Frase do dia

“O amor é tudo”
(Jesus Cristo)







domingo, 15 de dezembro de 2013

Em crise financeira, rival do Botafogo perde estrelas antes da Libertadores

Deportivo Quito não vai contar com os serviços do experiente goleiro Carini e do goleador Frederico Nieto, ex-Atlético-PR
Carini, Atlético Mineiro (Foto: Reprodução / site)Carini atuou pelo Atlético-MG entre 2009 e 2010 (Foto: Reprodução / site)
O sorteio realizado na última quinta-feira traçou o início da trajetória botafoguense no retorno do clube à Libertadores após 17 anos. A caminhada terá início contra o Deportivo Quito, na Pré-Libertadores, e os torcedores que apenas ouviram falar dos rivais durante 2013 podem ficar mais tranquilos. Em grave crise financeira, o clube não conta mais com seus dois principais nomes na última temporada: o goleiro uruguaio Héctor Fabián Carini e o atacante argentino Frederico Nieto.


Ambos saíram por falta de pagamento. O goleiro, de 33 anos, era uma das maiores lideranças do grupo. Com vasta experiência no futebol europeu, onde passou por Juventus e Inter de Milão, entre outros, Carini chegou inclusive a atuar no Brasil, entre 2009 e 2010, quando defendeu as cores de outro alvinegro, o Atlético-MG. Antes de acertar com a equipe equatoriana, havia jogado pelo Peñarol, em 2012.
Nieto foi o maior goleador da equipe na temporada. Com impressionantes 29 gols em 34 partidas, média de 0,85 por jogo - como comparação, Hernane, o artilheiro do Brasil, terminou o ano com média de 0,61, marcando 36 vezes em 59 partidas. Com seu 1,90m, se destaca nas jogadas aéreas, como fez durante sua passagem de dois anos e meio pelo Atlético-PR. Um problema a menos para a dupla Dória e Bolívar, e também para Jefferson na competição sul-americana.
Federico Nieto, atacante do Atlético-PR (Foto: Divulgação/Atlético-PR)Nieto nos tempos de Furacão: goleador também não pertence mais ao Deportivo Quito (Foto: Divulgação/Atlético-PR)
O jornalista britânico Tim Vickery, que vai a fundo no estudo de equipes de futebol da América do Sul para coberturas internacionais, analisou o momento vivido pelo primeiro rival botafoguense em entrevista à Rádio Globo, no último sábado. Para ele, que ainda aponta outro destaque que está de saída do Deportivo, o Botafogo é franco favorito.
- O clube passa por uma crise financeira muito grande. Os melhores jogadores estão indo embora por falta de pagamento. O Nieto, artilheiro do time e que jogou no Atlético-PR, está indo embora. O Colón, canhoto, baixinho e habilidoso, também, o povo o quer na seleção do Equador. O Deportivo vai ter de se estruturar com uma rapidez impressionante. A altitude não deveria ser problema. O Botafogo, mesmo com mudança de comando, tem tudo para passar. Só não passa se tiver falha no planejamento - analisou.
O primeiro desafio do Botafogo contra o Deportivo Quito será no Estádio Atahualpa, localizado na capital equatoriana, com 2.850 metros de altitude, no dia 29 de janeiro. A partida de volta, no Rio de Janeiro, está marcada para o dia 6 de fevereiro. Quem avançar no confronto entra no Grupo 2 da competição, com Unión Española, do Chile, o terceiro representante da Argentina (San Lorenzo ou Lanús) e o Independiente José Teran, do Equador. 
Postar um comentário