Frase do dia

“O amor é tudo”
(Jesus Cristo)







quarta-feira, 3 de julho de 2013

Bom dia! Veja as manchetes e as principais notícias dos jornais desta quarta-feira, dia 3 de julho. Em Cabo Frio, Audiência Pública dos Transportes acontece hoje, as 10 horas, no Tamoyo Esporte Clube. Cinco itens estão na pauta apresentada pela Prefeitura: tarifa pública municipal; tarifa limítrofe; levantamento da quantidade de ônibus circulando nas linhas que servem ao município; consulta popular sobre o subsídio que é pago pela Prefeitura à empresa concessionária dos serviços; e abertura da planilha de custos.

Acontece nesta quarta-feira (3/7), uma Audiência Pública de Transportes, convocada pela Prefeitura de Cabo Frio. A audiência acontece no salão nobre do Tamoyo Esporte Clube, no centro da cidade, e vai servir para um debate sobre o transporte público municipal, bem como para dar transparência às ações da Prefeitura em relação ao serviço prestado à população.
Cinco itens estão na pauta apresentada pela Prefeitura: tarifa pública municipal; tarifa limítrofe; levantamento da quantidade de ônibus circulando nas linhas que servem ao município; consulta popular sobre o subsídio que é pago pela Prefeitura à empresa concessionária dos serviços; e abertura da planilha de custos.
A Audiência Pública de Transportes começa às 10h. Além do prefeito Alair Corrêa, do procurador geral do município, Dr. Marcos Menezes, e de autoridades, estarão presentes representantes da sociedade civil, de entidades de classes e a população em geral.


------------------------------------------------------------------------------------------------------
O Globo

Manchete: Depois das ruas...: Base rachada e prazo curto ameaçam plebiscito
Justiça Eleitoral alerta para risco de consulta perder legitimidade.

Mensagem de Dilma ao Congresso propõe que voto popular decida sobre cinco temas, entre eles, financiamento de campanhas, mudança no sistema de eleição e coligações partidárias; parlamentares reagem.

A presidente Dilma Rousseff enviou ontem ao Congresso sua proposta para a realização do plebiscito para fazer a reforma política. Mas as divisões na base governista e o calendário apertado praticamente inviabilizam a execução da consulta a tempo de as novas regras valerem já para as eleições de 2014. 0 plebiscito já virou uma disputa política entre PT e PMDB. A Justiça Eleitoral avisou que precisa de 70 dias para organizar a consulta, pois é proibido realizá-la sem que a população esteja esclarecida sobre o tema. Com isso, dificilmente as mudanças serão aprovadas pelo Congresso até 4 de outubro, um ano antes das eleições de 2014. Nota assinada pela presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Cármen Lúcia, e pelos presidentes dos TREs alerta ainda que, sob pena de o plebiscito perder legitimidade, não há sentido realizá-lo sem que as novas regras vigorem para a eleição subsequente. (Págs. 1 e 3 a 5)

Dilma ouviu queixas até de ministros
Na reunião com a presidente, os ministros reclamaram da demora na liberação de verbas e do baixo ritmo de investimentos. (Págs. 1 e 7)
Bloqueio de rodovias acaba em confronto
No 2º dia de bloqueio de estradas, caminhoneiros entraram em confronto com a polícia na Via Dutra e no Porto de Santos. (Págs. 1 e 9)
Em votação, cinco temas complexos (Págs. 1 e 4)


O Leme quer seu choque de ordem
Com cerca de 15 mil habitantes e pouco menos de um quilômetro quadrado, o Leme tinha tudo para ser um bairro tranquilo do Rio. Mas acumula problemas a cada esquina, como má conservação de ruas e calçadas, moradores de rua, obras eternas, violência e até estacionamento irregular de ônibus, como estes na Avenida Atlântica. (Págs.1 e 14)
Bolsa tem pior nível desde 2009
Saída de investidores estrangeiros e queda na produção industrial derrubaram índice.

