Falso intérprete de funeral de Mandela diz sofrer de esquizofrenia

Nervoso, ele teria tido um ataque durante a cerimônia

LONDRES, ING  (ANSA) -  O "falso intérprete de surdos", que foi criticado por inventar sinais que não existem no funeral de Estado de Nelson Mandela, disse ter sofrido um episódio de esquizofrenia naquele momento, sofrendo alucinações. Thamsanqa Jantjie, que apareceu diante das câmeras movendo as mãos como se estivesse interpretando discursos de políticos como os chefes de Estado do Brasil, Dilma Roussef, e dos EUA, Barack Obama, admitiu à imprensa sul-africana que, nervoso, começou a "ouvir vozes".


"Atualmente sou um paciente recebendo tratamento para esquizofrenia", disse, acrescentando que "não pude fazer nada".
"Eu estava sozinho numa situação muito perigosa. Tentei me controlar e não revelar ao mundo a situação pela qual eu passava. Sinto muito, foi a situação em que me encontrei", apontou. Ele disse, no entanto, em entrevista à emissora local "Talk 702", se sentir satisfeito com sua atuação na cerimônia.
0