Frase do dia

“O amor é tudo”
(Jesus Cristo)







sábado, 22 de junho de 2013

Página oficial do TSE no Facebook começa a funcionar em caráter experimental


Facebook do TSE

Já está em funcionamento, em caráter experimental, a página do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no Facebook no endereço www.facebook.com/tsejus. A entrada do Tribunal na rede de relacionamentos faz parte da política de ingresso do TSE nas chamadas novas mídias, que incluem o microblog Twitter e o portal de vídeos YouTube. 


Dos 27 Tribunais Regionais Eleitorais (TREs), 14 têm fanpages oficiais no Facebook: Acre, Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins.
No caso do TSE, o ingresso no Facebook começou a ser debatido no ano passado, com a criação de um grupo de trabalho para definir a utilização da rede social como mais uma forma de comunicação da Justiça Eleitoral com o cidadão. A partir da criação desse grupo, ficou definida a designação de um servidor específico para atualizar a nova página.

O jornalista Alexandre Sena, responsável por esse trabalho, informou que a ideia é chegar especialmente ao universo do público jovem, o mais engajado nas novas mídias. “Por enquanto, as postagens replicam o conteúdo da agência de notícias do TSE e dos Tribunais Regionais Eleitorais, mas o objetivo é a criação de conteúdo exclusivo”, observa.

Alexandre diz ainda que está prevista a criação de uma política de moderação para atender aos internautas que deixam seus comentários ou dúvidas na página. “Isso aqui é semente do futuro Núcleo de Redes Sociais do TSE”, comemora.

Apesar de estar operando em caráter experimental, a página do TSE no Facebook já tem quase 4 mil ‘curtidas’ e, na avaliação de Alexandre Sena, “a visibilidade do perfil será cada vez maior, já que ano que vem haverá eleições gerais”.
Informações sobre Biometria e Ficha Limpa estão entre os principais temas tratados pelos internautas na página do TSE no Facebook. Os pedidos de esclarecimentos mais detalhados são encaminhados para o Núcleo de Informações ao Cidadão (NIC) do Tribunal.

“Somente a postagem sobre o novo site da Biometria teve mais de mil visualizações e curtidas em poucas horas”, afirma Alexandre Sena. Ele destaca que uma dificuldade ainda presente é a de levar o internauta a acessar o conteúdo das postagens, pois muitas vezes as pessoas veem a chamada, curtem, mas não clicam no link que dá acesso ao inteiro teor das matérias.

O Facebook é uma rede social criada por um grupo de estudantes da universidade de Harvard, no estado de Massachusetts (EUA), que começou a funcionar no dia 4 de fevereiro de 2004. Oito anos depois, atingiu a marca de um bilhão de usuários em todo o mundo.

Twitter
A entrada do TSE no microblog começou em 2010, com o objetivo de aproximar ainda mais a Justiça Eleitoral do cidadão, esteja ele no Brasil ou no exterior, uma vez que o perfil sem fronteiras proporcionado pela internet permite o acesso a informações e dados em qualquer parte do mundo.

Essa ferramenta de comunicação se caracteriza pela rapidez e objetividade na transmissão de informações, em textos curtos, com no máximo 140 caracteres, capazes de alcançar milhares de pessoas em um curto período. 
A página oficial do TSE no Twitter está disponível no endereço http://twitter.com/tsejusbr e conta com mais de 42,1 mil seguidores e cerca de 4,6 mil postagens.

O Twitter já foi adotado como importante ferramenta de comunicação e prestação de serviços por praticamente todos os Tribunais Regionais Eleitorais. Só não aderiram, ainda, ao microblog os TREs do Pará e de Mato Grosso do Sul. YouTube
Há cerca de três anos no ar está também o canal oficial do TSE no maior portal de vídeos da web, o YouTube, fruto de uma parceria do Tribunal com a empresa Google, administradora do site.

Pelo YouTube, o internauta pode assistir aos julgamentos do Plenário do TSE, ver vídeos de campanhas institucionais, reportagens e documentários sobre eleições, funcionamento da urna eletrônica e recadastramento biométrico.
Também estão disponíveis programas como o Brasil Eleitor, produzido sob a supervisão da equipe de jornalismo do Tribunal, com transmissão pela TV Justiça e TV Cultura, e o Giro Eleitoral, programa semanal que traz as principais informações da Justiça Eleitoral nos Estados.

O canal do TSE no YouTube tem mais de 1,7 mil inscritos, dois mil vídeos postados e mais de 660 mil visualizações, e pode ser acessado no endereço http://www.youtube.com/justicaeleitoral.
 
AR/LC

Postar um comentário