Bom dia! Vamos com as principais notícias dos jornais desta segunda-feira, 1º de julho.Após pesquisa, base endurece com Dilma e faz cobranças


Diante do recuo da popularidade e da intenção de voto na presidente, governistass admitem votar contra medidas defendidas pelo Planalto no Congresso e devem recusar, entre outros, o projeto que inibe a criação de mais partidos. Aliados também cobram trocas na articulação política e no Ministério da Fazenda. A presidente Dilma Rousseff, que esteve fechada ontem em conversas com assessores e oito ministros, comanda hoje uma reunião de seu Ministério. Segundo o titular das Comunicações, o encontro se destina a "colocar todos os ministros a par das resoluções do governo, dos encaminhamentos e também fazer recomendações de como conduzir" as medidas de resposta às manifestações de protesto das últimas semanas. "Muda a relação do Congresso com a presidente, ela vai ter que dialogar mais para aprovar os projetos propostos, inclusive vai ter que abrir um canal com a oposição", adverte o deputado Lúcio Vieira Lima, cacique do PMDB baiano, "A pesquisa foi um desastre. Agora vamos ter que remar tudo de novo. Vai ser uma eleição dura, acabou a brincadeira. Jogaram uma eleição fora em 30 dias, vai ter que recompor o governo. A Dilma vai ter que, realmente, ter um governo de coalizão, senão vai ficar sozinha", disse um senador líder de partido aliado.
Rede Brasil de Notícias



----------------------------------------------------------------------------------------------------

O Globo

Manchete: Olé Brasil bate Espanha por 3 a 0 e conquista Copa das Confederações em jogo eletrizante
Com grande atuação e sob gritos de “olé" dos 73.531 torcedores que lotaram o Maracanã, a seleção brasileira venceu a Espanha ontem por 3 a 0 e conquistou o tetracampeonato da Copa das Confederações. Os espanhóis, celebrados mundo afora por seu futebol de toque de bola refinado, tombaram diante do talento de Neymar, autor de um gol, do oportunismo de Fred, que marcou duas vezes, do goleiro Júlio César, que, além de excelente partida, teve sorte numa cobrança de pênalti desperdiçada pelo zagueiro Sergio Ramos, e de todo o time brasileira, cuja aplicação foi acima da média. “Foi melhor do que a gente esperava, fechamos com chave de ouro", disse Neymar, eleito o melhor jogador da partida e da competição. “Com todo o respeito à Espanha, o futebol tem uma hierarquia, o Brasil é pentacampeão do mundo", afirmou Júlio César. “A gente sabe que vem aí um campeonato muito mais forte (a Copa de 2014). Mas é um caminho que podemos trilhar com mais confiança" disse o técnico Luiz Felipe Scolari. Do lado de fora do Maracanã, manifestantes protestaram pacificamente pela manhã, à noite, porém, um grupo isolado atacou policiais do Batalhão de Choque e houve confronto.

Dia e noite.
Cinco mil protestaram pacificamente no Rio até o entorno do Maracanã. Mais tarde, outro grupo, de mil pessoas, entrou em confronto com o batalhão de choque, deixando oito feridos

(Págs. 1, Caderno Esportes e País, 6 e 7)

Na crise, Dilma convoca ministério
A presidente Dilma marcou para hoje reunião ministerial e quer mostrar que o governa não está paralisado. Entre os aliados, cresce a percepção de um “volta Lula" para 2014. (Págs. 1, 3 e 4)
Governo tem máquina cara e pesada
Para fazer funcionar os seus 39 ministérios, o governo federal gasta por ano R$ 192,8 bilhões só com pessoal. Depois dos protestos, até partidos aliados já defendem cortes. (Págs. 1 e 3)
Rio cresce bem mais que o país
Com pré-sal, Copa e Olimpíadas, economia do estado deve crescer quase o dobro que a do Brasil até 2016, diz Itaú Unibanco. Renda média fluminense já é superior à brasileira. (Págs. 1 e 19)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Após pesquisa, base endurece com Dilma e faz cobranças
Queda de aprovação no Datafolha leva aliados a contestar ‘cartilha’ do Planalto; ministros se reúnem hoje