O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, fechou em queda de 4,24%, com 45.228 pontos, o menor patamar desde abril de 2009. A queda na produção industrial — que levou bancos e consultorias a reverem projeções do PIB deste ano — e a saída de investidores estrangeiros derrubaram o índice, que também foi fortemente afetado pela queda nas cotações das empresas "X”. (Págs. 1 e 24,25 e Míriam Leitão)

E a OGX derrete
Papéis da petroleira caíram 19,6%. A agência Standard & Poor's rebaixou o rating da empresa para "CCC" com risco de calote. (Págs. 1 e 23)
TCM: empresas de ônibus ainda são investigadas
Presidente do Tribunal de Contas do Município, Thiers Montebello mandou que três auditorias sobre ônibus sejam intensificadas, apesar de o órgão ter dispensado investigação. (Págs. 1 e 15)
Protestos no Egito: Sob pressão, Mursi rejeita ultimato
O presidente do Egito, Mohamed Mursi, decidiu enfrentar os militares e assegurou que não renunciará ao cargo. O ultimato do Exército expira hoje e, segundo fontes, os generais planejam a suspensão da Constituição e do Parlamento como parte de um "mapa do caminho” pós-Mursi. Sete pessoas morreram em protestos no Cairo. (Págs. 1 e 31 e 32 e Helena Celestino)
Corrupção: PF prende três ex-prefeitos
Operação "Violência Invisível" prendeu nove pessoas e desarticulou esquema de compra de precatórios judiciais por prefeituras que envolvia políticos e empresários em Minas e no Espírito Santo. (Págs. 1 e 8)
Procurado a bordo? : Snowden complica voo de Morales
A informação de que o ex-técnico da CIA Edward Snowden estaria a bordo do avião que levaria Evo Morales à Bolívia dificultou o voo, que foi impedido de sobrevoar Portugal e França e teve de ser desviado para a Áustria. (Págs. 1 e 33)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Dilma envia plano de reforma ao Congresso e base aliada já critica
Plebiscito para alteração no sistema político pode sair só em 2014; oposição quer referendo.

A mensagem em que a presidente Dilma Rousseff defende a realização de plebiscito e sugere cinco propostas para alterar o sistema político foi entregue ao Congresso e já recebe críticas até da base aliada. Sem consenso, a consulta popular sugerida deve ficar para 2014 e a tendência é que uma reforma política, se aprovada, só comece a valer em 2016 ou 2018. A bancada do PMDB na Câmara é contra o plebiscito, assim como o PSB. Parlamentares acusam Dilma de ter consciência da inviabilidade de pôr as propostas em prática já em 2014, e tentar beneficiar só a imagem do PT. O governo trabalhava com a ideia de realizar o plebiscito no dia 7 de setembro, mas a Justiça Eleitoral diz que são necessários pelo menos 70 dias. Partidos de oposição querem referendo.


Propostas do Planalto

Financiamento de campanhas
Consulta sobre a forma de financiamento de campanha eleitoral: pública, privada ou mista.

Definição do sistema eleitoral
Questiona se 0 sistema proporcional com lista aberta deve ser mantido ou se passa para voto distrital puro ou distrital misto.

Coligações partidárias
Questiona a manutenção ou não de coligações entre partidos nas eleições proporcionais.

Suplência de senadores
Consulta sobre o fim da suplência.

Voto secreto no Congresso
Avalia a adoção do voto aberto para todas decisões dos parlamentares. (Págs. 1 e política A4 a A6)

Após pressão, Câmara arquiva projeto da ‘cura gay´
A Câmara dos Deputados aprovou ontem o arquivamento do projeto apelidado de “cura gay”. A retirada foi pedida pelo próprio autor, o deputado João Campos (PSDB-GO), depois que seu partido manifestou contrariedade com o projeto, que havia sido referendado duas semanas atrás pela Comissão de Direitos Humanos, sob a presidência do pastor Marco Feliciano (PSC-SP). A proposta perdeu apoio na Casa após ela ter sido rejeitada nos protestos que se espalharam pelo País nas últimas semanas. (Págs. 1 e política A9)
Bloqueios e violência
Manifestantes bloqueiam a rodovia BR-040 em Contagem (MG) contra a má qualidade do transporte. Caminhoneiros foram responsáveis por 29 protestos em 17 rodovias de 9 Estados. Cinco pessoas ficaram feridas, entre elas um menino de 12 anos que levou um tiro na cabeça. (Págs. 1 e Metrópole A12 a A14)
Eike e produção industrial levam Bolsa ao menor nível em 4 anos
A desconfiança cada vez maior dos investidores com os rumos da economia fez o Ibovespa fechar em queda de 4,24% ontem, na maior perda porcentual desde setembro de 2011. Os 45.228,95 pontos são o menor nível desde abril de 2009. Entre os fatores que influíram na queda, segundo especialistas, estão o cenário político, a derrocada das empresas de Eike Batista e a produção industrial, que em maio teve queda de 2% ante abril. (Págs. 1 e Economia B1)
Por meta fiscal, governo estuda elevar imposto
A equipe econômica estuda elevar a cobrança de PIS e Cofins para tentar cumprir a meta de poupar neste ano o equivalente a 2,3% do PIB para o pagamento dos juros da dívida pública, como determinou o Palácio do Planalto. A medida visa a atender o pacto da responsabilidade fiscal, o primeiro de 5 compromissos anunciados por Dilma como resposta às manifestações. (Págs. 1 e economia B6)
Brasil ignora pedido de asilo do espião Snowden (Págs. 1 e Internacional A10)


