Jogador de futebol do Resende é morto a tiros em Saquarema

Rodrigo Parreiras Mendonça, de 27 anos, estava de folga e foi ver as filhas.
Time do Sampaio Corrêa, que revelou o atleta, decretou luto por sete dias.
Do G1 Região dos Lagos
Rodrigo Parreiras Mendonça, de 27 anos, foi morto em Saquarema (Foto: Antonio Carlos/Saquapress)Rodrigo Parreiras Mendonça (com camisa do Sampaio Corrêa) foi morto em Saquarema (Foto: Antonio Carlos/Saquapress)
O jogador de futebol Rodrigo Parreiras Mendonça, que defendia o time do Resende, foi assassinado na noite de domingo (8) em Saquarema, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro. Revelado pelo Sampaio Corrêa, por onde disputou a Série B do Carioca deste ano, o atleta de 27 anos estava de folga e visitava as duas filhas pequenas na cidade. Segundo testemunhas, ele levou quatro tiros quando estava na porta de casa.


Rodrigo chegou a ser socorrido no local e encaminhado para o hospital do distrito de Bacaxá, mas morreu no caminho. Chocada com o crime, a diretoria do Sampaio decretou luto oficial de sete dias. Gerente de futebol do clube, Rafael Castro conta que foi correndo para o hospital quando soube da notícia.
"O presidente Rômulo me ligou falando que o Rodrigo tinha sido baleado. A gente fica sem palavras para poder descrever uma situação como essa. Ele estava todo feliz que ia ser titular no Resende. Dizia que o ano que vem ia ser o ano dele. Tinha um talento fora de série, era um amigo, além de tudo. Que a justiça seja feita", disse, abalado.
Rodrigo fechou com o Resende para a disputa do Carioca em novembro, mas ainda tinha vínculo com o Sampaio Corrêa. O elenco do Gigante do Vale estava de folga desde sábado e iria voltar aos treinos nesta segunda-feira. Em junho, Rodrigo já havia perdido a esposa, vítima de câncer. Ele deixa uma filha de sete e outra de apenas um ano. 
Revelado no Sampaio, Rodrigo já passou por Bangu, Madureira, Botafogo e até pelo futebol português.
Segunda morte em dois meses
Esse é o segundo caso de assassinato de um ex-jogador do Sampaio Corrêa em menos de dois meses. No fim de outubro, o ex-atleta João Rodrigo foi morto de maneira violenta no Rio de Janeiro. Ele foi sequestrado, decapitado, e sua cabeça foi entregue numa mochila à sua esposa, uma policial militar.
João Rodrigo já havia se aposentado, mas, de acordo com o clube, sua volta para o futebol estava sendo negociada. O crime aconteceu em Realengo, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Rodrigo e João Rodrigo jogaram juntos a Série B do Carioca deste ano pelo Sampaio Corrêa.
0