Frase do dia

“O amor é tudo”
(Jesus Cristo)







quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Bom dia! Confira os destaques dos principais jornais desta quinta-feira, 26 de setembro. Semana do Turismo de Cabo Frio segue até domingo. Hoje, às 10 horas, no auditório da Prefeitura terá palestra sobre a Historia do Artesanato, com o professor José Francisco Moura - Chicão

Os 40 artesãos que irão trabalhar na Casa Artesanal

Até domingo (29/9), várias atividades dos projetos pioneiros lançados na última segunda-feira (23/9) estarão acontecendo no município, como:  
‘Casa Artesanal’:
Dia 26/9 - às 10 horas – auditório da Prefeitura –
Palestra com o tema: Historia do artesanato - com o professor José Francisco Moura - Chicão
A ideia da palestra é começar a preparar o artesão para a qualificação no seu mercado de trabalho, melhora da sua auto-estima e conhecimento da sua própria historia.
Público - 40 artesãos que irão trabalhar na Casa Artesanal 
‘Esse Mar é Meu’:
Dia 27/9 – às 10h30 – Passeio inaugural de barco com saída do Terminal de Transatlânticos
O projeto visa propiciar aos cabo-frienses o conhecimento das belezas naturais da sua cidade sensibilizando para o entendimento do potencial turístico que ele representa como geradora de emprego e renda além de reconhecer a importância da preservação dos bens naturais para as futuras gerações.
Público: autoridades e Imprensa 

29/9 – 8 horas – saída do Terminal de Transatlânticos
I Ciclotur da Região dos Lagos: Passeio de bicicleta em torno da Laguna de Araruama, com percurso de 110 km, saindo de Cabo Frio, passando por São Pedro da Aldeia, Iguaba, Araruama, Arraial do Cabo e retornando a Cabo Frio.
Público: Acima dos 15 anos, homens e mulheres, sem limite de idade podem participar, desde que estejam preparados fisicamente. Este é um passeio considerado de nível médio a alto, em função da quilometragem a ser percorrida e espera-se a participação de 500 ciclistas de todo o país.


----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Folha de S.Paulo
Veja a versão digital da Folha
Troca-troca partidário já envolve 9% da Câmara

Agora S.Paulo
capa
Confira o aumento do benefício do INSS com o trabalho de risco

O Estado de S.Paulo

Dilma faz ofensiva nos EUA para atrair investidores

O Globo

Desafio da infraestrutura: Governo reduz restrições para privatizar aeroportos

Valor Econômico

Após espionagem, Dilma adia decisão sobre caças

Correio Braziliense

Novos partidos buscam deputados de aluguel

Estado de Minas

Novos partidos, velhos conchavos

Zero Hora

Argentina e Uruguai abastecem programa Mais Médicos no RS


Fonte: Da Redação com Uol
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O Globo

Manchete: Desafio da infraestrutura: Governo reduz restrições para privatizar aeroportos
Limite para atuais concessionários é retirado e fundos de pensão podem disputar Galeão.

Regras para portos também serão revistas para atrair investidores dentro do programa de concessões à iniciativa privada. Trabalhadores invadiram terminal e navios, em Santos, em protesto contra regime de contratação.

No esforço para viabilizar concessões na área de infraestrutura, o governo acabou com o impedimento para que empresas que administram aeroportos já licitados — Guarulhos, Viracopos e Brasília — possam participar também do leilão de Galeão e Confins, em novembro. A regra previa que eles só poderiam ter 15%, sem o controle.

Agora, segundo a ministra Gleisi Hoffmann, será transferida ao TCU a atribuição de fixar algum limite, se achar necessário. As regras para concessões de portos também serão revistas. Em Nova York, o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, disse que o banco precisa de parceria com o setor privado para "partilhar o fardo”.

