Frase do dia

“O amor é tudo”
(Jesus Cristo)







sexta-feira, 26 de julho de 2013

Bom dia! Confira os destaques dos principais jornais desta sexta-feira, 26 de julho. Sobram vagas para consultas com clínico geral e especialistas no PAM em Cabo Frio | Resultado positivo é consequência do novo sistema da Central de Marcação



Desde que o novo sistema de marcação de consultas foi implantado, há quatro meses, a Central de Marcação de Consultas de Cabo Frio já apresentou  diversas melhorias. Com a principal mudança, em que a primeira consulta deve ser sempre com um clínico-geral, os resultados positivos estão cada vez mais visíveis.

Os moradores que procuram a central para marcar a primeira consulta não saem de lá sem conseguir agendar seu horário. Isso porque, a Prefeitura Municipal de Cabo Frio investiu na contratação de médicos generalistas para atender a população e atualmente, o PAM conta com 18 médicos clínicos gerais. Com isso, há uma oferta de vagas bem maior do que a demanda. Durante a semana são oferecidas 560 vagas para atendimento com um clínico-geral e, desse total, em média, são ocupadas cerca de 70% das vagas.

 - Se uma pessoa tem necessidade de se consultar com um clínico-geral, não há necessidade de vir para a central durante a madrugada. A qualquer hora do dia haverá vaga suficiente para atender a população. Toda semana sobra vaga para clínico-geral, afirma a coordenadora da central, Bruna Durães.

O Globo

Manchete: Jornada Mundial da Juventude - Lamaçal impede vigília e missa, na maior falha de organização
Prefeitura não revela total gasto na preparação do Campus Fidei, que receberia 2 milhões de fiéis

Em nova missa da Jornada Mundial da Juventude, ontem, em Copacabana, sistema de transporte voltou a apresentar problemas. Público enfrentou número de ônibus insuficiente, filas nas estações do metrô e taxistas cobrando corridas no tiro

A prefeitura e a organização da Jornada Mundial da Juventude anunciaram ontem a transferência das celebrações que aconteceriam em Guaratiba, na Zona Oeste, para a Praia de Copacabana. Por causa da chuva dos últimos dias, o aterro sobre o mangue do Campus Fidei, que vinha sendo preparado desde o ano passado para receber dois milhões de pessoas, não resistiu e virou um imenso lamaçal. Foi a terceira e pior falha da visita do Papa Francisco ao Rio, até agora: na chegada à cidade, ele acabou engarrafado no Centro, e a abertura do evento foi marcada pelo caos nos transportes. Para o vice-presidente do comitê organizador, dom Paulo Cesar Costa, manter os eventos em Guaratiba seria irresponsável. Ninguém esclarece quanto foi gasto no Campus Fidei, onde eram finalizados um palco de 75 metros de largura, 15 postos médicos, 4.400 banheiros e 52 torres de som. Poucos ônibus, filas no metrô e cobranças abusivas nos táxis marcaram a missa de ontem em Copacabana. (Págs. 1 e Caderno Especial)

O que vai mudar
Só hoje prefeitura divulga esquema de transportes para os próximos eventos.

Agora, todos os caminhos levam a Copacabana
Praia vira o principal altar do Papa durante a Jornada

Palco de festas de réveillon e shows de rock históricos, a Praia de Copacabana acabou transformada no principal altar papal da Jornada Mundial da Juventude. Durante cinco dias, sendo quatro consecutivos, o lugar terá recebido três missas, uma vigília e a representação da Via Sacra. O prefeito Eduardo Paes pediu compreensão aos moradores pelos transtornos de última hora. Durante a Missa da Acolhida, o Papa Francisco foi recebido ontem como astro pop. (Págs. 1 e Caderno Especial)

A tristeza de Guaratiba

Como no filme "O banheiro do Papa', a esperança de bons negócios que seriam proporcionados pela visita de Francisco cedeu lugar à frustração entre os vizinhos do enlameado e descartado Campus Fidei. (Págs. 1 e Caderno Especial)

Para Papa, só a pacificação não basta
Em visita à Favela de Varginha, em Manguinhos, ele também pregou que os jovens não desanimem diante de notícias de corrupção. (Págs. 1 e Caderno Especial)
PM muda estratégia em protestos de rua (Págs. 1 e 10)


Polícia procura pedreiro em mata na Rocinha (Págs. 1 e 10)


Ibope de Dilma segue o de Cabral e é pior no RJ (Págs. 1, 8 e 9)


------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Maior evento do papa muda por falha no planejamento
Campus Fidei, em Guaratiba, virou lamaçal por causa das chuvas • Vigília e missa são transferidos para Copacabana • Ontem à noite, pontífice apelou aos fiéis para que se voltem à espiritualidade