Diante do recuo da popularidade e da intenção de voto na presidente, governistass admitem votar contra medidas defendidas pelo Planalto no Congresso e devem recusar, entre outros, o projeto que inibe a criação de mais partidos. Aliados também cobram trocas na articulação política e no Ministério da Fazenda. A presidente Dilma Rousseff, que esteve fechada ontem em conversas com assessores e oito ministros, comanda hoje uma reunião de seu Ministério. Segundo o titular das Comunicações, o encontro se destina a “colocar todos os ministros a par das resoluções do governo, dos encaminhamentos e também fazer recomendações de como conduzir” as medidas de resposta às manifestações de protesto das últimas semanas. (Páginas 1 e Política A4)

Dono da festa e campeão
Enquanto cerca de 5 mil pessoas protestavam nos arredores do Maracanã, a seleção brasileira fazia 3 a 0 na até então invicta Espanha - gols de Fred (2) e Neymar - e conquistava a Copa das Confederações pela quarta vez, a terceira consecutiva
Privatização do Maracanã. Figurantes protestam em cerimônia. (Págs. 1 e D3)

Análise: José Roberto de Toledo
Dilma e o ketchup
Ninguém sabe quantos tapas pode dar no fundo da garrafa antes de ela despejar uma dose indesejada de ketchup. Quando se percebe, é tarde demais. Foi a que aconteceu com a popularidade de Dilma. (Págs. 1 e Política A6)

Para cumprir meta fiscal, governo mexe no BDNES
Decreto publicado em edição extra do Diário Oficial da União na sexta à noite alterou o estatuto do BNDES para incluir mudanças na distribuição de dividendos para seu acionista, a União. A alteração ocorre pouco tempo depois de o governo ter editado a Medida Provisória 618, que autoriza o Tesouro Nacional a injetar mais R$ 15 bilhões, cm títulos públicos, para reforçar o capital do BNDES. (Págs. 1 e Economia B1)
Milhões no Egito pedem saída de Morsi (Págs. 1 e INTERNACIONAL A8)


TIMOTHY GARTON ASH : Big Brother voltará como PPP
O que a parceria público-privada de espiões e empresas sabe a respeito de nós ultrapassa o sonho mais excitante de um general da Stasi. (Págs. 1 e INTERNACIONAL A1O)
ROBERTO LUIS STROSTER: ‘Una cosa è parlare di morire...'
Muitos questionam se o Congresso traduz anseios do povo. A abolição da reeleição para cargas legislativos pede corrigir algumas distorções. (Págs. 1 e ECONOMIA B2)
NOTAS & INFOR MAÇÕES: O BC se resguarda
BC afasta-se da gestão da política econômica do governo para reconstruir sua credibilidade. (Págs. 1 e A3)
Memórias do cárcere
Barack Obama visita a prisão de Robben Island, onde Nelson Mandela passou 18 dos 27 anos em que esteve preso. (Págs. 1 e INTERNACIONAL A10)
------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense

Machete :: E o Brasil deitou, e rolou
A Seleção Brasileira deu olé na equipe espanhola na final da Copa das Confederações. A confiança da Espanha, que quase beirava a arrogância, foi destruída por três gols e por um esquema rigoroso de marcação e de faltas dos brasileiros. Até passes os adversários erraram—uma coisa rara para uma equipe que tem, há cinco anos, um constante domínio das situações de jogo (estava invicta há 29 partidas oficiais).
E tudo começou logo no primeiro minuto, quando Fred, deitado, conseguiu empurrar a bola para o gol . “Ô, o campeão voltou”, cantaram 73 mil pessoas presentes. Agora, é tetra deste torneio e o maior vencedor dos campeonatos organizados pela Fifa. (Págs 1 e Superesportes 2 a 11)

Merenda dos estudantes é guloseima, diz IBGE (Págs. 1 e 6)


Pau e pedra
No Rio, ativistas aproveitaram o jogo do Brasil para protestar contra a privatização do Maracanã. O enviado especial João Valadares presenciou o choque com a PM. Em Brasília, a Marcha das Crianças trouxe leveza aos atos. (Págs. 1, 2,18 e 19)
Milhões exigem saída do líder egípcio, Morsy
Um ano após sua posse, o presidente Mohamed Morsy enfrenta a maior manifestação de rua desde a Primavera Árabe. A multidão atacou o quartel-general da Irmandade Muçulmana e avisou: o 30 de junho será lembrado como “o dia da segunda revolução”. (Págs. 1 e 12)
------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico

