Presos pelo mensalão aguardam em presídios no DF decisão sobre onde cumprir penas


Dos 12 condenados com mandados de prisão expedidos, apenas Henrique Pizzolato não se entregou. Os 11 presos estão no Complexo Penitenciário da Papuda e na Penitenciária Feminina do Gama
REDAÇÃO ÉPOCA, COM ESTADÃO CONTEÚDO


José Dirceu desembarca em Brasília, acompanhado por policiais federais (Foto: André Coelho/Agência O Globo)

Os nove presos pelos crimes do escândalo do mensalão que estavam em São Paulo e Belo Horizonte foram levados neste sábado (16), em avião da Polícia Federal e da Força Nacional, para Brasília. A aeronave pousou no fim da tarde no Aeroporto Internacioransnal Presidente Juscelino Kubitschek, após passar pelas duas cidades.
Em São Paulo, embarcaram o ex-ministro José Dirceu e o deputado federal José Genoino. E seguida, em Belo Horizonte, entraram outros sete presos: Marcos Valério, operador do esquema; Cristiano Paz e Ramon Hollerbach, ex-sócios de Valério; Simone Vasconcelos, ex-funcionária de Valério; Romeu Queiroz, ex-deputado pelo PTB; Kátia Rabello, ex-presidente do Banco Rural; e José Roberto Salgado, ex-dirigente do Banco Rural.
José Genoino (de rosa) caminha à frente de policiais federais na chegada a Brasília (Foto: André Coelho/Agência O Globo)
Antes de embarcar no Aeroporto da Pampulha, os sete presos em Minas fizeram exames no Instituto Médico Legal. Segundo informações da jornalista da TV Globo Minas Juliana Alvarenga, em relato no portal G1, Marcos Valério se mostrou incomodado ao descer da van que os levou ao IML. Ele disse: "Bela incompetência, incompetência total". E se desvencilhou da mão de um policial federal que tentava segurar seu braço (foto abaixo).
Os outros dois presos, entre os 12 condenados no julgamento do mensalão cujos mandados de prisão foram emitidos na sexta-feira (15), Jacinto Lamas e Delúbio Soares, haviam se apresentado em Brasília, na sexta e no sábado, respectivamente.
Dos 12 com mandados de prisão, apenas Henrique Pizzolato, ex-diretor de marketing do Banco do Brasil, não se entregou. Ele foi para a Itália, aproveitando que tem dupla cidadania, disseram a família e o advogado que o defendeu no julgamento do mensalão. A PF emitiu umalerta para Interpol.
Os 11 presos aguardam, no Distrito Federal, as cartas sentenças, que determinarão onde cada um cumprirá sua pena. O documento deve sair somente na segunda-feira (18). Os nove homens presos estão no Complexo Penitenciário da Papuda. As duas mulheres do grupo foram levadas para a Penitenciária Feminina do Gama, cidade-satélite de Brasília.


Marcos Valério puxa o braço para se livrar de um policial federal na chegada ao IML em Belo Horizonte (Foto: Wesley Rodrigues / Jornal Hoje em Dia / Agência O Globo)
0