Bom dia! Veja as manchetes dos principais jornais do País desta segunda-feira, 30 de dezembro. Araketu comanda a festa nesta segunda-feira em Cabo Frio. Apresentação faz parte dos shows de fim de ano na praia do Forte. Show está previsto para começar às 22h.

Do G1 Região dos Lagos
Tatau (Foto: Reprodução/TV Bahia)Tatau (Foto: Reprodução/TV Bahia)
Nesta segunda-feira (30) a programação de shows de final de ano em Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio, conta com a alegria do Araketu. O show será às 22h no palco montado na  Praia do Forte. A programação, que conta com grandes nomes da música brasileira, vai até o dia 9 de janeiro.

Os festejos de fim de ano também contemplam o segundo distrito. Em Tamoios haverá três dias de muita festa e shows, começando pouco depois da queima de fogos, no dia 31, com o show da dupla sertaneja Munhoz e Mariano. No dia 1°, é a vez da apresentação do cantor Thiaguinho. No dia 2, quem se apresenta é o cantor Frank Aguiar. Todos os shows serão no Espaço de Eventos de Unamar a partir das 22h.

Thiaguinho trouxe samba para a terra do arrocha (Foto: Fredson Souza / Expomontes 2013)Thiaguinho fará o show da virada de ano
(Foto: Fredson Souza / Expomontes 2013)
Para comemorar a chegada de 2014, a Praia do Forte recebe o cantor Thiaguinho, logo depois da queima de fogos. Serão 17 minutos com fogos pirotécnicos acompanhados de trilha musical sincronizada.  O réveillon contará também com cinco balsas na Praia do Forte para a entrada do novo ano. Além da Praia do Forte, haverá grande queima de fogos na Praia do Peró, e na Orla de Tamoios, que terão duas balsas de fogos em cada praia. 
" A partir de agora,  vamos ter a queima de fogos por todo o município de Cabo Frio. Nossa cidade será a segunda maior cidade do interior do estado com a maior queima de fogos na virada do ano em diversos pontos do município ", disse o prefeito Alair Correa.
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Estado de S. Paulo

Na TV, Dilma diz que "guerra psicológica" inibe investimentos

Correio Braziliense

A gastança sem freio da Câmara Legislativa

Estado de Minas

Malha fina para prefeitos

Jornal do Commercio

Minha Casa agora para a classe média

Zero Hora

11 cidades e um mesmo problema - Calor, falta d agua e indignação

Brasil Econômico

Manchete: "A Fifa não é uma OTAN. Não tem esta força"
Radiobras


-------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Na TV, Dilma diz que ‘guerra psicológica’ inibe investimentos
Presidente critica ‘desconfiança injustificada’ de setores e lista medidas tomadas após as manifestações

Na mensagem de fim de ano em rede de rádio e TV, a presidente Dilma Rousseff criticou setores que fazem “guerra psicológica” e podem “inibir investimentos”. “Se alguns setores, seja por que motivo for, instilarem desconfiança, especialmente desconfiança injustificada, isso é muito ruim. A guerra psicológica pode inibir investimento e retardar iniciativas”, afirmou. Ela aproveitou para listar medidas de seu governo após as manifestações de junho e pediu aos jovens que comparem o Brasil de hoje com o do passado. Dilma assegurou o compromisso com a manutenção do equilíbrio das contas públicas e controle da inflação. A deterioração das contas públicas ao longo do ano foi um dos principais problemas que minaram a confiança dos investidores e a inflação permanece em patamares elevados. A presidente destacou a “luta vigorosa” de seu governo em defesa do emprego e da valorização salarial do trabalhador e disse que o país alcançou o “menor índice de desemprego da história”. (Págs. 1 e Política A4)

Cada aparição custa RS 90 mil

A estratégia da presidente Dilma de aparecer em rede nacional já custou R$ 1,2 milhão aos cofres públicos desde o início do governo. O Planalto gasta, a cada aparição, R$ 90 mil. Ontem foi o 17º pronunciamento. (Págs. 1 e A4)

Subsídio deve subir 18% em 2014 e chegar a R$ 323 bi
O governo federal deverá gastar com subsídios e desonerações tributárias R$ 323,17 bilhões em 2014, um crescimento de 18% sobre os R$ 274 bilhões previstos neste ano, informa Lu Aiko Otta. Os gastos são superiores à verba destinada a saúde e educação, que terão, juntos, R$ 192,74 bilhões no próximo ano. Os dados são de estudo do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas. (Págs. 1 e Economia B8)
Mulher-bomba mata 16 e fere 40 na Rússia
Uma suicida acionou a bomba que levava presa ao corpo na estação de trem de Volgogrado, Rússia, deixando 16 mortos e 40 feridos. Antes de passar pelo detector de metais, a mulher detonou dez quilos de TNT. Nenhum grupo assumiu a autoria do ataque. (Págs. 1 e Internacional A9)
Humaitá: Uma cidade em pé de guerra
Os 45 mil moradores de Humaitá (AM) estão em guerra contra os índios, relata José Maria Tomazela. Uma tropa de 500 homens da Força Nacional e da Polícia Federal tenta serenar os ânimos. (Págs. 1 e Política A6)
Negócios: O bilionário mercado da dor
Gigantes do setor farmacêutico montam estratégias agressivas para venda de medicamentos analgésicos, segmento que movimenta R$ 2,6 bilhões ao ano no País. (Págs. 1 e Economia B1)
Região vítima de chuvas recebeu só 16% de casas (Págs. 1 e Metrópole A12)

Escolas estaduais de SP estão abaixo da média (Págs. 1 e Metrópole A14)

