Frase do dia

“O amor é tudo”
(Jesus Cristo)







segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Bom dia! Veja as manchetes e o resumo dos principais jornais desta segunda-feira, 23 de setembro. Abertura oficial da I Semana do Turismo de Cabo Frio acontece hoje, no Teatro Municipal | Projetos pioneiros como ‘Casa Artesanatal’, ‘ 1º Ciclotour’ e ‘Esse Mar é Meu’ serão lançados durante o evento . Objetivo é dar evidência ao potencial existente no município através de campanhas, cursos, exposições, mostras, passeios, palestras e visitações

Em comemoração ao Dia Internacional do Turismo (27/9), a Secretaria Municipal de Turismo põe em prática mais uma ação para a valorização do setor ao lançar a 1ª Semana de Turismo de Cabo Frio, cuja abertura vai acontecer nesta segunda-feira (23/9), a partir das 19 horas, no Teatro Municipal Inah de Azevedo Mureb, no bairro Algodoal.
Até domingo (29/9), várias atividades e projetos estarão acontecendo no município, como: 
Capacitação de Taxistas: apresentação dos cursos de Informações Turísticas e de Empreendedorismo para taxistas e, entrega oficial dos Kits;
Sinalização Turística: anúncio da parceria entre o município de Cabo Frio e o Instituto Estadual de Engenharia e Arquitetura – IEEA - para realização do Projeto de Sinalização Turística;
‘Esse Mar é Meu’: Lançamento do Projeto, que tem como objetivo incentivar os moradores da cidade a vivenciar a atividade turística de Cabo Frio;
‘Casa Artesanal’: Lançamento do Projeto, que visa dar visibilidade ao artesanato produzido em Cabo Frio;
‘Exploração sexual de crianças e adolescentes NÃO É TURISMO. É CRIME’: Campanha de Enfrentamento a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nos equipamentos turísticos;
I Ciclotur da Região dos Lagos: Lançamento do Projeto, que consiste em um passeio de bicicleta em torno da Laguna de Araruama, com percurso de 110 km, saindo de Cabo Frio, passando por São Pedro da Aldeia, Iguaba, Araruama, Arraial do Cabo e retornando a Cabo Frio.
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Folha de S.Paulo
Veja a versão digital da Folha
Alemanha elege Merkel pela 3ª vez

Agora S.Paulo
capa
Saiba garantir no INSS tempo de trabalho anterior a 1976

O Estado de S.Paulo

Exército invade shopping para libertar reféns no Quênia

O Globo

Contas públicas - Isenções elevam déficit da Previdência

Valor Econômico

Governo busca ponto de equilíbrio nas concessões

Correio Braziliense

Planos de saúde - ANS avalia 89. Só nove satisfazem

Estado de Minas

Dor sem fronteiras

Zero Hora

Até agosto, aeroporto parou por 108 horas

Brasil Econômico

'Lula é a insurgência. Espero que ele volte em 2018'Fonte: [
Da Redação com Uol



-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
O Globo

Manchete: Contas públicas - Isenções elevam déficit da Previdência
Renúncias fiscais fazem rombo chegar a R$ 48 bi até agosto

Descompasso entre receitas e despesas cresce 14% e supera a meta do governo de R$ 46 bi para o ano

A decisão do governo de ampliar isenções fiscais para diversos setores e mudar a faixa de enquadramento das empresas ao Simples Nacional está provocando aumento no rombo das contas da Previdência Social. O déficit já acumula R$ 48 bilhões entre janeiro e agosto, e supera a previsão inicial de R$ 46 bilhões para o fechamento do ano. Também pressionam as contas as desonerações da folha de pagamento e os gastos com aposentadorias especiais. (Págs. 1 e 17)

Exército liberta maioria dos reféns no Quênia
Soldados quenianos conseguiram libertar a maioria dos reféns do shopping de luxo atacado por terroristas em Nairóbi, capital do país, mas não puderam impedir o massacre de mais de 60 pessoas. O cerco iniciado no sábado entrou pela madrugada de ontem. (Págs. 1 e 21)
Partido de Merkel tem maior vitória em 20 anos (Págs. 1 e 22)

Invasores do Guanabara serão processados (Págs. 1 e 12)

------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Exército invade shopping para libertar reféns no Quênia
Atentado de grupo ligado à Al-Qaeda deixa 68 mortos; no Paquistão, ataque mata 78 cristãos

