Frase do dia

“O amor é tudo”
(Jesus Cristo)







sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Bom dia! Veja as manchetes e o resumo dos principais jornais do país e do mundo desta sexta-feira, 4 de outubro, Búzios terá Festa Nordestina a partir de hoje. Evento terá shows e barraquinhas de comidas típicas na praça de São José.



A partir desta sexta-feira, dia 4 de outubro, a Prefeitura de Búzios realizará a 1ª Festa Nordestina, na Praça de São José. O evento, que contará com barraquinhas de comidas e artesanato típicos do nordeste, além de shows variados de forró, pagode e MPB, se estenderá até o domingo, dia 6.

Nos dois primeiros dias, a festa está marcada para começar às 20h. Já no domingo, começará ao meio-dia, encerrando por volta das 20h. A programação de shows inclui Banda MD3 e Lenildo do Forró, na sexta-feira, dia 4; Forroxé e Os Mineirinhos, no sábado, dia 5, e Tony Lima e André Viana e Banda, no dia 6.
A festa será realizada como homenagem aos nordestinos moradores da cidade e atende à Lei nº 984, de 29 de agosto de 2013, que institui a realização da Semana do Imigrante Nordestino, anualmente, no último final de semana de agosto. Para melhor realização do evento, a festa, que já está incluída no Calendário de Eventos Oficial do município, foi transferida, este ano, para o primeiro final de semana de outubro.


-----------------------------------------------------------------------------------------------------------
Jornais nacionais
O Estado de S.Paulo

Maioria do TSE vota contra criação do partido de Marina
O Globo

Dança eleitoral - TSE rejeita Rede e sete partidos assediam Marina
Valor Econômico

Defesa contra rebaixamento inclui maior esforço fiscal
Correio Braziliense

Sem Rede, Marina diz hoje se sai candidata
Estado de Minas

Como a educação engole seu salário
Zero Hora


TSE nega criação de Rede e Marina decide futuro hoje
*
Jornais internacionais
The New York Times (EUA)
Boehner se compromete a evitar a inadimplência, dizem os republicanos
The Washington Post (EUA)
Perseguição caótica termina em monte
The Guardian (Reino Unido)
Mais de 100 mortos em tragédia barco nas "portas da Europa"
El País (Espanha)
A tragédia dos sem documentos de Lampedusa é uma vergonha para a Europa
Clarín (Argentina)
Mujica acusa Argentina de ocultar dados na disputa por Botnia


-------------------------------------------------------------------------------------------
O Globo

Manchete: Dança eleitoral - TSE rejeita Rede e sete partidos assediam Marina
Ex-senadora tem 48 horas para escolher legenda caso queira disputar em 2014

Votação foi encerrada em 6 a 1; ministros entenderam que, com 95 mil assinaturas recusadas pelos cartórios eleitorais, sigla não alcançou total exigido para obter registro e que lei tem de valer para todos

O Tribunal Superior Eleitoral rejeitou ontem, por 6 votos a 1, o registro do partido Rede Sustentabilidade, da ex-senadora Marina Silva. Exatos três anos depois de conquistar quase 20 milhões de votos na eleição presidencial de 2010, Marina tem agora 48 horas para se filiar a uma legenda, caso queira disputar o Planalto no ano que vem. Pelo menos sete partidos já se ofereceram para abrigar a ex-senadora e seus seguidores. A Rede teve 95 mil assinaturas invalidadas pelos cartórios eleitorais e com isso não conseguiu o total exigido. (Págs. 1 e 3)

Enquanto isso...

Assinatura de morto ajudou a criar Solidariedade (Págs. 1 e 4)
Presos 25 fiscais parasitas
A Polícia Civil prendeu ontem 25 fiscais (9% do efetivo) da Vigilância Sanitária municipal que extorquiam dinheiro de comerciantes. Chefe da quadrilha, o supervisor Eduardo de Negri está foragido. Segundo a investigação da Operação Parasita, o bando de fiscais recolhia R$ 50 milhões em propinas por ano. (Págs. 1 e 8)
Impasse político pode levar os EUA à recessão
O Tesouro dos EUA alertou que o impasse entre republicanos e democratas ameaça levar o país a uma recessão pior do que a da crise de 2008. Obama desafiou os republicanos a "parar com a farsa" e votar o Orçamento, acabando com a paralisia do governo, iniciada na terça-feira. (Págs. 1 e 22)
Tiroteio fecha o Capitólio (Págs 1 e 28)