O lamaçal em que se transformou o Campus Fidei - área onde seriam realizadas a vigília e a missa de encerramento da Jornada Mundial da Juventude, em Guaratiba - levou os organizadores e a prefeitura do Rio a transferir os eventos para Copacabana. A mudança, provocada pela chuva, obriga a prefeitura do Rio a reorganizar as estruturas de transporte, segurança e atendimento médico. Duas etapas da programação mudaram: a peregrinação foi cancelada e a vigília prevista para a noite inteira entre sábado e domingo será interrompida à noite, após a oração com o papa Francisco, e retomada pela manhã, para missa de encerramento. Esse foi o terceiro contratempo enfrentado pela organização. Houve erro de trajeto, que deixou o pontífice em congestionamento, e uma pane no metrô tumultuou o transporte.Ontem à noite, na Praia de Copacabana, o papa apelou aos fiéis para que se voltem à espiritualidade. Segundo os organizadores, havia 1 milhão de pessoas. (Págs. 1 e Metrópole A13 a A20)

Encontro com argentinos

Em discurso improvisado a um grupo de 5 mil argentinos, o papa pediu uma Igreja “barulhenta" que “saia às ruas" e depois desabafou em tom de crítica ao esquema de segurança no Brasil: “Como é ruim estar enjaulado”. (Págs. 1 e A20)

Cai aprovação de governadores e Dilma após atos
Pesquisa CNI/Ibope divulgada ontem mostra que as manifestações populares, em junho, derrubaram a popularidade da presidente Dilma RoussefF e de governadores. Entre os 11 pesquisados, Sérgio Cabral (PMDB-RJ) teve a maior queda: apenas 12% consideraram seu governo ótimo ou bom. No caso da presidente, esse porcentual ficou em 31%. (Págs. 1 e Política A4)
Emprego crescerá em ritmo mais lento, diz Mantega
O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse em entrevista ao Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado, que não há risco de um ciclo de desemprego no Brasil. Ele previu que o emprego continuará crescendo, mas em ritmo menor. (Págs. 1 e Economia B1)
'Não desanimem na luta anticorrupção’
Em visita à favela da Varginha, o papa disse que o esforço de pacificação do governo do Rio não será uma solução duradoura enquanto os problemas sociais não forem atacados. Num discurso político e enfático, o papa ainda convocou os jovens a continuar a protestar contra a corrupção e - por mudanças no Brasil. “A realidade pode mudar”, disse. “Não desanimem.” (Págs. 1 e A14)
Dilma veta fim de multa no FGTS (Págs. 1 e Economia B3)


Espanha pode sair do leilão de trem (Págs. 1 e Economia B4)


Homicídio tem 3º mês de redução (Págs. 1 e Metrópole A21)


Dora Kramer 
Fracasso de bilheteria

O descontentamento não tem ideologia nem preferência partidária. Raro é o governador que chega aos 40% de boa avaliação popular. (Págs. 1 e Política A6)

Notas & Informações
Dilma defende multa indevida. Resta ao Congresso derrubar o veto da presidente ao fim da multa adicional sobre o FGTS. (Págs. 1 e A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense

Manchete: A apoteose de Francisco
Nem a chuva nem o frio impediram que mais de 1,5 milhão de fiéis lotassem a orla de Copacabana para ver e ouvir o papa. Foi um dia de agenda cheia. E dos mais contundentes discursos de Francisco desde que chegou ao país na segunda-feira. Ao visitar a comunidade da Varginha, ele criticou o programa de pacificação das favelas no Rio. Afirmou que nenhum esforço será duradouro se uma sociedade “abandona na periferia parte de si mesma”. Cobrou sensibilidade dos endinheirados e dos governantes. “Ninguém pode permanecer insensível às desigualdades.” Pediu que a Igreja saia às ruas para não correr o risco de virar uma ONG. E conclamou os jovens a não se abaterem diante da corrupção e das injustiças sociais. “Nunca desanimem” disse. “A realidade pode mudar, o homem pode mudar."

Chuva interdita o Campo da Fé. Prejuízo chega a R$ 5 milhões.

Transporte e segurança são alvos de críticas.

Encenação da via-crúcis ocupará a orla de Copacabana. (Págs. 1, 2 a 4 e Superesportes, 9)

Governo abandona reforma da Previdência
Sem apoio do Congresso e com medo dos protestos de rua, o Planalto desistiu de implementar a idade mínima para aposentadoria e de limitar os auxílios-doença e as pensões. “É muito difícil discutir reforma da Previdência neste momento”, admitiu o ministro Garibaldi Alves Filho. (Págs. 1 e 8)
Crédito para a casa própria bate recorde (Págs. 1 e 11)

Coração manda Serra e Genoino para a cirurgia (Págs. 1 e 7)


Estupro: UnB investiga alunos acusados de apologia ao abuso sexual (Págs. 1 e 21)


------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico

Manchete: CDBs perdem espaço no mercado
O velho Certificado de Depósito Bancário (CDB), perto de completar 50 anos, continua sendo o carro-chefe entre os instrumentos de captação de recursos dos bancos, com estoque de R$ 622,9 bilhões. Desde 2010, porém, o estoque de CDBs já se reduziu em quase um terço, cedendo espaço a papéis mais jovens, como as letras financeiras e as letras de crédito imobiliário (LCI) e agrícola (LCA).