Pelo menos 146 pessoas morreram em dois atentados no fim de semana. No começo da noite de ontem, o Exército do Quênia lançou uma ofensiva para retomar o shopping Westgate, em Nairóbi. O prédio havia sido invadido no sábado por militantes do grupo radical somali Al-Shabab, ligado à Al-Qaeda. Pelo menos 68 pessoas morreram e 175 ficaram feridas no atentado. Os militantes também fizeram reféns. A expectativa do Exército era que o conflito terminasse na madrugada. Ainda ontem, um duplo ataque suicida contra uma das igrejas mais antigas do Paquistão matou 78 cristãos em Peshawar. A maioria das vítimas é de mulheres e crianças. Foi o pior ataque contra a minoria religiosa no país predominantemente muçulmano em décadas. Nenhum grupo reivindicou a autoria da ação, mas atentados contra minorias religiosas cristãs, budistas, e de muçulmanos xiitas têm se tornado comuns e afetado os esforços do governo de controlar a insurgência ligada ao Taleban e à Al-Qaeda. (Págs. 1 e Internacional A8 e A9)

Uhuru Kenyatta
Presidente do Quênia

"Os criminosos estão agora em um lugar dentro do edifício. Com os profissionais no local, temos uma boa chance de neutralizar com sucesso os terroristas"

Dilma criticará espionagem em discurso na ONU
A presidente Dilma Rousseff abre amanhã, em Nova York, a 68ª Assembleia-Geral da Organização da Nações Unidas (ONU), quando apresentará a proposta de uma nova governança na internet, que defina normas para coibir práticas de violação de direitos ou espionagem de qualquer país. Dilma trata a ação da Agência Nacional de Segurança dos EUA, principalmente, como violação de direitos humanos. (Págs. 1 e Política A6)
Fotolegenda: Cidade submersa
Santa Catarina passou o fim de semana em estado de alerta por causa das chuvas. A cidade de Rio do Sul decretou situação de emergência - o rio Itajaí-Açu subiu 9 metros acima do nível normal. Mais de 4 mil pessoas ficaram desabrigadas ou desalojadas em 56 municípios do Estado. (Págs. 1 e Metrópole A13)
Agronegócio puxa crescimento do PIB
O agronegócio responderá por quase metade do crescimento da economia este ano. O bom resultado é puxado pela soja: em 2014, o Brasil passará os EUA como maior produtor. (Págs. 1 e Negócios)
Regiões: Nordeste
Caderno especial mostra que, desde 2003, o Nordeste cresce mais do que o Brasil e já detém 13,5% de participação no PIB. A região tem investimentos. (Págs. 1 e Fóruns Estadão)
Merkel vence com folga na Alemanha
A chanceler alemã, Angela Merkel, ganhou as eleições para um terceiro mandato, com mais de 40% dos votos. Foi a melhor votação da União Democrata Cristão (CDU) em 20 anos, mas ainda há dúvida se o resultado basta para formar governo sem coalizão. (Págs. 1 e Internacional A12)
Cai, pela 1ª vez, o número de infectados por aids (Págs. 1 e Cidades A14)

Chineses estão divididos sobre pena de Bo Xilai (Págs. 1 e Internacional A11)

Bernard Appy 
Orçamento mais rígido

Uma série de projetos destina recursos para áreas sociais, sem uma discussão mínima sobre como esta vinculação afeta as demais despesas. (Págs. 1 e Economia B2)

José Roberto de Toledo 
O ódio como política

Nem prós nem contras. Quem mais perde com a prorrogação do julgamento do mensalão são os “muito pelo contrário”. (Págs. 1 e Política A6)

Notas & Informações
Frágil defesa agropecuária

A Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA) vive duas graves crises: política e financeira. (Págs. 1 e A3)

Direto da Fonte: ‘Eu não vou morrer’
Líder do AfroReggae, José Júnior fala a Sonia Racy. (Págs. 1 e C2)
------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense

Manchete: Planos de saúde - ANS avalia 89. Só nove satisfazem
Governo insiste em suspender 212 pianos de 21 operadoras que não conseguiram atender os consumidores dentro de prazos estabelecidos pela legislação e acumulam reclamações, como a negativa de cobertura. A Agência Nacional de Saúde também vai mapear a oferta de produtos individuais e familiares no mercado. (Págs. 1 e 7)
Forças especiais invadem shopping em Nairóbi
Exército desencadeou operação de guerra em luxuoso centro comercial do Quênia, alvo de ataque assumido pelo grupo terrorista Al-Shabab. Até o fechamento desta edição, o total de mortos era de 68. Mas as autoridades temem que o número de vítimas possa subir a invasão. Já no Paquistão, um ataque suicida de dois homens-bomba deixou pelo menos 80 cristãos mortos e 100 feridos. (Págs. 1 e 12)
Corrupção: PF investiga servidor da Fazenda Nacional
Operação que desmontou esquema envolvendo R$ 300 milhões suspeitos está de olho em ex-procurador, que atuaria como lobista de doleiros. O acusado é chamado de "prego”. (Págs. 1 e 17)
------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico

