Frase do dia

“O amor é tudo”
(Jesus Cristo)







domingo, 7 de julho de 2013

Globo pode cair como o mafioso Capone

Por Fernando Brito, no blog Tijolaço - de São Paulo

A manifestação que "lacrou" a Rede Globo transcorreu pacificamente
A manifestação que “lacrou” a Rede Globo transcorreu pacificamente
Depois da Folha, a notícia da sonegação de impostos da Globo na negociação do imposto devido no negócio da aquisição dos direitos de transmissão da Copa de 2002 chegou à TV, com a reportagem exibida no Jornal da Record desta sexta-feira. Mais um mérito do caro amigo Miguel do Rosário, com seu blog O Cafezinho – amanhã tenho ótimas notícias sobre isso – que obteve a informação e, o mais importante, teve a coragem de publicá-la.


Mérito ainda maior para a internet que, mesmo asfixiado pelo poder econômico, com a ajuda luxuosa da Helena Chagas, que acha mais republicano dar anúncios para a Caras que para publicações progressistas, permitiu romper o círculo de silêncio que se faz sobre os negócios obscuros daGlobo.
Mas vamos aos fatos.
A primeira informação importante é: onde está o processo que consta como “em trânsito” desde 2006?
Em que “engarrafamento” está parado há seis anos?
Foi pago, como diz a Globo ou é uma das dívidas que está sendo contestada no Conselho de Contribuintes ou na Justiça, como também diz a Globo?
Uma coisa ou outra.
E, ambas, fáceis de serem verificadas, porque a empresa é concessionária de serviços públicos.
A segunda é que o Deputado Protógenes Queiroz quer abrir uma CPI da Soneglobo de Televisão.
Deputado, o senhor não sabe com o que está mexendo.
A Globo não praticou uma sonegação.
A Globo é uma fraude desde seu nascedouro.
Desde o contrato assinado em 1962 com a Time-Life, quando a legislação brasileira impedia sociedade de concessionárias de radiodifusão com empresas estrangeiras, a Globo transgride a lei.
Até hoje ninguém sabe, ninguém viu – e quem viu tem medo de falar, menos Leonel Brizola – do que carregavam seus malotes, elevados à condição de malas diplomáticas.
Nem do caso Proconsult, nem do caso NEC, nem do financiamento ao Projac.
A Globo é intocável.
Não como Elliot Ness, o agente do FBI.
Mas como Al Capone.
Capone, porém, como se sabe, viu seu império desmoronar por uma simples fraude ao Imposto de Renda americano,
Quem sabe a história esteja nos brindando com uma fina ironia, ao repetir aquela história?
Fernando Brito é jornalista, editor do blog Tijolaço
Postar um comentário