Mandela reúne opostos

Nelson Mandela marcou sua trajetória pessoal e política pelo elogio e pela prática da reconciliação, desapontando alguns de seus partidários, que viam na capacidade extrema de perdão, por vezes, um sinal de fraqueza. Numa iniciativa sem precedentes, o primeiro presidente negro dos Estados Unidos, Barack Obama, escolheu homenagear o primeiro chefe de Estado negro da África do Sul com um gesto de reconciliação já tornado histórico pelas TVs do mundo inteiro: um aperto de mão com o presidente cubano, Raúl Castro.Na tribuna montada numa das cabeceiras do gramado do estádio Soccer City, onde mais de 90 líderes mundiais se reuniram na cerimônia de luto por Mandela, morto na última quinta-feira, aconteceu o primeiro cumprimento público entre um chefe de Estado americano e um mandatário da ilha desde a Revolução Cubana, em 1959. Desde então, os EUA mantêm a ilha sob embargo.
0