Israel revida disparo de foguete e ataca o Líbano (Págs. 1 e Internacional A7)

José Roberto de Toledo
Muito além da urna

Para espanto dos políticos, a vida dos brasileiros depende pouco dos eleitos. As principais tendências da população mudam à revelia de Brasília. (Págs. 1 e Política A6)

Notas & Informações
A confiança dos industriais

Recuperação pode estar começando, mas perspectiva é de crescimento moderado. (Págs. 1 e A3)

------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense

Manchete: A gastança sem freio da Câmara Legislativa
Desde 2009, a despesa com servidores dos gabinetes dos distritais subiu de R$ 97 mil para R$ 158 mil. Em janeiro, será de R$ 173,6 mil — um aumento de 80%. O valor é 125% maior do que o gasto na Câmara dos Deputados. (Págs. 1 e 17)
Coquetel do dia seguinte contra a Aids
Especialistas defendem a ampliação do uso de remédios preventivos em situações de risco. Até julho, brasileiros testam vacina anti-HIV em primatas. (Págs. 1 e 15)
Mais regras para planos de saúde
A partir de 2 de janeiro, as operadoras serão obrigadas a oferecer 87 novos procedimentos, entre eles medicamentos orais para o câncer e cirurgias por vídeo. (Págs. 1 e 7)
Mensaleiro quer cursar uma pós-graduação (Págs. 1 e 4) 

Superlotadas, prisões aguardam 83.500 novas vagas (Págs. 1, 2 e 3)

------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas

Manchete: Malha fina para prefeitos
Tribunal de Contas cria sistema on-line para vigiar compras dos municípios.

Já está em funcionamento um sistema que permite ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) comparar os preços de mercado com os pagos pelas 853 prefeituras mineiras, suas câmaras municipais e órgãos estaduais, assim que as notas fiscais de compra são emitidas. É uma espécie de malha fina sobre as licitações e contratos feitos com dinheiro público. Em caso de valores distorcidos, é feito um alerta de superfaturamento. O banco de dados das notas fiscais é fornecido pela Secretaria de Estado da Fazenda. O TCE fiscaliza receita de R$ 85 bilhões por ano. (Págs. 1 e 3)

Planos terão mais exames e consultas 
A partir de 2014, conveniados serão beneficiados por mais 87 procedimentos, que passarão a ter cobertura obrigatória das operadoras. A principal novidade são os 37 medicamentos de uso oral para tratamento dos tipos mais comuns de câncer. Foram incluídas também 28 cirurgias por vídeo e sete por exames. (Págs. 1 e 9)

Telefonia segue no topo do ranking de reclamações (Págs. 1 e 11)

Penitenciárias: Prisão de mensaleiros expõe mazelas do sistema (Págs. 1 e 5)

------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio

Manchete: Minha Casa agora para a classe média
Governo pretende ampliar o Minha Casa, Minha Vida. Meta é beneficiar sobretudo jovens casais, construindo até 3 milhões de moradias. Valor máximo do imóvel, R$ 190 mil, deve aumentar. (Págs. 1 e 7)
Dilma sai em defesa da área econômica
No último pronunciamento do ano, presidente diz que sua equipe é vítima de “guerra psicológica”. (Págs. 1 e 3)
Terrorismo: Ataque suicida mata 16 na Rússia e ameaça jogos de inverno. (Págs. 1 e 5)

Corrêa vai processar a polícia
Família de ex-deputado moverá ação pois considera irregular que ele tenha sido conduzido algemado. (Págs. 1 e 3)
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete: 11 cidades e um mesmo problema - Calor, falta d’água e indignação
Sob temperaturas que beiraram os 40°C, gaúchos enfrentam desabastecimento há pelo menos cinco dias. Corsan diz que culpa é do excesso de consumo.

Rosane de Oliveira
Corsan carece de uma gestão mais moderna.

Moisés Mendes
Nada é mais primitivo do que ficar sem água e luz. (Págs. 1, 4, 5, 27 e 39)

Obra da Copa: Beira-Rio fica para fevereiro
Conclusão de estádio, que deveria ser entregue amanhã, atrasará pelo menos 30 dias e custará R$ 70 milhões a mais. (Págs. 1 e Esportes)
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico

Manchete: "A Fifa não é uma OTAN. Não tem esta força"
Ao refutar a percepção de que o Brasil sofreu mais exigência do que outros países na preparação para a Copa, o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, ressalta que “a Fifa é uma organização que reúne mais países que a própria ONU e administra com muito sucesso os conflitos”. À frente do ministério há dois anos, ele enfrentou resistências ao seu nome para organizar o evento, afirma que 90% da obras estarão prontas e garante que fazer uma Copa não tem mistério: “Só muito trabalho”. (Págs. 1 e 4 a 7)
Crédito imobiliário: Emissão de Letras subiu 48% no ano
A explosão de investimentos lastreados por imóveis teve nas Letras de Crédito Imobiliário uma grande aliada, por ser um título mais barato para os bancos e mais seguro para investidores. (Págs. 1 e 17)
Seguros: As apostas da Coface para ampliar a sua participação no Brasil em 2014 (Págs. 1 e 18)

Informe NY: As revelações de Snowden já deixaram marcas que vão perdurar (Págs. 1 e 25)

Política: As imprevisíveis lições que vieram à tona durante o ano de 2013 (Págs. 1 e 3)

Rodovias: Último leilão tem deságio de 61,13%
A Invepar arrematou, na sexta-feira, a concessão da BR- 040, que liga Minas Gerais a Brasília, com o maior desconto oferecido até agora no preço teto de pedágio estabelecido pelo governo. (Págs. 1 e 10)
------------------------------------------------------------------------------------
0