Ancelmo Góis: Os últimos dias da Perimetral
A prefeitura vai inaugurar dia 19 vias e túneis paralelos à Avenida Rodrigues Alves, no Porto do Rio. Duas semanas depois, botará abaixo o trecho do elevado que vai da Rodoviária ao prédio do Moinho Fluminense. (Págs. 1 e 14)
Marcha à ré no Brasil: Avaliação pior do país faz Bolsa cair
Após a agência Moody’s revisar a perspectiva para o Brasil de positiva para estável, a Bolsa caiu 1,15% e o dólar foi a R$ 2,20. (Págs. 1, 21, Merval Pereira e Míriam Leitão)
Petrobras é rebaixada: No dia do seu 60º aniversário, estatal tem nota da sua dívida rebaixada (Págs. 1 e 21)

Ligações perigosas: Após denúncias, diretor da ANS cai
O diretor Elano Figueiredo renunciou, após a Comissão de Ética da Presidência pedir sua demissão por omitir relação com planos de saúde. (Págs. 1 e 23)
Pressão sindical: Lei dos Portos morre na praia
Quatro meses após a nova Lei dos Portos entrar em vigor, sindicatos ainda têm impedido a livre contratação de funcionários. (Págs. 1 e 26)
Flagrante forjado: Oficiais PMs são afastados da rua
Dois oficiais que aparecem em vídeo forjando flagrante contra garoto em manifestação, no Rio, foram afastados. (Págs. 1 e 9)
Tragédias repetidas: Vergonha no Mediterrâneo
Ao menos 130 africanos morrem em travessia desumana na costa da Itália

Um barco de apenas 20 metros de comprimento e com 500 africanos a bordo afundou na costa da pequena ilha de Lampedusa, Sul da Itália, deixando ao menos 130 mortos. Ainda há cerca de 200 desaparecidos. Imigrantes fazem essa perigosa travessia, que já matou 14 mil desde 1988, em condições sub-humanas, em nova versão dos navios negreiros. O Papa Francisco considerou a tragédia uma vergonha. (Págs. 1 e 27)
Nelson Motta: Voto obrigatório é coisa de ditaduras, de esquerda ou de direita (Págs. 1 e 19)

------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Maioria do TSE vota contra criação do partido de Marina 
Relatora diz que validar assinaturas rejeitadas por cartórios seria ‘inconciliável com ordenamento jurídico’

A maioria do plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitou ontem o processo de criação do partido Rede Sustentabilidade, da ex-ministra Marina Silva. O julgamento começou com o voto contrário da relatora Laurita Vaz. Até as 21h15, outros quatro ministros haviam votado pelo indeferimento do registro: João Otávio de Noronha, Henrique Neves, Luciana Lóssio e Marco Aurélio Mello. Faltavam dois votos. O argumento apresentado é que a falta de assinaturas necessárias impede a criação da Rede. Para Laurita Vaz, seria “inconciliável” com a legislação brasileira presumir que a Rede teria obtido os apoios necessários. Segundo o TSE, Marina Silva - que aparece em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto para a Presidência da República e obteve cerca de 20 milhões de votos em 2010 - apresentou o apoio de 442 mil eleitores, 50 mil menos que o mínimo definido por lei. (Págs. 1 e Política A4)

João Otávio de Noronha
Ministro do TSE

“A questão não se resolve apenas no campo ético. A questão se resolve no campo da legalidade"
Agência de risco rebaixa nota de dívida da Petrobrás
No dia em que comemorou 60 anos de fundação, a Petrobrás teve rebaixada ontem, pela agência Moody’s, a classificação de risco de sua dívida de longo prazo. A nota para essa dívida passou de A3, um grau médio alto na escala de grau de investimento, ou seja, de risco considerado próximo a zero, para Baa1, que na escala é um grau médio, mas ainda com o status de grau de investimento. (Págs. 1 e Economia B1)