PF lança em 11 Estados operação anticorrupção (Págs. 1 e Política A5)


Gripe suína matou 215 em SP desde janeiro (Págs. 1 e Metrópole A16)


Líder egípcio propõe reformas constitucionais
O presidente egípcio, Mohamed Morsi, propôs ontem reformas constitucionais e eleições parlamentares antecipadas. Mas garantiu que não deixará o poder, na véspera do fim do ultimato dos militares. Sete pessoas morreram ontem nos protestos. (Págs. 1 e internacional A9)
Daniel Steinvorth: À beira de um abismo
Em vez de livrar o Egito da crise política e econômica em curso, o presidente Morsi aprofundou as mazelas e polarizou o país. (Págs. 1 e Visão Global A10)
José Neumanne: Plebiscito é só embromação
Será que Dilma não nomeou um ministro para cuidar das redes sociais durante as passeatas para não ser o 40º e lembrar um certo conto?. (Págs. 1 e Espaço Aberto A2)
Notas & Informações: O conto do corte social
Com estudado bom humor e cordialidade, Dilma deu uma inusitada entrevista em meio a reunião. (Págs. 1 e A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense

Manchete: Congresso fará reforma paralela ao plebiscito
Para mostrar a insatisfação com a proposta de consulta popular, enviada ontem pelo Palácio do Planalto, oposição e parte da base aliada, liderada pelo PMDB, preparam um contra-ataque ao governo. Uma pauta de projetos de consenso sobre o sistema político pode ser colocada em votação nos próximos meses. A ideia é esvaziar o plebiscito, já que o TSE pediu 70 dias para realizar todo o processo, e a avaliação é que dificilmente as mudanças serão aprovadas antes de 5 de outubro, data-limite para que possam valer no pleito de 2014. Ontem, peemedebistas mandaram dois recados a Dilma: vão pedir a redução do número de ministérios e podem levar a plenário vários vetos. (Págs. 1 e 2 a 4, Nas Entrelinhas, 4, e Brasília- DF- 6, visão do Correio, 12)
Deputado recua e “cura gay” volta para o armário (Págs. 1 e 5)


O gigante do Cairo
A multidão de egípcios continuou a inundar as ruas do Cairo e da cidade de Guizé pedindo a renúncia de Mohamed Morsy. Seis ministros já deixaram o governo. Em pronunciamento à nação, o mandatário disse que sacrifica a própria vida para continuar no cargo. (Págs. 1 e 14)
Benedito é condenado na Pandora
Justiça manda distrital do PP devolver R$ 28 milhões aos cofres públicos. Benedito Domingos foi o sexto envolvido no suposto esquema de corrupção a ser julgado e terá seus direitos políticos suspensos por 10 anos. (Págs. 1 e 21)
Manifestações na pauta do papa
Durante a visita ao Brasil, no fim do mês, Francisco falará aos jovens sobre as reivindicações sociais, que, na avaliação do pontífice, não contradizem o Evangelho. (Págs. 1 e 7)
Mercado em pânico faz Bovespa desabar (Págs. 1 e 8)


Auditores Fiscais vão à justiça por reajuste (Págs. 1 e 11)


------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico
Primeiro Caderno
Manchete: Bancos antecipam R$ 3,6 bi em dividendos ao Tesouro
O Tesouro Nacional recebeu R$ 3,594 bilhões em dividendos dos bancos federais até sexta-feira, último dia útil do mês, para fechar as contas com superávit em junho, segundo dados do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi).