Manchete: Governo busca ponto de equilíbrio nas concessões
Após alguns reveses nas concessões, como o da falta de interessados para a BR 262 (MG-ES), o governo reconhece que é preciso recuar. No diálogo com a iniciativa privada, não descarta retirar do programa trechos para os quais não seja possível obter investimentos com tarifas módicas, diz a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, ao Valor. A opção será ampliar a capacidade das rodovias por meio de obra pública. Essa avaliação já está sendo feita para a BR-101, na Bahia, e pode alcançar outros lotes. "Temos que lançar [os editais] no mercado, saber a reação e sentir se elas são exequíveis ou não".

Gleisi qualifica de "besteira" a presunção de que o governo não gosta dos empresários e de que fique imaginando formas de "ferrá-los". O governo busca um equilíbrio ótimo entre os modelos de concessão praticados. Na gestão do presidente Fernando Henrique Cardoso, segundo Gleisi, o alvo era a arrecadação, ficando em segundo plano o nível de serviços e o investimento - os pedágios ficaram caros. Na de Luiz Inácio Lula da Silva, buscou-se o oposto - os pedágios ficaram baratos -, mas os investimentos minguaram por falta de retorno. Para ela, o que define um bom compromisso é a capacidade e concordância do usuário em pagar as tarifas, isto é, a "sustentabilidade" do pedágio, e não a taxa interna de retorno, à qual seu deu "muito foco". (Págs. 1 e A16)

Brasil e EUA prepararam um acordo
As negociações preparatórias da visita de Estado da presidente Dilma Rousseff a Washington já haviam chegado a uma "linguagem" inédita para concluir o encontro com manifestação de simpatia do presidente Barack Obama às pretensões brasileiras a um assento permanente do Conselho de Segurança da ONU. Eram certas também concessões mútuas para permitir o uso da base de Alcântara pelos EUA ou parceiros que usem tecnologia sensível americana. Revelações sobre espionagem americana no Brasil levaram ao adiamento indefinido da visita.

Amanhã, Dilma aproveitará seu discurso de abertura na Assembleia da ONU para reivindicar mecanismos de controle contra a espionagem na internet e condenar a ação americana. (Págs. 1 e A2)

NEC diversifica atuação e aposta nos emergentes
A multinacional japonesa NEC está promovendo a segunda grande reestruturação dos 114 anos de sua história. No Brasil desde 1968, a companhia decidiu crescer no front externo, especialmente nos mercados emergentes. A meta é fazer as operações internacionais responderem por 50% das receitas até 2017 - hoje, são 16% dos US$ 33 bilhões -, diz Takayuki Morita, vice-presidente de negócios internacionais.

A empresa quer depender menos das operadoras de telecomunicações, ainda as principais clientes, e investir mais em "infraestrutura social" - arenas de futebol, educação, transporte público e até biometria. A NEC ficou responsável por cinco arenas no Brasil, onde instala o sistema de câmeras de vigilância e segurança, sinalização, som, vídeo, rede wi-fi etc. Seu sistema automatizado de identificação de impressões digitais já foi implantado pelos governos do Distrito Federal, Rio Grande do Sul, Sergipe, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Norte. A NEC espera repetir a dose nas licitações de São Paulo, Rio e Minas Gerais. (Págs. 1 e B11)

Dom Ferrari, bispo de Bauru, luta por vereadores cassados
Em Bauru, no interior paulista, cinco vereadores lutam para reaver seus mandatos. Todos se elegeram com apoio do bispo da cidade, dom Caetano Ferrari, e perderam os cargos justamente por isso. O Tribunal Regional Eleitoral cassou os mandatos por propaganda ilegal em templo religioso e doação irregular da diocese, proibida pela legislação.