Dilma: ‘Brasil é civilizado, respeita os contratos’

A frase da presidente foi dita em reunião com 350 investidores no Goldman Sachs, em Nova York.(Págs. 1 e 19 e 20)

Colunistas
Míriam Leitão

Governo tem relação contraditória com o setor privado. (Págs. 1 e 20)

Sardenberg

Culpa da falta de investimentos é do governo. (Págs. 1 e 16)

TIM: ‘Empresa não é linguiça’
Dilma desautorizou o ministro Paulo Bernardo sobre Vivo e TIM terem mesmo dono. Já dirigente da TIM disse que ela não pode ser fatiada. (Págs. 1 e 25)
Mesmo sem votos: Partidos já nascem com verbas
Recém-criados, PROS e Solidariedade devem receber cerca de 50 deputados até outubro. Mesmo sem votos, cada novo partido terá, por ano, R$ 600 mil do Fundo Partidário. O país agora tem 32 partidos. (Págs. 1 e 3 e Ilimar Franco)
PSB de Campos intervém no Rio
Alexandre Cardoso, aliado de Dilma, é afastado do comando regional do partido. (Págs. 1 e 6)
Deputada do PSOL tira licença
Acusada de cobrar caixinha, Janira Rocha se afasta da Alerj e adia depoimento. (Págs. 1 e 14)
TCU manda enxugar: Senado terá de cortar super salários (Págs. 1 e 7)


Impunidade: Violência contra mulher não caiu
Lei Maria da Penha, em vigor há 7 anos, não reduziu índice de mortes de mulheres, diz estudo. Morrem 5 mil por ano. (Págs. 1 e 8)
Temperatura pode aumentar 7 graus
Previsão do Painel Climático da ONU para o Brasil é mais grave do que se acreditava. (Págs. 1 e Ciência)
------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Dilma faz ofensiva nos EUA para atrair investidores
Esforço do primeiro escalão econômico para divulgar concessões não chegou a dissipar dúvidas

O primeiro escalão econômico do governo fez em Nova York um grande esforço para tentar convencer investidores a participar dos projetos de concessão de infraestrutura no Brasil. A sucessão de discursos não foi suficiente para dissipar dúvidas sobre regulação, segurança jurídica e retomo financeiro dos projetos. Dilma fechou o evento afirmando que o País precisa do capital privado e internacional para construção de ferrovias, rodovias, portos e aeroportos. A presidente frisou também que o País respeita contratos. O discurso foi dirigido a 500 pessoas na sede do banco Goldman Sachs. Antes dela, falaram os ministros Guido Mantega (Fazenda) e Fernando Pimentel (Desenvolvimento) e os presidentes do BNDES, Luciano Coutinho, e do BC, Alexandre Tombini. (Págs. 1 e Economia B1 e B3)

BR-262 pode virar obra pública

Dilma Rousseff e Guido Mantega anunciaram que concessão da BR-262 (ES-MG) será transformada em PPP ou obra pública. (Págs. 1 e B4)

Servidores do Senado terão de devolver supersalários
O TCU determinou ontem que servidores do Senado terão de devolver pagamentos feitos irregularmente nos últimos 5 anos, que incluem horas extras e salários acima do teto do funcionalismo. Cálculos preliminares apontam que 464 funcionários terão de pagar R$ 300 milhões por remuneração fora do teto. A partir de agora, a Casa terá de corrigir o pagamento. (Págs. 1 e Política A12)
Nuvem de gás de SC pode chegar a SP
Um galpão que armazenava 10 mil toneladas de fertilizante explodiu em São Francisco do Sul, provocando a formação de uma densa nuvem de gás. O governo de Santa Catarina decretou situação de emergência na cidade. O gás se desloca em direção ao interior do Estado e, dependendo da intensidade dos ventos, pode alcançar São Paulo. (Págs. 1 e Metrópole A32)
Governo terá acesso a caso Siemens
A Justiça mandou o CADE liberar para o governo de SP documentos referentes ao caso Siemens. O senador Aécio Neves (PSDB-MG) disse ser “extremamente grave” o fato de o presidente do CADE, Vinícius Carvalho, ter omitido ligação com petista que denunciou cartel, conforme revelou o Estado. (Págs. 1 e Política A10)
Novos partidos podem mobilizar até 50 deputados
A criação do Solidariedade e do PROS deve desencadear migrações envolvendo até 50 deputados e afetar sobretudo partidos da base governista. PT e PMDB articulam projeto que inibe a fundação de novas legendas. (Págs. 1 e Política A4)
Homicídio tem queda de 21% na capital paulista
São Paulo registrou em agosto 84 assassinatos - o menor número nesse mesmo mês nos últimos 12 anos. Por outro lado, aumentou a quantidade de roubos, principalmente a bancos (143%). (Págs. 1 e Metrópole A22)
Dilma repreende Bernardo sobre situação da TIM
Dilma Rousseff desautorizou Paulo Bernardo (Comunicações). O ministro dissera que, após aumento de participação na Telecom Itália, o provável é que a Telefônica venda operações da TIM no País. (Págs. 1 e Economia B14)
Potências estão perto de acordo sobre Síria (Págs. 1 e Internacional A16)