As diferentes modalidades de letras já somam um saldo equivalente a 60% do estoque de CDBs, ou R$ 371,8 bilhões. Esses papéis nasceram com atributos que o CDB não tem. As letras financeiras e de crédito, por exemplo, são isentas do recolhimento do compulsório. Na prática, isso significa que o banco fica com mais dinheiro disponível para emprestar se captar com letras do que com CDBs. Além disso, as letras financeiras, criadas há apenas quatro anos, garantem ao banco uma estabilidade no passivo. Por lei, não podem ter vencimento inferior a dois anos, enquanto os CDBs têm liquidez diária. O CDB tem vencimento médio de nove meses, considerando-se as estimativas de resgate antecipado. Já as letras financeiras têm prazo médio de 26 meses. (Pás. 1 e C1)

Philco amplia a produção em Manaus
O marca Philco, criada em 1892 nos EUA e que no Brasil já trocou de mãos três vezes, está sendo reativada pela Britânia, sua dona há pouco mais de cinco anos. A empresa vai entrar em novas categorias de produtos e fabricá-los na Zona Franca de Manaus. Neste ano começa a produção de smartphone e ar-condicionado "split". A Philco, que em 2012 faturou R$ 760 milhões, já tem autorização da Suframa para fabricar tablets, TV de plasma, tocador de DVD e microondas. (Págs. 1 e B5)
Fotolegenda: A teologia da esperança
"À Mesa com o Valor", o teólogo e ex-frade Leonardo Boff fala de sua fé na renovação da igreja pelo papa Francisco, da decepção com o PT e de meio ambiente. (Págs. 1 e Eu&Fim de Semana)
Déficit fiscal muda China, prevê Pettis
O professor Michael Pettis, da Universidade de Pequim, prevê que o crescimento da China não deve superar 3% a 4% ao ano de 2013 a 2023, período em que Xi Jimping deve governar. Pettis disse ao Valor que o grande volume da dívida, nem toda contabilizada pelo governo, está no coração do problema chinês. Ele cita estimativas de que o déficit fiscal verdadeiro da China está entre 10% e 25% do PIB e não em 2%. As dívidas financiam investimentos. "Isso não pode continuar para sempre", diz Pettis. (Págs. 1 e A12)
China vai investir US$ 277 bi para reduzir poluição do ar (Págs. 1 e A9)


Eli Lilly avalia entrar no segmento de 'genéricos de marca’, diz Gay-Ger (Págs. 1 e B1)


Dissídios coletivos aumentam
Desaceleração da economia e não pagamento de PLR fizeram praticamente dobrar o número de dissídios coletivos julgados pelo Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, em São Paulo, nos cinco primeiros meses deste ano. (Págs. 1 e A3)
Negócios Sustentáveis
Dono de uma das matrizes energéticas mais limpas do mundo, baseada no etanol e na hidreletricidade, o Brasil tem como desafio manter sua trajetória sustentável ao longo dos próximos anos, foco do Plano Nacional de Energia 2050, que começa a ser preparado pelo governo. (Págs. 1 e Caderno Especial)
Ameaças ao trigo
A quebra da produção na safra argentina, as geadas na Região Sul do Brasil e a falta de estoques poderão levar o país a enfrentar dificuldades no abastecimento interno de trigo no primeiro semestre do próximo ano. (Págs. 1 e B12)
Recorde imobiliário
O crédito imobiliário teve no primeiro semestre seu melhor resultado desde o Plano Real. Nos seis primeiros meses do ano foram desembolsados R$49,6 bilhões em empréstimos com recursos da poupança, alta de 34% em relação a igual período de 2012. (Págs. 1 e C12)
Resiliência nas discussões fiscais
Ao menos no curto prazo, o impacto da lei que vincula a atuação da Receita às decisões dos tribunais superiores será pequeno, na avaliação de tributaristas, já que a interpretação inicial da norma pela Procuradoria da Fazenda Nacional tende a ser restrita. (Págs. 1 e E1)
Ideias
Maria Cristina Fernandes

A distância entre o clero e a tragédia social do país não tem como ser encurtada por um único jesuíta. (Págs. 1 e A6)

Adriana Machado

Brasil tem conquistado reconhecimento da comunidade mundial por ter um ecossistema de inovação significativo. (Págs. 1 e A11)

------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas

Manchete: ‘Nunca desanimem’
Francisco critica desigualdade e conclama jovens a não desistir da luta contra a corrupção

No quarto dia da visita ao Brasil, o papa adotou um tom político em seu discurso, ao visitar a comunidade de Varginha, no complexo de Manguinhos, no Rio de Janeiro, onde abençoou crianças. Ele disse que a desigualdade econômica e social é intolerável e pediu aos jovens que não percam a confiança: “Vocês têm sensibilidade especial frente às injustiças, mas muitas vezes se desiludem com a corrupção. Nunca desanimem. O homem pode mudar”.

