Garotinho: "Vizinhos, Sérgio Cabral, Pezão e Lindbergh fogem do povo"


A República do Leblon confraterniza: Cabral, Pezão e Lindbergh; abaixo manchete do Globo online
A República do Leblon confraterniza: Cabral, Pezão e Lindbergh; abaixo manchete do Globo online


O protesto na esquina da casa de Cabral, no Leblon, vem ganhando adesões e depois do jogo do Brasil, mais gente pretende ir para lá. Agora há pouco um grupo de motoqueiros se juntou ao protesto contra Cabral. 


Muitos de vocês não devem saber, mas Cabral, Pezão e Lindbergh são todos vizinhos no Leblon. A mídia que ainda os protege - embora agora com restrições impostas pelo povo - o governador-ditador, seu vice, e o senador petista cheio de indicados no seu governo, não faz alarde sobre essa notícia interessante.

Para quem não sabe, Pezão mora na Rua Rainha Guilhermina, Lindbergh, na Rita Ludolf, e curiosamente, a via que separa os dois é a Aristides Spínola, onde está o prédio de Cabral.

Eu sei que alguns de vocês vão perguntar: mas o Lindbergh não mora em Nova Iguaçu, não foi prefeito lá? Ora, ele apenas alugou um apartamento lá, um ano antes de se candidatar a prefeito, só para ter domicílio eleitoral. Claro, depois que deixou a prefeitura de Nova Iguaçu quis distância da Baixada Fluminense, se mandou para o Leblon, para pertinho de Cabral e Pezão.

Pois vejam a ironia do destino. Desde ontem com as manifestações e vigília no Leblon, ao lado de onde mora Cabral, Pezão e Lindbergh, o "trio calafrio" tremeu de medo e se exilou longe do Leblon. Cabral foi para Mangaratiba curtir o fim-de-semana, afinal é um irresponsável, não sei se Pezão foi matar saudades de Piraí, e não sei o rumo certo de Lindbergh. Mas como podem ver o povo - ainda que provisoriamente - botou a República do Leblon para correr.


Em tempo: Não vai demorar o dia em que o cabeça da República do Leblon não passará de um auto-exilado, quase fugitivo, escondido em Paris. 
0