O franciscano está indignado. Segundo ele, os folhetos produzidos foram custeados por um grupo de leigos e não eram distribuídos dentro das paróquias. "Todos os candidatos têm base em alguma instituição, em um grupo de pessoas. Pode ser um sindicato, uma igreja ou uma associação de bairro", diz. "Nós orientamos a votar nesses candidatos. Os evangélicos não dizem que elegem poste?" Essa não é a primeira polêmica de dom Ferrari, que em abril excomungou um padre que defendia a união homossexual, o aborto, o sexo fora do casamento e o fim do celibato. (Págs. 1 e A10)

Zaer compra participação da GP na Estácio
O empresário Chaim Zaer, que há dez dias vendeu a UniSEB para a Estácio, adquiriu os 11,8% do capital que o GP Investment detinha no grupo educacional carioca. Chaim passa a ter 17,5% da Estácio. A transação movimentou recursos líquidos de US$ 179,1 milhões. A GP entrou no capital da Estácio em 2008, com a compra de 20%. O presidente da Estácio, Rogério Melzi, disse que "a saída do GP não foi totalmente uma surpresa, uma vez que ele cumpriu seu ciclo e deixou uma empresa madura". (Págs. 1 e B8)
Governo vai renovar margem de preferência que favorece empresas nacionais (Págs. 1 e A4)

Electrolux usa lições do Brasil para corrigir rumos na China (Págs. 1 e B16)

Merkel obtém vitória esmagadora, mas pode ficar sem maioria no Parlamento (Págs. 1 e A13)

Fundos de Pensão
Sobrepujar a tendência do brasileiro para o consumo e convencer uma jovem geração a pensar no futuro é a difícil missão de fundos de pensão e seguradoras, que se valem da internet e das redes sociais. (Págs. 1 e Caderno especial)
Mineração
A demora na definição do novo marco regulatório para o setor de mineração impede o planejamento dos projetos para as próximas décadas, frente à crescente demanda internacional. (Págs. 1 e Caderno especial)
Novo acordo na Transnordestina
O novo acordo de acionistas da ferrovia Transnordestina — CSN, Valec, FDNE e BNDESPar — elevou para R$ 7,5 bilhões o valor total do projeto de 1.728 km. Até junho, R$ 4,1 bilhões foram investidos na ferrovia, segundo a CSN. (Págs. 1 e B2)
Desafios à cacauicultura paraense
Iniciada entre as décadas de 70 e 80, a produção de cacau no Pará, hoje responsável por mais de 30% do total nacional, enfrenta problemas ambientais, fundiários e trabalhistas para crescer. (Págs. 1 e B18)
Os governos democráticos e a bolsa
O período de Dilma Rousseff coincide com o pior desempenho da bolsa brasileira nos últimos cinco governos do país. A volatilidade do mercado acionário, no entanto, vem registrando queda gradativa desde a era Collor. (Págs. 1 e D1)
Comissão imobiliária
A Justiça determinou que comissão por corretagem em transações imobiliárias incida sobre o valor total do negócio, independente de a transação envolver dinheiro, outro imóvel ou ambos. (Págs. 1 e E1)
Polêmica na arbitragem
Proposta da comissão de juristas responsável pela reforma da Lei de Arbitragem prevê a livre escolha de árbitros, independentemente das regras das câmaras de arbitragem, que em geral limitam essa possibilidade e são contrárias à mudança. (Págs. 1 e E1)
Ideias
Luiz Cezar P. Quintans

Predomínio de estatais no leilão de Libra talvez seja pela aceitação de baixo retorno e garantia de receber óleo para consumo. (Págs. 1 e A14)

Tony Volpon

A surpreendente decisão do Fed parece ter retirado a ameaça de um ajuste global desordenado. (Págs. 1 e A15)

------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas

Manchete: Dor sem fronteiras
Burocracia, idioma e despesas aumentam drama de famílias de brasileiros mortos no exterior

Jean Charles de Menezes, Marília Martins, Mário Bittencourt, Mário Guedes... Eles foram morar ou trabalhar em outro país, mas tiveram um destino trágico e entraram para a lista de milhares de brasileiros que morreram no exterior. Já foram 688 este ano. Além do sofrimento da perda, as famílias enfrentam muitas dificuldades para fazer o traslado do corpo, como demora e gastos calculados em moeda estrangeira. Projeto em tramitação no Congresso obriga o governo a bancar despesas de parentes sem recursos, que chegam a deixar o corpo congelado até arrecadar dinheiro para o transporte com custo de até R$ 50 mil. O drama pode ser maior ainda quando há impunidade em casos de assassinato, como o da família de Jean Charles, confundido com terrorista e assassinado em Londres há oito anos por policiais, que não foram punidos. (Págs. 1, 17 e 18)

