Frase do dia

“O amor é tudo”
(Jesus Cristo)







sexta-feira, 21 de junho de 2013

Manifestação em Búzios acaba em confronto com a polícia

No final da manifestação, grupo tentou quebrar ônibus da Salineira.Polícia usou gás e balas de borracha para conter manifestantes.

Do G1 Região dos Lagos
Manifestantes em Búzios protestaram contra o preço da passagem de Ônibus (Foto: Divulgação/Iniciativa Popular Búzios)Manifestantes protestaram contra o preço dos ônibus
 (Foto: Divulgação/Iniciativa Popular Búzios)
Assim como em diversas cidades do país, o final da manifestação em Armação de Búzios, Região dos Lagos do Rio, realizada ontem (20), terminou em confronto com a polícia. Por volta das 19h, término da manifestação, um grupo decidiu se encaminhar para o pórtico da cidade. Lá, eles pararam um ônibus da empresa Salineira e interditaram por uma hora a rodovia RJ-102.
A Polícia Militar acompanhou os manifestantes de perto, sem interferir no ato, até que um grupo resolveu pichar o ônibus e atirar pedras contra o veículo. Os PMs utilizaram gás lacrimogênio e balas de borracha para conter os manifestantes.


Cinco pessoas foram detidas e encaminhadas para a delegacia de Búzios. Não há registro oficial de feridos. Depois desta confusão, a manifestação na cidade terminou de vez.
Jovens fizeram cartazes contra o preço da passagem de ônibus (Foto: Divulgação/Iniciativa Popular Búzios)
Jovens fizeram cartazes contra o preço da passagem
de ônibus (Foto: Divulgação/Iniciativa Popular Búzios)
Saiba como foi a manifestação
Duas mil pessoas paticipam da manifestação em Armação dos Búzios, na Região dos lagos do Rio de Janeiro, segundo a Polícia Militar. Os manifestantes seguram cartazes e faixas reinvidicando contra o preço da passagem dos ônibus, que custa R$ 4,00 para a linha intermunicipal e R$ 2,80 para a linha municipal.

Os manifestantes foram para a frente da prefeitura da cidade. Por volta das 15h desta quinta-feira, os ônibus da empresa Salineira não entravam na cidade. A ordem foi dada pela própria emprersa para, segundo ela, preservar a integridade dos passageiros e funcionários caso aconteça alguma depredação e ataque aos coletivos.
O diretor administrativo da empresa, Gerson Luís da Silva, disse que a empresa busca baixar o preço da passagem. ''A gente entende que devemos desonerar de alguma forma a tarifa para melhorar para o usuário'', declarou o diretor.
Postar um comentário