A Caixa antecipou o pagamento de R$ 1,2 bilhão, no dia 27, em dividendos relativos ao lucro do primeiro semestre. O BNDES recolheu R$ 1,985 bilhão no dia 28, sendo a maior parte (R$ 1,2 bilhão) decorrente da mudança no estatuto que permitiu ao banco transformar em dividendos para a União a reserva para futuro aumento de capital. O Banco do Brasil também contribuiu com R$ 409 milhões. (Págs. 1 e A16)

Protesto em estrada afeta produção 
As manifestações que têm bloqueado rodovias do país nesta semana, comandadas pelo Movimento União Brasil Caminhoneiro, afetaram as operações de companhias de logística, que relatam dificuldades em entregar cargas e atender clientes nos prazos programados. A Fiat parou ontem parcialmente a produção de sua fábrica em Betim (MG) por falta de peças. Segundo a montadora, foi realizada uma parada técnica parcial em razão dos problemas no fornecimento. As manifestações também afetaram a fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo (SP), que, na segunda-feira, parou por cerca de duas horas. O motivo foi o atraso na chegada de funcionários em decorrência dos protestos. Também preocupa o fornecimento de combustível. O Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis informou que a situação é mais crítica no Espírito Santo. (Págs. 1 e A4 e B6)
'Efeito X' e mau humor geral provocam baixa de 4,2% na bolsa de SP
A culpa não foi só de Eike Batista, mas as empresas "X" tiveram papel relevante no estrago sofrido pela bolsa ontem, que teve baixa de 4,24%, a maior desde 22 de setembro de 2011. Participantes do mercado apontaram um conjunto de fatores para a onda vendedora que atingiu quase todas as ações - só 2 das 71 do Índice Bovespa tiveram alta.

Vendas pesadas de investidores estrangeiros e a disparada das ordens automáticas para limitar as perdas ampliaram a baixa. Do lado macroeconômico, o mercado digeriu mal o dado de produção industrial, que mostrou queda de 2% em maio. O risco político também foi levado em conta, por causa da agitação provocada pela proposta de plebiscito para reforma constitucional sugerida pela presidente Dilma Rousseff ao Congresso. Além disso, os diversos protestos e as cenas de vandalismo que acontecem pelo país prejudicam a imagem do Brasil perante o investidor estrangeiro. (Págs. 1 e C2)

Bradesco cria universidade corporativa
Com a intenção de capacitar seus funcionários e executivos de forma personalizada, o Bradesco transformou o antigo departamento de treinamento em uma universidade corporativa, a Unibrad. O projeto foi desenvolvido durante um ano e meio e envolveu 200 pessoas na elaboração de cursos, aulas a distância, publicações e eventos para as nove escolas que compõem a nova estrutura. Fisicamente, a universidade não terá uma única sede e vai usar as instalações já existentes em Osasco (São Paulo) e em outras 14 unidades espalhadas pelo país. Segundo Glaucimar Peticov, diretora de RH, a Unibrad também vai apoiar os processos internos de sucessão do banco. (Págs. 1 e D3)
Dilma propôs uma reforma 'conservadora'
A sugestão de reforma política da presidente Dilma contempla basicamente os assuntos que formam a peça de resistência do debate que se arrasta há duas décadas no país. O tripé composto por mudança no sistema eleitoral, financiamento das campanhas e fim das coligações nas disputas proporcionais, foi preservado. É o "núcleo duro", que veio acompanhado de outra velha questão incômoda, tida como aberração: os suplentes de senadores sem voto. A surpresa é o fim do voto secreto no Parlamento. Quatro dos cinco temas propostos são "top of mind" da agenda reformista. A presidente, nesse sentido, fez uma proposta conservadora. (Págs. 1 e A10)
Como o 'dream team' de Eike perdeu o jogo
A OGX, que hoje vive uma crise de credibilidade refletida na desvalorização de sua ação na bolsa, foi formada por um time de executivos brilhantes que o dono da empresa, Eike Batista, chamava de "dream team" ou sua "guarda pretoriana". Na empresa foram trabalhar executivos saídos da Petrobras, entre eles Rodolfo Landim, que foi cotado para presidir a estatal, e Paulo Mendonça, conhecido no grupo de Eike como "Mister Oil". Em 2007, a primeira grande tacada veio com o investimento de US$ 1,4 bilhão para a aquisição de blocos na 9ª Rodada da Agência Nacional do Petróleo.