Mineração: Eldorado vira pesadelo para cidade mineira
Declínio do império de Eike Batista afundou o projeto de expansão minerária em São Joaquim de Bicas, na Grande BH. Enquanto prefeitura esperava aumentar em 50% a arrecadação de impostos, empresários e moradores viram o lucro virar poeira. (Págs. 1 e 10)
Janot condena o auxílio-moradia
Em entrevista ao Estado de Minas, novo procurador-geral da República diz que benefício a juízes e integrantes do Ministério Público deve ser restrito a situações específicas de magistrados em serviço que não tenham imóvel próprio ou funcional. (Págs. 1 e 4)
Meninos da guerrilha: Outra criança foi levada por militares no Araguaia (Págs. 1 e 6)

Quênia: Governo diz que reféns em shopping foram libertados (Págs. 1 e 14)

------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio

Manchete: E o dia foi com carros
Na data reservada, internacionalmente, para veículos serem deixados em casa, movimento nas ruas foi igual ao de outros domingos. Maior parte dos motoristas sequer sabia da mobilização, criada na França em defesa da mobilidade. (Págs. 1 e 10)
Dilma luta na ONU contra espionagem
Presidente tem proposta para definir normas e mecanismos que impeçam a violação de direitos na internet. (Págs. 1 e 4)
Regras duras para compra no exterior
Bancos poderão bloquear a conversão para real. Negócios terão que ser fechados na moeda local. (Págs. 1 e 7)
Merkel reeleita
Chanceler alemã vai seguir à frente da maior economia da Europa. (Págs. 1 e 6)
PT de saída
Humberto Costa e João Paulo articulam entrega de cargos ao PSB. (Págs. 1 e 3)
Invasão no Rio
Grupo arrombou Palácio da Guanabara, sede do governo fluminense. (Págs. 1 e 4)
Fotolegenda: Terroristas ainda resistem em shopping do Quênia
Até as 23h de ontem, terroristas ainda mantinham reféns em shopping de Nairóbi, palco de atentado brutal, sábado. Exército invadiu o centro de compras e libertou cerca de mil pessoas. Na área retomada as imagens são desoladoras. Número de mortes subiu para 68, com 175 feridos. (Págs. 1 e 6)
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete: Até agosto, aeroporto parou por 108 horas
Promessa é de que esse tenha sido o último inverno sem equipamento que melhora condições para pousos e decolagens sob mau tempo no Salgado Filho. (Págs. 1, 4 e 5)
Câmara Federal: Milhões em selos na era de redes sociais
Deputados já consumiram R$ 13,3 milhões em correspondência desde o início da legislatura. (Págs. 1 e 6)
Atentado no shopping: Grupo radical mata e faz reféns no Quênia
Pelo menos 68 pessoas morreram durante ataque. Exército invadiu centro comercial de luxo. (Págs. 1 e 24)
Vitória na Alemanha: Merkel ganha seu terceiro mandato
Apesar da projeção de 42% dos votos, governo pode ter de buscar apoio. (Págs. 1 e 23)
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico

Manchete: ‘Lula é a insurgência. Espero que ele volte em 2018’
Gilberto Carvalho, ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República há dez anos, afirma que “é bom estar no centro do poder”, mas já está na hora sair. Entretanto, aponta a presidente Dilma Rousseff como franca favorita para eleição do ano que vem e sonha com o retorno de seu amigo Lula: “Ele tirou da cabeça das pessoas o autoconceito de exclusão”. Em entrevista ao Brasil Econômico, Carvalho revelou que o governo prepara ações mais rigorosas contra a corrupção, principalmente nas ONGs. (Págs. 1 e 4 a 7)
Alemanha: Com 42,3%, Merkel ganha 3º mandato
Angela Merkel obteve uma vitória histórica nas eleições alemãs nesse domingo: após o fechamento das urnas, a TV estatal projetou 42,3% dos votos para a chanceler, garantindo um terceiro mandato à frente da maior economia da Europa. (Págs. 1, 26 e 27)
Investimento: Petrobras no caminho de volta ao país
Com a venda de US$ 3,2 bilhões em ativos internacionais, a estatal deixa a estratégia mais agressiva e retoma o foco na exploração e produção em águas profundas nas Américas e na África. Com isso, a empresa garante também mais recursos para o pré-sal. (Págs. 1, 12 e 13)
Emprego: FGV: analistas apontam necessidade de criar 62 mil vagas em 12 meses. (Págs. 1 e 10)

Mosaico: Tribunal de Contas de São Paulo investiga contrato do governo Kassab com o Instituto Via Pública (Págs. 1 e 2)

Informe NY: O peso das decisões do Federal Reserve na economia (Págs. 1 e 29)

------------------------------------------------------------------------------------
EBC Serviços
Postar um comentário