Crescimento e dívida na mira

A agência de classificação de risco Moody's avalia que o País precisa retomar um crescimento econômico consistente e reverter a alta da dívida pública para manter sua atual nota, Baa2. (Págs. 1 e B3)
Diretor da ANS cai por omissão em currículo
O diretor da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) Elano Figueiredo pediu demissão ontem, após a Comissão de Ética Pública da Presidência decidir recomendar sua exoneração. O Estado revelou que Figueiredo omitiu de seu currículo atuação em favor de plano de assistência médica em processos contra a ANS. (Págs. 1 e Metrópole A17)
Comissão questiona presidente do Cade
A comissão de ética da Presidência pediu explicação ao presidente do Cade, Vinícius Carvalho, que, segundo o ‘Estado’, omitiu que trabalhou com o deputado Simão Pedro (PT), suspeito de ter laços com o cartel dos trens. (Págs. 1 e Política A8)
1,3 milhão de imóveis terão IPTU reajustado pelo teto
A Prefeitura calcula que 1,3 milhão de imóveis da capital terão IPTU reajustado pelo teto em 2014, ou 45% do total de contribuintes. Caso a nova Planta Genérica de Valores (PGV) base de cálculo do imposto, seja aprovada pela Câmara, 38% das residências e 45% dos estabelecimentos comerciais pagarão o teto do reajuste, de 30% e 45%. (Págs. 1 e Metrópole A15)
Justiça fará audiência com estudantes e USP (Págs. 1 e Metrópole A11)

Susto nos EUA
Pedestres se escondem ao ouvir disparos perto do Congresso, em Washington. A polícia matou a tiros uma mulher após uma perseguição cinematográfica que teve início quando ela bateu seu carro em uma barreira de segurança da Casa Branca e fugiu com sua filha de 18 meses. Dois policiais ficaram feridos. (Págs. 1 e Internacional A10)
Dora Kramer 
Peso e medida

A racionalidade se impôs na decisão de José Serra de ficar no PSDB. Sua saída dividiria os votos e facilitaria a vida do PT. (Págs. 1 e Política A6)
Celso Ming
Cartão amarelo

Credor já percebe os sinais da deterioração das contas públicas do governo e as agências de classificação de risco dão cartão amarelo ao País. (Págs. 1 e Economia B2)
Antonio Paim
Como corrigir o sistema eleitoral

O anúncio do registro do 32º partido acendeu a luz vermelha. Mas, pelo desprestígio da classe política, pouca gente crê numa solução à vista. (Págs. 1 e Espaço Aberto A2)
Notas & Informações
Aposentadorias especiais

Mesmo tendo sido advertido, o presidente da Câmara decidiu facilitar o exame de propostas. (Págs. 1 e A3)
------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense

Manchete: Sem Rede, Marina diz hoje se sai candidata
Como esperado, o TSE negou o registro à Rede. Mas, nem por isso, os adversários podem celebrar. Sob forte pressão em reunião com aliados, Marina Silva se mostrava dividida entre aceitar ou não o apelo de companheiros para não desistir da disputa. Sete partidos puseram-se à disposição para que a ex-ministra, que teve quase 20 milhões de votos na eleição de 2010, dispute a Presidência em 2014, Entre os defensores da candidatura, as preferências voltavam-se para o PEN.

Concorrentes aguardam definição da ex-ministra.

Sindicato teria "vendido" filiados ao Solidariedade. (Págs. 1 e 2 a 5)
Dívida: Petrobras faz 60 anos e é rebaixada
A agência Moody's vê risco no superendividamento da estatal, baixa a nota de crédito e mantém perspectiva de nova redução na classificação da empresa. Decisão azedou a celebração do aniversário da Petrobras pelo governo. (Págs. 1 e 10)
EUA: Calote será pior do que crise de 2008
O Tesouro norte-americano alertou que o país enfrentará uma “recessão que lembra os episódios de 2008, ou inclusive pior”, se o Congresso vetar o aumento de endividamento público. Tiroteio e perseguição em Washington elevaram a tensão. (Págs. 1, 8 e 9)
Naufrágio na Costa da Itália mata 130 imigrantes ilegais (Págs. 1 e 14)

Cardeais propõem nova constituição ao Papa Francisco (Págs. 1 e 15)

------------------------------------------------------------------------------------
Valor Econômico

Manchete: Defesa contra rebaixamento inclui maior esforço fiscal
Para impedir a deterioração das contas públicas, o governo terá de continuar a perseguir superávit primário entre 2% e 2,5% do PIB pelos próximos cinco anos ou além. Só com esse esforço fiscal seria possível evitar o crescimento da dívida bruta como proporção do PIB, um dos principais indicadores de solvência do país, atualmente de R$ 2,75 trilhões — 59,1% do PIB. A expectativa de crescimento da dívida bruta é um dos principais números que embasaram a decisão da agência de classificativa para estável a perspectiva da nota de crédito da dívida soberana do país.