Lei Maria da Penha não reduz mortalidade (Págs. 1 e Metrópole A24)


José Serra
Terapia de grupo infraestrutural

No 11º ano de governo, o PT não sabe o que fazer com as concessões. Quantos anos ainda teremos pela frente até essa terapia chegar ao fim? (Págs. 1 e Espaço Aberto A2)

Notas & Informações
Falando para o eleitorado

Embora dissesse o que precisava dizer de espionagem na ONU, Dilma falava para o eleitorado. (Págs. 1 e A3)

------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense

Manchete: Novos partidos buscam deputados de aluguel
Recém-criados, o Solidariedade e o Pros oferecem de tudo para atrair parlamentares: do comando da legenda nos estados à liberdade de fazer alianças nas eleições. Objetivo é rechear os cofres da sigla, com dinheiro público do fundo partidário. (Págs. 1 e 2 e 3)
Marajás terão que devolver dinheiro
Os supersalários no Senado podem estar com os dias contados. 0 TCU deu 30 dias para a Casa acabar com o privilégio. Auditoria identificou 464 servidores que ganham acima do teto do funcionalismo, de R$ 28 mil. Pelos cálculos do tribunal, eles vão ter de reembolsar os cofres públicos em R$ 300 milhões, valor que receberam a mais desde 2008. (Págs. 1 e 18)
Dilma dá sinal favorável à fusão de Vivo e TIM
Presidente diz que opinião do governo não é igual à do ministro Paulo Bernardo, contrário à junção que pode levar empresa a dominar mais de 50% do mercado de telefonia celular. (Págs. 1 e 14)
Ameaça de calote dos EUA põe em alerta o mercado
Sem recursos, o governo norte-americano pode suspender o pagamento de dívidas até 17 de outubro. Credores e investidores temem que a inadimplência abra uma crise mundial. (Págs. 1 e 19)
Costura eleitoral
O governador Agnelo dá como certa a aliança PT-PMDB para a eleição de 2014, depois de se reunir com o vice, Filippelli, e os presidentes nacionais dos dois partidos, Ruy Falcão e o senador Raul Raupp. Mas Filippelli diz que foi só "o primeiro passo". (Págs. 1 e 27)
Pela paz nas ruas
Caderno especial do Correio mostra iniciativas e experiências que melhoram o trânsito, como o maior uso de bicicletas. (Págs. 1 e Caderno Especial)
------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico

Manchete: Após espionagem, Dilma adia decisão sobre caças 
A não ser que haja uma reviravolta na atitude do governo americano em relação ao escândalo de espionagem eletrônica, a presidente Dilma Rousseff está praticamente convencida a adiar para 2015 a compra de novos caças para a Força Aérea (FAB), deixando o capítulo final da novela em torno do projeto FX-2 para um eventual segundo mandato.

A decisão em favor da americana Boeing estava perto de ser tomada, segundo auxiliares diretos da presidente. Mesmo com as manifestações de junho e as dificuldades orçamentárias, Dilma estava disposta a fechar negócio para adquirir um lote inicial de 36 caças F-18 Super Hornet, avaliado em pelo menos US$ 5 bilhões. A revelação de que ela teria sido alvo direto de espionagem pela Agência Nacional de Segurança (NSA) americana mudou completamente o humor de Dilma, que confidenciou a assessores sua intenção de não assinar nenhum contrato nos próximos meses. (Págs. 1 e A4)

OGX não deve pagar cupom de bônus
A petroleira OGX, do empresário Eike Batista, não deverá realizar o pagamento da remuneração (cupom) aos detentores de bônus da companhia, previsto para 1º de outubro, no valor de US$ 45 milhões. Os sinais do calote iminente vêm da informação, apurada pelo Valor, de que a companhia não pagou os juros de uma emissão de debêntures que venciam ontem. As duas operações estão vinculadas porque as debêntures foram a forma encontrada pela companhia para trazer recursos do exterior. Procurada, a OGX informou que não iria comentar o assunto. (Págs. 1 e C11)
'Diluição' na Telco pode ser saída para TIM
Ao afirmar ontem, durante depoimento a um comitê parlamentar de seu país, que a Telecom Italia tem duas alternativas: vender todos os ativos latino-americanos ou uma capitalização, o presidente-executivo da empresa, Franco Barnabè, provocou mais agitação nos mercados.