Desvalorização de commodities ameaça balança
Os preços das principais commodities exportadas pelo Brasil estão em queda no mercado internacional, colocando em dúvida a capacidade do país de gerar saldos positivos na balança comercial. O recuo dos preços é uma das razões que levaram a empresa de consultoria Rosenberg e Associados a revisar de US$ 9 bilhões para US$ 3 bilhões a estimativa de superávit comercial em 2013 - o Banco Central mudou sua projeção de US$ 15 bilhões para US$ 7 bilhões.

"Estamos vivendo o inverso do que tínhamos entre 2005 e 2010, quando a exportação brasileira bateu recordes por causa da elevação de preço das commodities", diz Sílvio Campos Neto, economista da Tendências Consultoria.
(Págs. 1 e A4)

Fotolegenda: Vitória : Em jogo no 'novo' Maracanã, o Brasil derrotou a Espanha, a atual campeã do mundo, e ganhou a Copa das Confederações. Neymar foi considerado o melhor jogador do torneio. (Págs. 1 e A14)


Estádios do Brasil são os mais caros
Os estádios que estão sendo construídos no Brasil são os mais caros do mundo. O custo médio de cada assento construído é de US$ 5.886, em comparação com US$ 5.299 na África do Sul em 2010, US$ 3,442 na Alemanha, em 2006, e US$ 5.070 na Coreia/Japão, em 2002. Esses cálculos foram feitos pelo Instituto Braudel, com base em critério internacional da ONG Play the Game, uma entidade da Dinamarca cujo objetivo é fortalecer a ética no esporte.

Em 2007, após ganhar o direito de ser a sede da Copa de 2014, o custo total dos estádios que seriam construídos ou reformados foi estimado em US$ 3,25 bilhões. Em 2011, esse valor havia subido para US$ 6,42 bilhões e, em 2013 chegou a US$ 6,99 bilhões.
(Págs. 1 e A14)

Lula descarta disputar Presidência
No mesmo dia em que foi divulgada pesquisa Datafolha mostrando que a preferência pela presidente Dilma Rousseff nas eleições de 2014 caiu 21 pontos e que ela não venceria no primeiro turno, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a descartar a Presidência e afirmar que Dilma será sua candidata.

Em sua primeira entrevista depois dos protestos que levaram milhares de pessoas às ruas, Lula afirmou ao Valor Pro, serviço de notícias em tempo real do Valor, que as manifestações são normais em uma democracia e provam que a sociedade brasileira vive como uma "metamorfose ambulante".
(Págs. 1 e A6)

Itaú BBA capta US$ 1,5 bi em mercado arisco 
Em meio ao movimento de fuga de capitais do Brasil e de outros países emergentes, o Itaú BBA fechou na sexta-feira uma captação externa de US$ 1,5 bilhão. Os recursos foram obtidos com um sindicato de 35 bancos e entram no caixa da tesouraria e podem ser usados, por exemplo, para financiar clientes com demanda de linhas de crédito em dólar pelo conglomerado Itaú Unibanco.

Os recursos foram captados em duas tranches. A primeira, de US$ 1,23 bilhão, terá prazo de três anos e custo equivalente à taxa do mercado interbancário de Londres (Libor) mais 1,40%. A outra, de US$ 270 milhões, será de quatro anos e custará 1,55% acima da Libor.
(Págs. 1 e C3)

BTG Pactual deve retirar garantia da oferta da MPX
O BTG Pactual vai retirar a garantia de colocação para a oferta pública de ações da MPX, braço de energia do Grupo EBX, apurou o Valor. Em março, a empresa alemã E.ON comprou uma fatia de 24,5% de ações da MPX que eram de Eike Batista e passou a ter o controle compartilhado da companhia do setor elétrico com o empresário. Uma segunda etapa da operação seria a capitalização da empresa, por meio de uma oferta de ações de R$ 1,2 bilhão.