À noite, Francisco foi recebido por 1,5 milhão de fiéis na Praia de Copacabana para a Missa da Acolhida e fez novo apelo aos jovens para que se voltem para a espiritualidade: “Bote fé que a vida terá um sabor novo”.

Em Belo Horizonte, famílias que hospedaram participantes da Jornada Mundial da Juventude guardam boas lembranças dos dias de convivência. (Págs. 1, 3, 4 e 6)

Em alta: Mineiro eleva crediário da casa própria
Financiamento de imóveis no estado movimentou R$ 3,8 bilhões no primeiro semestre, alta de 57,5% em relação ao mesmo período de 2012. Taxa de expansão superou a brasileira (34%) e deve ser maior nos próximos meses, com a inclusão de imóveis de até R$ 750 mil no sistema. (Págs. 1 e 11)
Sinal verde: Obra do BRT dá mais tempo para pedestres
Duração dos semáforos para travessia de pedestres será ampliada e o tempo de espera será menor, após a conclusão de mudanças no trânsito das ruas do Hipercentro de Belo Horizonte. (Págs. 1, 17 e 18)
------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio

Manchete: Nova estratégia contra tubarões
Cientistas vão identificar espécies envolvidas em ataques através de bonecos com chips lançados ao mar. Mãe de Bruna, morta em Boa Viagem, falou pela primeira vez sobre o caso. (Págs. 1 e Cidades 4 a 6)
Multidão encanta Francisco
Mais de um milhão de pessoas enfrentaram frio e chuva para ver o papa em evento da Jornada Mundial em Copacabana.

Palavras de incentivo à luta contra corrupção

Ao visitar favela, pontífice encorajou jovens e disse que, com desigualdade social, nenhuma paz é duradoura. (Págs. 1 e 9 a 14)

Aprovação de Eduardo é a maior do País
Governador de Pernambuco teve 58% de avaliação “ótima ou boa” em pesquisa CNI/Ibope. Dilma segue caindo. (Págs. 1 e 3)
Greve na Petrobras ameaça abastecimento (Págs. 1 e Economia 1)


Fotolegenda: Último adeus
Após série de homenagens, corpo de Dominguinhos deixa a Assembleia. Ele foi sepultado ontem, em Paulista. À noite, show arrecadou fundos para apoiar a família. (Págs. 1, Capa dois e Caderno C, 1 e 12)
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete: A apoteose de Francisco
Diante de uma multidão de 1,5 milhão de pessoas, em Copacabana, Papa disse que a “fé é mais forte que o frio”. (Págs. 1 e 4 a 18)
Foi, mas não foi: Exportações gaúchas infladas por plataforma
Vendas externas teriam alta de 11,8%, mas operação realizada só no papel gerou salto para 30,9%. (Págs. 1 e 32)
Alerta aos governadores: Pesquisa mostra efeito de protestos de junho
Entre 11 gestões avaliadas, Tarso Genro tem o terceiro mais baixo índice de ótimo e bom. (Págs. 1 e 20)
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico

Manchete: Empresas endurecem negociação salarial
Com a retração da economia, as primeiras categorias que fecharam acordo este ano obtiveram ganhos reais menores do que esperavam. A expectativa de especialistas é que 2013 seja pior para o trabalhador do que o ano passado. (Págs. 1, 12 e 13)
Popularidade de governos não resiste aos protestos
Pesquisa CNI/Ibope mostra baixa avaliação de governadores e mais queda de Dilma. (Págs. 1 e 3)
EUA têm domínio total da informação
Silvio Meira, cientista chefe do C.E.S.A.R., alerta que o governo dos EUA tem acesso fácil aos dados do mundo na internet e com apoio da lei do próprio país, já que os gigantes da web – Facebook, Google e Twitter – são empresas norte-americanas. “Eles dominam esse mercado de uma forma quase total, muito mais do qualquer outra categoria na história da economia mundial”. (Págs. 1 e 4 a 7)
Crédito: Financiamento imobiliário subiu este ano 34%, o maior crescimento no semestre desde 1995 (Págs. 1 e 19)


Frio: Clima agora põe em risco produção de cana e trigo do Paraná e Mato Grosso do Sul (Págs. 1 e 10)


------------------------------------------------------------------------------------
EBC Serviços
Postar um comentário