Segundo uma alta fonte da operadora no Brasil, a Telecom Italia não tem intenção de vender a TIM. O objetivo, ao contrário, seria atrair novos investidores estrangeiros para diminuir a dívida da matriz e, ao mesmo tempo, diluir a participação da Telco na companhia italiana, o que resolveria o problema do aumento da concentração nos mercados onde a Telefónica e controladas da Telecom Italia atuam, como no Brasil. O desmembramento dos negócios da TIM no país, para que fossem vendidos a diferenes companhias, também foi descartado por esse executivo. (Págs. 1 e B9)

A estrada que desaparece no coração da Amazônia
Concluída em 1973, a BR-319, aberta para ligar Manaus a Porto Velho, é hoje símbolo da dificuldade que o país enfrenta para colocar em prática um plano efetivo de desenvolvimento sustentável, expressão usada para carimbar qualquer projeto na Amazônia.

Nos primeiros anos de operação, a estrada era plenamente transitável. Carros percorriam seus 877 quilômetros sem problemas, havia linhas regulares de ônibus. Essa fase, porém, durou pouco. A rodovia entrou em processo de decomposição e, apenas 15 anos depois de sua construção, se tornou intransitável. (Págs. 1 e A16)

Estatal finaliza venda de ativos no país
A Petrobras deu por encerrada a venda de ativos no país e agora deve voltar seus esforços novamente para a alienação de projetos no exterior. Mas as refinarias de Pasadena e Okinawa serão mantidas. (Págs. 1 e B1)
Reflexos na cadeia do petróleo
As dificuldades de caixa enfrentadas pela Petrobras fizeram minguar as encomendas para os fabricantes nacionais de máquinas e equipamentos destinados ao setor de óleo e gás. (Págs. 1 e B1)
Justiça bloqueia bens de OAS e GRU
OAS e GRU Airport, concessionária de Guarulhos controlada pela Invepar, têm R$ 30 milhões em bens bloqueados para garantir obrigações trabalhistas decorrentes das obras no aeroporto. (Págs. 1 e B2)
Dúvidas na exploração de gás
Exigência de conteúdo local, questões ambientais e regras para exploração ainda causam dúvidas em potenciais investidores no leilão da ANP para áreas de gás natural, marcado para novembro. (Págs. 1 e B4)
Cooperativas investem em armazéns
Incentivadas pela nova linha de R$ 5 bilhões disponibilizada pelo Plano Safra 2013/14 para investimento em armazenagem, cooperativas agrícolas paranaenses lideram os pedidos de crédito e devem investir RS 800 milhões. (Págs. 1 e B14)
Rússia amplia embargo às carnes
A partir de outubro, a Rússia vai incluir mais dez frigoríficos na lista de restrições temporárias às exportações, devido ao descumprimento de normas sanitárias. As empresas afetadas são JBS, Minerva, Marfrig e Pamplona. (Págs. 1 e B14)
Invasão chinesa em Bordeaux
Depois de avançarem com grande ímpeto sobre os principais rótulos bordaleses, inclusive “en primeur”, os investidores chineses passaram a adquirir propriedades na região. 0 foco tem sido “châteaux” secundários, mas que incluam castelos. (Págs. 1 e D4)
Aviso em penhora on-line
Superior Tribunal de Justiça vai definir, em recurso repetitivo, se a empresa e os sócios apontados como responsáveis por dívidas fiscais precisam ser avisados sobre a cobrança antes de terem as contas bancárias bloqueadas em penhora on-line. (Págs. 1 e E1)
Ideias
Glauco José Côrte

O carvão mineral é estratégico para as ambições do país. Só precisa deixar de ser tratado com preconceito. (Págs. 1 e Al2)

Caio Megale

O novo equilíbrio para o qual ruma a economia brasileira é positivo e provavelmente mais balanceado que o anterior. (Págs. 1 e A13)

Para IIF, atuação no câmbio é insuficiente para Brasil enfrentar política do Fed (Págs. 1 e C1)


Crédito imobiliário atrai instituições de pequeno porte (Págs. 1 e C12)


------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas

Manchete: Novos partidos, velhos conchavos 
Criação de legendas dispara migrações políticas sem preocupação ideológica.