O BTG deu garantia firme de colocação para 69,44% da distribuição, ou até o limite de R$ 833 milhões, fixando o preço da ação em R$ 10. A E.ON colocou uma ordem de compra para R$ 366,7 milhões restantes. Desde então, as ações da MPX se desvalorizaram; na sexta-feira, valiam R$ 7,55. Não faz sentido uma oferta pública em busca de investidor que pague R$ 10 pelos papéis se eles podem ser comprados por R$ 2,45 a menos.
(Págs. 1 e C1)

Haddad defende elevar impostos para compensar corte de tarifas de ônibus (Págs. 1 e A5)


Títulos públicos do Brasil oferecem melhor retorno na AL (Págs. 1 e C2)


Superávit magro
O superávit primário acumulado de Estados e municípios de janeiro a maio deste ano é o pior para o período desde 1999. A economia de recursos foi dc apenas 0,80% do PIB. (Págs. 1 e A2)
O peso da moeda americana
A valorização de 10% da moeda americana no segundo trimestre pode tirar RS 13,2 bilhões com pagamento de juros e variação cambial das empresas abertas. O cálculo não considera Vale, Petrobras e Eletrobras. (Págs. 1 e B2)
Itambé sob novo comando
Alexandre Almeida, ex-diretor-executivo da área de produtos industrializados da JBS, assume hoje a presidência da Itambé. Em seus planos estão uma possível fábrica de iogurtes e achocolatados no Nordeste, a ampliação de outra em Minas e a ampliação do leque de produtos. (Págs. 1 e B14)
Bancos do Proer
Acordo assinado com os bancos Nacional e Econômico vai possibilitar que, após mais de uma década de embate judicial, o Banco Central receba os recursos públicos do Proer injetados em instituições financeiras falidas na década de 90. (Págs. 1 e C12)
Dúvidas dos estrangeiros
As manifestações das últimas semanas nas principais cidades desencadearam uma série de demandas de investidores estrangeiros por mais informações numa tentativa de se entender o que acontece no Brasil. (Págs. 1 e D1)
Apagão de talentos
Levantamento feito pela Association of Executivc Search Consultants mostra que na opinião de 186 de seus representantes em todo o mundo, os países que mais sofrerão com o "apagão de talentos” neste ano serão China, Brasil e África do Sul. (Págs. 1 e D3)
Direito autoral dá crédito
A Editora do Brasil abriu importante precedente na Justiça ao ganhar o direito de utilizar os créditos do PIS c Cofins sobre os pagamentos efetuados a título de direitos autorais. A sentença, inédita, é da 25ª Vara Federal de São Paulo. (Págs. 1 e El)
Ideias
Fernando Limongi
Diante das recentes manifestações, é presunçoso imaginar que haja uma vontade popular pronta e acabada. (Págs. 1 e A6)
Martin Feldsteln
A inflação permanece baixa nos EUA porque a flexibilização quantitativa não é a mesma coisa que “imprimir dinheiro”. (Págs. 1 e A13)

------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas

Manchete: Em atuação histórica, Brasil arrasa a Espanha no Maracanã. Conquista invicta da Copa das Confederações dá injeção de otimismo para 2014
O campeão voltou! O grito da torcida no Maracanã lotado completou a festa do Brasil, que dominou a favorita Espanha e aplicou um incontestável 3 a 0, com gols de Fred (dois) e Neymar. A vitória de ontem assegurou o tetracampeonato da Copa das Confederações à Seleção Brasileira, quebrou invencibilidade de 29 jogos oficiais dos espanhóis, atuais campeões mundiais, e recolocou a equipe comandada por Luiz Felipe Scolari como uma das candidatas ao título da Copa do Mundo de 2014. (Págs. 1 a 5 e 8)
Longo caminho pela frente
Além de passagens mais baratas, usuários de ônibus cobram pontualidade e conforto no transporte
Reduzir 10 ou 20 centavos nas tarifas de coletivos não diminui a insatisfação de quem usa o serviço, como deixam claro os estudantes que ocuparam a Câmara de Belo Horizonte . Enquanto aguardam audiência com o prefeito Marcio Lacerda, reclamam dos atrasos, da limitação da frota e da precariedade dos veículos, conforme relatos feitos ao Estado de Minas, que acompanha, dia e noite, os manifestantes.
Para especialistas, falta regularidade no serviço, que deveria ser mais bem fiscalizado e tratado como prioridade pelos governos. Em Montes Claros, no Norte do estado, a prefeitura até baixou o preço da passagem em resposta aos protestos, mas as queixas continuam. Em Divinópolis, no Centro-Oeste, se chove, o coletivo não passa em alguns locais. E mesmo num domingo ensolarado é melhor desistir do ônibus.
(Págs. 1, 17 a 20 e o editorial “A urgência do transporte”, 8)