A equipe sempre foi ousada nas propostas. Aos mais cuidadosos que chamavam a atenção para os riscos e desafios, Eike dizia: "Vocês são todos calça curta. Bermudão", conta um ex-executivo. (Págs. 1 e B9)

Acordo automotivo
O ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, afirmou que o governo espera uma proposta da Argentina sobre o acordo automotivo. Ele disse ser pessoalmente contrário à alteração dos atuais coeficientes de desvio de exportações. (Págs. 1 e A4)
CAF começa a operar
O Comitê de Aquisições e Fusões (CAF), a versão brasileira do ambiente de autorregulação para operações societárias inspirada no Takeover Panel inglês, começa a funcionar no mês que vem conforme anúncio a ser feito hoje. (Págs. 1 e B2)
China investiga
A Nestlé informou que coopera com uma investigação do governo chinês sobre a infração das leis de concorrência no mercado de fórmulas infantis. Três produtoras estrangeiras também são investigadas. (Págs. 1 e B4)
Recorde na exportação de soja
Apesar dos atraso no início dos embarques, as exportações brasileiras de soja bateram recorde no primeiro semestre, com uma receita de R$ 13,85 bilhões, um aumento de quase 16%. (Págs. 1 e B12)
Real sobrevalorizado
Apesar do tombo de quase 9% do real ante o dólar desde o início do ano, a moeda brasileira registra uma sobrevalorização em termos nominais e reais, levando em conta os fundamentos da economia doméstica e a situação internacional. (Págs. 1 e Cl)
US$ 4,2 bi para emergentes
O fluxo líquido de capitais privados para os mercados emergentes alcançou US$ 4,2 trilhões durante os anos de expansão quantitativa do Federal Reserve (Fed) entre 2009-2012. (Págs. 1 e C11)
Aplicações no exterior
Gestores de fundos independentes e ligados a bancos, inclusive estrangeiros, ampliaram a oferta de produtos para aplicar 100% dos recursos no exterior, como permite norma de 2008, por causa do aumento da demanda. (Págs. 1 e Dl)
Sigilo para dados de importação
Empresas obrigadas a preencher a partir de agosto a Ficha de Conteúdo de Importação, que exige informações sobre os produtos que chegam do exterior, devem ter seu sigilo comercial assegurado. (Págs. 1 e El)
Ideias
Martin Wolf
A nova liderança chinesa tenta realizar uma das mais difíceis manobras: desacelerar uma economia em pleno voo. (Págs. 1 e A15)

Márcio Garcia
As respostas à “voz das ruas" provavelmente envolverão mais gastos públicos, em vez de melhora de sua eficiência. (Págs. 1 e A15)

Presidente do Egito reage ao que considera ser um golpe militar contra o governo (Págs. 1 e A13)


Renúncia de ministros causa crise no governo de Portugal (Págs. 1 e A13)


Queda forte na produção industrial
A queda na produção industrial em maio - de 2% sobre abril descontados os efeitos sazonais - foi forte, generalizada e trouxe dúvidas sobre o ritmo dos investimentos, uma das apostas mais firmes da equipe econômica para a recuperação da economia em 2013. A produção de bens de capital recuou 3,5%.
Esse resultado, associado às incertezas criadas pelos cenários externo e interno, reforçaram projeções mais fracas para o comportamento do Produto Interno Bruto deste ano. A percepção dos especialista é que ele pode facilmente testar o piso de 2%. Julio Callegari, responsável pela área de renda fixa do J.P. Morgan Asses Management, vê risco de retração no terceiro e quarto trimestres. (Págs. 1 e A3).

------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas
Jornal Impresso
Manchete: Minas arde
Enquanto BRASÍLIA discute financiamento de campanha (público ou privado), sistema eleitoral (voto majoritário, proporcional, com ou sem lista, distrital etc), extinção do suplente de senador, fim das coligações partidárias, e a abolição do voto secreto no Parlamento, tudo isso visando a formatar questões para consultar a população num PLEBISCITO...

O governo enviou ao Congresso mensagem com sugestão de cinco pontos de reforma política para 2014, a serem apreciados pelos eleitores. O Tribunal Superior Eleitoral informou ser possível fazer a consulta popular a partir de 8 de setembro. Mas especialistas consideram o prazo curto demais para o plebiscito, já visto como inviável pela oposição. Alheios às discussões políticas, caminhoneiros em greve e outros manifestantes voltaram a bloquear estradas, total ou parcialmente, em pelo menos 16 pontos do estado, 13 deles nas BRs 040 e 381. Em Ribeirão das Neves, insatisfeitos com o transporte coletivo, moradores usaram seis ônibus para fechar a 040 e puseram fogo num dos veículos (acima), antes de serem dispersados pela PM. A Justiça Federal expediu liminar proibindo bloqueios promovidos por duas entidades representativas de caminhoneiros em Minas, sob pena de multa de R$ 100 mil por hora.