Formalização do Pros e do Solidariedade, totalizando agora 32 siglas no país, abre a janela para uma legião de deputados federais e estaduais mudarem de partido sem risco de perder o mandato. As plataformas programáticas e as ideologias são o que menos importa. No balcão de negócios, o que vale é negociar uma posição de mais peso político do que nas atuais legendas. O primeiro a arrumar a mala foi o deputado federal Ademir Camilo (PSD-MG), suspeito de envolvimento no escândalo de desvio de verbas do Ministério do Trabalho. “Vou para o Pros", anunciou. Mas há muitos outros na fila do troca-troca partidário. (Págs. 1 e 3 a 5)

Fim da mordomia: TCU acaba com supersalários no Senado
Decisão serve para pagamentos acima do teto de R$ 28 mil para 464 servidores. O Tribunal de Contas da União determinou ainda que os R$ 300 milhões pagos indevidamente sejam devolvidos. (Págs. 1 e 8)
Rodovias: Governo quer substituir leilão da BR-262 por PPP (Págs. 1 e 11)


------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio

Manchete: Lei Maria da Penha não reduz homicídios
Taxa de assassinatos de mulheres permaneceu estável desde 2006, quando legislação entrou em vigor. Pernambuco é quinto em número de crimes no País, segundo pesquisa do Ipea. (Págs. 1 e cidades 1)
Telexfree tenta manobra
Grupo suspenso por suspeita de formar pirâmide busca artifício jurídico para sacar R$ 29 milhões, transação que envolveria firma dos EUA. Dinheiro mudaria de empresa, mas sócios seriam os mesmos. (Págs. 1 e economia 1)
Supersalários do Senado vão ser devolvidos
Servidores terão que restituir tudo que foi pago acima do teto o em cinco anos. (Págs. 1 e 4)
Troca-troca de partidos acelerado (Págs. 1 e 3 e 4)


Correios cortam ponto de grevista (Págs.1 e economia 3)


Agreste recebe hoje o corpo de Dominguihos
Restos mortais do artista serão levados para sua cidade-natal, Garanhuns. (Págs. 1 e caderno C8)
Êxito na Saúde
Pernambuco zera a fila do transplante de córnea e acaba longa espera. (Págs. 1 e 6)
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete: Argentina e Uruguai abastecem programa Mais Médicos no RS
Dos 29 profissionais formados no Exterior com licença para atuar no Estado, 22 se graduaram nos países vizinhos.

Rosane de Oliveira: Grupo Conceição estuda criar curso de Medicina para atuação no SUS. (Págs. 1 e 10, 32 e 33)

Novos partidos: Limite de siglas volta ao debate no Congresso
Presidente da Câmara criticou criação de PROS e Solidariedade. (Págs. 1 e 8 e 16)
Para estrangeiro ver: Dilma tenta vender nova imagem do país
Governo quer investidores para infraestrutura. (Págs. 1 e 19)
Em busca de 128 mi: Uma força-tarefa para as obras no entorno da Arena (Págs, 1 e Esportes)


------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico

Manchete: ONS sugere revisão de plano de energia para evitar riscos
O Operador Nacional do Sistema Elétrico recomenda que o governo altere o modelo dos leilões de energia e que seja exigida dos investidores a utilização de tecnologia mais avançada nas hidrelétricas e transmissão. Com isso será possível evitar problemas de abastecimento, principalmente na região Sul do país, nos próximos quatro anos. A proposta é que as licitações foquem mais em eficiência do que em tarifas. (Págs. 1 e 5)
Taxa de retorno de concessões é questionável
Bart Wiersum, diretor da holandesa APM Terminals, faz coro com outros interessados nas concessões de portos do Brasil. A empresa elegeu Manaus e o porto de Suape como alvos preferenciais nas licitações em estudo pelo governo. (Págs. 1, 10 e 11)
Mercados: ‘É preciso re-regular o sistema’
Presidente do Instituto Levy, Dimitri Papadimitriou defende uma regulação financeira mais forte: “A vigente não foi capaz de evitar o colapso de 2008.” (Págs. 1 e 20)
Transparência: ONGs cobram de Dilma marco regulatório
Há cerca de um ano, a presidenta tem em mãos a proposta de regulamentação, em forma de projeto de lei, feita pelas organizações com diversos órgãos públicos. (Págs. 1 e 4)
Novos partidos: Solidariedade e Pros já são cortejados por políticos de diferentes linhas (Págs. 1 e 3)


Cliente & CIA: Por mais justa que seja a sentença, lentidão da Justiça prejudica (Págs. 1 e 19)


------------------------------------------------------------------------------------
Radiobras
Postar um comentário