Ontem, a agência rebaixou a nota de crédito da Petrobras, de A3 para Baal — em função da alavancagem e queima de caixa da empresa — e também notas de depósito e dívida dos principais bancos brasileiros. (Páginas A2 e A3)
Empresas temem perder área em porto
Empresas estão suspendendo investimentos em uma área na retaguarda do porto de Santos devido ao projeto do governo de expandir os limites do porto para zonas privadas. A intenção de Brasília é ampliar o porto organizado incluindo, entre outras áreas, o distrito industrial da Alemoa, ocupado por 37 empresas que têm a titularidade dos terrenos. Pela nova Lei dos Portos, as áreas do porto organizado só podem ser ocupadas após licitação. As empresas do distrito temem a desapropriação de seus imóveis. A aprovação da alteração dos limites do porto depende de decreto presidencial, cuja minuta já está pronta. (Págs. 1 e B2)
Seguradoras vão indenizar danos de Jirau
A disputa em torno do seguro da usina hidrelétrica de Jirau está mais próxima de um desfecho. O consórcio Energia Sustentável do Brasil retirou na semana passada o processo que movia contra as seguradoras da obra, lideradas pela SulAmérica. Os dois lados fizeram um acordo para encerrar o processo judicial que corria na Justiça de São Paulo, conforme apurou o Valor.

No acordo, as seguradoras e resseguradoras concordaram em pagar R$ 100 milhões ao consórcio construtor da usina. A diferença entre esse valor e os R$ 400 milhões pedidos pelas empresas será decidida em processo de arbitragem em Londres. O caso gira em torno da indenização pelos danos materiais e financeiros causados por atos de vandalismo no canteiro de obras, em 2011. (Págs. 1 e C11)
Itaú lança R$ 4,4 bi em certificados imobiliários
O Itaú Unibanco prepara a maior operação de cessão de créditos imobiliários já realizada no mercado de capitais brasileiro, no valor de até R$ 4,376 bilhões. A operação será realizada com a emissão de certificados de recebíveis imobiliários (CRI). Os títulos possuem lastro em financiamentos habitacionais concedidos pelo banco a pessoas físicas.

A operação chamou a atenção do mercado não apenas pelos volumes envolvidos, mas porque apenas uma pequena parte será efetivamente vendida a investidores. Os certificados serão emitidos em duas séries. A primeira, no valor de R$ 3,290 bilhões e protocolada na Comissão de Valores Mobiliários, tem o próprio Itaú como único investidor. (Págs. 1 e C1)
Carro sem motorista mostra a rota do futuro
São pouco depois das 11h em uma quente manhã de julho em Parma, na Itália, e um sedã Hyundai prateado roda pelo anel viário, com pouco trânsito à frente. O carro pega uma entrada em direção ao centro e os dois homens nos bancos da frente continuam conversando sem parar. Nenhum deles está com as mãos no volante ou olhando para a estrada.

Carros autônomos viraram a nova mania no setor, com empresas de tecnologia e montadoras em disputa para construir veículos que vão revolucionar a forma como viajamos, trabalhamos e nos locomovemos ao emprego e até o costume comprar carros. A ideia pode soar futurista, mas seus partidários defendem que os benefícios são tangíveis e chegarão em breve. Montadoras sustentam que os veículos autodirigidos vão evitar 90% dos acidentes de carro. Especialistas dizem que vão transformar os engarrafamentos em coisa do passado. (Págs. 1 e B4)
TSE rejeita a criação de partido de Marina Silva (Págs. 1, A6 e A7)

Terminal de contêineres pode inaugurar nova fase para a economia cubana (Págs. 1 e A12)

Bradar, da Embraer, fará levantamento aerocartográfico de áreas de risco, diz Aveiro (Págs. 1 e B3)