Fora do estádio, manifestação pacífica durante todo o dia. Antes do jogo, confronto com policiais. (Págs. 1 e POLÍTICA 3 E 4)


O CLIENTE SUMIU : Obras do BRT reduzem vendas na Santos Dumont e Paraná (Págs. 1 e 10)


ESCÂNDALO DOS GRAMPOS: Espionagem estremece relações entre EUA e União Europeia (Págs. 1 e 15)


EM CULTURA : Movimentação política entra na pauta da Festa Literária de Paraty (Págs. 1 e Capa)


------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio

Manchete: Fúria brasileira
Nesta capa, a bandeira do Brasil no lugar da bandeira de Pernambuco. Homenagem à conquista espetacular da Copa das Confederações, ontem, no Maracanã (RJ), por 3x0, quando humilhamos a tal “fúria” espanhola.

Nos pênaltis, Itália fica em terceiro
Em Salvador, seleção italiana venceu o Uruguai por 3x2 na prorrogação, depois do empate de 2x2 no tempo regulamentar. (Págs. 1 e copa das confederações 1 a 8)

Manifestações do lado de fora do Maracanã
Grupo atirou pedras e polícia usou gás lacrimogêneo, antes do jogo do Brasil. (Págs. 1 e 8)
Dia difícil para os usuários de ônibus
Greve dos motoristas e cobradores começa hoje. Tribunal do Trabalho manda que 80% da frota esteja nas ruas nas horas de pico. (Págs. 2 e 4)
Os novos pacotes de serviços bancários (Págs. 1 e 5)


------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete: O campeão voltou
No Maracanã lotado, o grito da torcida embalou a vitória da Seleção sobre a até então invicta Espanha, por 3 a 0, e a conquista da Copa das Confederações.

O QUE FICOU
Colunistas de ZH analisam as lições da Copa das Confederações

David Coimbra
Rio tem estrutura e cultura para 2014

Diogo Olivier
Filas, insegurança e trânsito a resolver

Luiz Zini Pires
Falta de transporte perturbou torcedor

Rodrigo Müzell
É preciso mais gente para dar informações

(Págs. 1 e Encarte ZH Esportes)

Fotolegenda: Ser gay é... Mara... Aberração é preconceito. Do lado de dentro do Maracanã, figurantes fizeram manifestação.


Dilma convoca ministros para evitar paralisia
Presidente deve cobrar hoje “resoluções e encaminhamentos” em resposta às ruas

Greve só no dia 11, dizem centrais

O Rio teve dia de protestos e confusão

(Págs. 1 e 4 a 13)

------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico

Manchete: “Corrupção começa na eleição”
Depois de aconselhar a presidente Dilma Rousseff a não convocar uma Constituinte, o presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Marcus Vinicius Furtado, pôs sua entidade à frente da campanha pela realização de um plebiscito sobre a reforma política. Para ele, a corrupção no país tem origem exatamente no processo eleitoral e no financiamento dos candidatos. Em entrevista ao Brasil Econômico, Furtado defende pena de prisão de 3 a 8 anos e cassação de mandato para os políticos que usarem caixa 2. (Págs. 1 e 4 a 7)
FRANQUIAS :: A alta do preço do dólar leva fundos e bancos a investir em empresas. (Págs. 1 e 17)


PETRÓLEO :: Consumo do combustível cresce e importação desequilibra balança do Rio. (Págs. 1 e 11)


INFORME NY :: Protestos aumentaram a curiosidade, e perguntas sobre o Brasil mudaram. (Págs. 1 e 28)


------------------------------------------------------------------------------------
EBC Serviços
0