitter, espanhol erra e diz que ex-presidente sul-africano está morto. Depois, por porém, se desculpa: 'Que ele esteja conosco por muito tempo'
O estado de saúde de Nelson Mandela é dos mais graves. Internado em um hospital em Pretória desde o último sábado, o ex-presidente da África do Sul sofre com uma grave infecção pulmonar. As fontes oficiais dizem que o político tem quadro estávelRafael Nadal, porém, deve ter ouvido informações diferentes. Em seu Twitter, o campeão de Roland Garros se despediu do sul-africano.
- Hoje perdemos uma das pessoas mais importantes e relevantes do nosso mundo. Descanse em paz #NelsonMandela – afirmou o espanhol em seu tweet.
Nnadal Mandela Twitter (Foto: Reprodução / Twitter)Nnadal se despede de Nelson Mandela pelo Twitter (Foto: Reprodução / Twitter)

Em poucos minutos, vários seguidores contestaram a informação divulgada por Nadal.
- Não creio que a notícia seja verdadeira – disse um dos seguidores do espanhol.
Minutos depois, Nadal se deculpou. Em mais um tweet, disse ter acreditado em uma notícia errada e desejou vida longa a Mandela.
- Tive uma informação equivocada e, por ora, #NelsonMandela não nos deixou. Que ele esteja conosco por muito tempo, o que fez estará sempre – disse.
Ao que parece, Nadal acreditou em um tweet de Roberto Ampuero, embaixador do Chile no México. Mais cedo, ele publicou sobre a possível morte de Mandela. Depois, porém, disse ter visto a informação no jornal "El Pais".
Esta é a quarta internação de Mandela desde dezembro. O uso da palavra "sério" para descrever seu estado intensificou preocupações sobre a saúde do ex-político, reverenciado em todo o mundo como um símbolo da perseverança e da reconciliação.

Mandela passou 10 dias internado no fim de março, também por uma infecção pulmonar, provavelmente vinculada às sequelas de uma tuberculose que contraiu durante sua detenção na ilha-prisão de Robben Island. Nesta prisão, ele passou 18 dos 27 anos de detenção, durante o regime do apartheid, obrigado a trabalhar em uma pedreira, o que afetou para sempre seus pulmões.
O ex-presidente apareceu bastante fragilizado nas últimas imagens divulgadas, em abril, durante uma visita a sua residência das principais autoridades do país. Nestas imagens ele foi visto sentado em uma cadeira, com um cobertor sobre as pernas. Seu rosto não expressava qualquer emoção.
Postar um comentário