Desindustrialização no alumínio
Perto de deixar a Associação Brasileira do Alumínio, Adjarma Azevedo afirma que “o cenário é de sobrevivência”, diante dos preços da energia e da concorrência dos importados. “Caminhamos para ser apenas exportadores de bauxita e alumina”. (Págs. 1 e B3)
Troca pode favorecer venda da TIM
Marcos Patuano, principal executivo de operações da Telecom Italia, assumirá interinamente as funções do ex-presidente Franco Bernabè. A mudança abre espaço para a discussão sobre a venda de ativos da TIM. (Págs. 1 e B6)
Justiça para obras em terminal da Vale
A Justiça determinou a paralisação das obras de expansão do antigo terminal da Ultrafértil em Cubatão (SP), que agora pertence à Vale. O pedido foi feito pelo Ministério Público devido a problemas ambientais. (Págs. 1 e B13)
Governo libera defensivo da Basf
A Basf obteve licença para vender no mercado brasileiro um novo defensivo — batizado Orkestra — contra a ferrugem asiática e outras doenças provocadas por fungos nas lavouras de soja. (Págs. 1 e B13)
Preço reduz investimento em café
Com os preços do arábica em queda desde o segundo semestre de 2011, a renovação dos cafezais e a ampliação de áreas em algumas regiões produtoras do Brasil deverão ser reduzidas, assim como os tratos culturais. (Págs. 1 e B14)
Maioria vê juros abaixo de 10%
Entre 40 economistas ouvidos pelo Valor, 27 veem a Selic abaixo de 10% no fim do ano, e 13 esperam a taxa justamente em 10%. Para 2014, a dispersão é maior: 15 acreditam que os juros estarão acima de 10%, com as estimativas alcançando 11,5%. (Págs. 1 e C1)
Susep quer acelerar liquidações
Com casos de liquidação extrajudicial que se arrastam desde a década de 1960, a Superintendência de Seguros Privados editou novas regras com incentivos para acelerar os procedimentos, principalmente quanto à remuneração dos liquidantes. (Págs. 1 e C12)
ISS fora do cálculo do PIS/Cofins
Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília, definiu que o Imposto sobre Serviços (ISS) não deve ser incluído no cálculo das contribuições ao PIS e Cofins. A decisão uniformiza a favor dos contribuintes uma discussão importante contra a Receita. (Págs. 1 e E1)
Ideias
Silvio Campos Neto

Considerando o aspecto fiscal, em particular, a postura do governo será determinante para o destino do rating brasileiro. (Págs. 1 e A14)

Armando Castelar Pinheiro

O modelo regulatório sob o qual vão operar as ferrovias praticamente inviabiliza as concessões. (Págs. 1 e A15)
------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas

Manchete: Como a educação engole seu salário
Mensalidades escolares consomem fatia cada vez maior da renda das famílias

Nos três últimos anos, enquanto os rendimentos reais domiciliares subiram anualmente em média 3% na Grande BH, os reajustes dos colégios privados variaram entre 7% e 11%, segundo o IBGE. Para 2014, o Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais (Sinep) estima um aumento médio de 8% nas mensalidades e os salários mais uma vez não acompanharão. De acordo como Sinep, a renda média mensal das famílias com filhos matriculados é de R$ 4,5 mil. E o custo de duas mensalidades escolares, em torno de R$ 1,6 mil, já engole 36% dos ganhos. A projeção é que em 10 anos esse percentual suba para 42% e em 20, para 50,9%. Por isso, especialistas aconselham que se faça poupança para conseguir bancar o ensino privado no futuro. (Págs. 1 e 11)
Ofensiva de tirar o sono
A Prefeitura de Belo Horizonte decidiu mudar a postura sobre a abordagem de moradores de rua. Impedidos por liminar de recolher pertences dos sem-teto, os agentes municipais serão orientados por instrução normativa da PBH sobre quais objetos poderão apreender, detalhamento que não consta na decisão judicial. Colchões, fogões e produtos do tipo estão entre os alvos da investida, que afetará desabrigados como os que moram sob o Viaduto da Floresta, onde pedras foram assentadas para tentar evitá-los. (Págs. 1 e 17 a 19)
TSE barra o partido de Marina
Por 6 votos a 1, o Tribunal Superior Eleitoral negou o registro do partido Rede Sustentabilidade, da ex-senadora Marina Silva. A Corte entendeu que a legenda não reuniu o número necessário de assinaturas. Assediada por outros partidos, Marina tem até amanhã para decidir se se filia a um deles para poder se candidatar nas eleições de 2014. (Págs. 1 e 3)
A guerra das cadeiras
Promotor e defensor público de Passa Quatro, no Sul de Minas, brigam na Justiça. O primeiro exige assento mais alto, ao lado do juiz, e o segundo quer ambos no mesmo plano. O caso foi parar no Tribunal de Justiça. Por enquanto, o defensor vence. (Págs. 1 e 9)
R$ 1.260: Salário que médico de Cuba diz que ganhará
Mais 225 médicos cubanos chegaram a BH. Até domingo serão 400. Farão treinamento para serem mandados a vários estados. Higinio Rodriguez disse que, da bolsa de R$ 10 mil que o Brasil pagará ao governo cubano, receberá só R$ 1.260, o equivalente aos 573 pesos que ganhava em Cuba. (Págs. 1 e 21)
------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio

Manchete: Taxa d’água fixa para condomínios
Compesa lançou campanha para atrair residenciais da RMR que não usam água da estatal, optando por poços ou carros-pipa. Quem aderir terá direito ainda a descontos de 5% a 25%. (Págs. 1 e Economia 1)
Partido de Marina fica sem registro
Rede foi vetada pelo TSE. Outras legendas tentam atrair a presidenciável. (Págs. 1 e 7)
Modelo para a privatização da BR-232 é inédito (Págs. 1 e Economia 3)

Bancários: Sindicato distribui sopa e divulga greve que completa 16 dias. Comércio teme perdas e pede saída negociada (Págs. 1 e Economia 4)

------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete: TSE nega criação de Rede e Marina decide futuro hoje
Ex-senadora ainda tem tempo para entrar em outro partido e concorrer, mas disse não ter plano B. (Págs. 1, 8 e 18 - Rosane de Oliveira)
Drama crônico: Mais doentes do que vagas na Capital
Tempo médio de espera por leito em hospitais públicos é de três dias. (Págs. 1 e 36)
Washington: Fuga, tiroteio e pânico próximo ao Capitólio
Após furar bloqueio com criança no carro, mulher é morta pela polícia. (Págs. 1 e 32)
Sem fronteiras: Quadrilha aliciava caminhoneiros
Abordados no porto seco de Uruguaiana, motoristas desviavam cargas. (Págs. 1 e 42)
No Brasil do Mundial
A oito meses da Copa, só quatro obras prontas (Págs. 1, 4, 5, Esportes e 55 - Paulo Sant’Ana)
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico

Manchete: Dólar alto é ônus e bônus para a indústria nacional
O mesmo câmbio que favorece a produção, aumentando a competitividade em relação aos importados, dificulta as vendas para o comércio e força a acumulação de estoques industriais, atrasando a recuperação do setor. Com o início da desvalorização do real em relação ao dólar, em maio, houve descolamento nas trajetórias da indústria e do comércio. Um dos efeitos é a formação de “um nível de estoque acima do padrão desejável”, define o
gerente de Indústria do IBGE, André Macedo. (Págs. 1, 4 e 5)
Tigre no Nordeste
A joint-venture da brasileira Tigre com a americana ADS vai instalar a sua segunda fábrica no país, em Maceió, para abastecer as regiões Norte e Nordeste, explica José Cattani, diretor-geral da empresa. (Págs. 1 e 10)
Tombini espera PIB maior no 3º trimestre
O presidente do BC minimizou o rebaixamento de perspectiva da dívida pela Moody’s, afirmando que a economia está melhor do que pensam. (Págs. 1 e 9)
Infraestrutura: Funcef investirá mais R$ 200 milhões em fundo
Instituição fará aporte no “Fundo Noiva” que está sendo constituído pela Caixa para adquirir participação nas concessões de logística. (Págs. 1 e 18)
GOOGLE e Sebrae lançam nova etapa do “Conecte o seu negócio” (Págs. 1 e 11)

------------------------------------------------------------------------------------
EBC Serviços

Postar um comentário