PF prende ex-prefeitos e empresários por fraudes
Quadrilha que atuava em Minas e outros 10 estados desviou mais de R$ 70 milhões em verba pública. Ex-prefeitos de Montes Claros, Pirapora e Janaúba estão entre os envolvidos.

Greve já afeta abastecimento de alimentos e combustíveis.

Juíza prevê vandalismo pior na Copa do Mundo
Com base no perfil dos menores apreendidos, magistrada da Infância e Juventude de BH alerta que protestos durante o Mundial podem ser mais violentos que os recentes. (Págs. 1 e 3,4,6,13,17 A 21 e o editorial 'Plebiscito inoportuno', na 8)

Aí, que prejuízo: O incrível homem que encolheu
Agência internacional enquadra a petroleira OGX, de Eike Batista, em grupo em situação de calote. O empresário, que chegou a ser o sétimo mais rico do mundo em 2012, viu ontem suas ações caírem quase 20% na Bovespa. (Págs. 1 e 10)
Domésticas: Projeto de Lei começa a tramitar hoje no Senado (Págs. 1 e 12) 


------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio

Manchete: Justiça manda parar greve
TRT fixou reajuste dos motoristas em 7%, considerou o movimento abusivo e ordenou que os ônibus voltem a circular. Apesar da decisão, Recife ainda pode amanhecer sem ônibus. Assembleia da categoria foi marcada para as 10h. (Págs. 1 e cidades 1 e 2)
Comando mundial da Fiat será no Recife
A partir da capital pernambucana, direção da montadora vai gerir a área industrial de suas 158 fábricas espalhadas pelo mundo, incluindo a de Goiana, em obras. O anúncio foi feito ontem, no Estado, pelo presidente do grupo na América Latina, Cledorvino Belini. (Págs. 1 e economia 3)
Caminhoneiros continuam paralisando rodovias
Categoria, na foto em Minas, quer baratear pedágios. Dilma enviou sua proposta para o plebiscito ao Congresso. Para hoje, estão previstos pelo menos três protestos no Recife. (Págs. 1 e 3 a 8 e cidades 5)
Confrontos no Egito deixam 16 mortos
Apesar da pressão, presidente não renuncia e diz que defenderá cargo com a vida. (Págs. 1 e 9)
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora
Primeiro Caderno
Manchete: PMDB rejeita plebiscito em 2013
Deputados dizem que prazo para debate é curto. TSE precisa de pelo menos 70 dias para organizar pleito.

Médicos saem às ruas para protestar e discutir a saúde.

Assembleia recebe projeto de passe livre de Tarso.

Proposta da “cura gay” é arquivada pela Câmara. (Págs. 1 e 4 a 12)

Fifa promete ingressos mais baratos em 2014 (Págs. 1 e Esportes)


------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico
Edição Impressa do Económico de 2013-07-03
Manchete: Reforma política só para eleição de 2016
Depois de receber ontem as sugestões da presidente Dilma Rousseff para o plebiscito da reforma política, a Câmara decidiu criar um grupo de trabalho e não sabe sequer se vai realizar a consulta popular ou um referendo sobre um projeto previamente aprovado. Por enquanto, só existe uma certeza: diante das discussões, a tramitação no Congresso será demorada e não haverá condições técnicas de aplicar as mudanças no sistema eleitoral no ano que vem. (Págs. 1 e P6 e 7)
Produção: Indústria surpreende e cai 2%
Resultado de maio derrubou a avaliação otimista do governo, com taxa negativa em 20 dos 27 ramos pesquisados pelo IBGE. Rara exceção foi o setor de bebidas, com expansão de 4,7%. (Págs. 1 e P4 e 5)
Imóveis: Centro do Rio atrai investimento
No primeiro trimestre deste ano, foram inaugurados 67 mil metros quadrados de espaços corporativos. Um dos grupos que apostam na região é o Opportunity, com megaprojeto na rua do Passeio. (Págs. 1 e P12 e 13)
OGX: Ações já perderam 70% do valor no mês e cotação pode cair para R$ 0,10. (Págs. 1 e P18 e 19)


------------------------------------------------------------------------------------
EBC Serviços
Postar um comentário