Por um turismo mais acessível

Campanha, site e aplicativo estimulam adaptação da oferta do setor para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida 
O Ministério do Turismo vai lançar, na próxima semana, a campanha “Turismo Acessível – Um Brasil onde todos podem viajar”. A ação é realizada em parceria com a Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República e o Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Portadora de Deficiência Física (Conad). O objetivo é sensibilizar o setor turístico para adaptar e qualificar seus produtos e serviços para o atendimento às pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. As peças da campanha serão veiculadas em jornais, revistas, rádios, internet e redes sociais. 


O MTur também está criando um aplicativo para tablets e celular, onde os turistas que têm algum tipo de deficiência física vão poder avaliar a acessibilidade dos empreendimentos hoteleiros e atrativos turísticos. A ferramenta iniciará com cerca de 41 mil estabelecimentos do Cadastur, sistema do ministério que registra os prestadores de serviço de turismo do Brasil. O MTur vai premiar as empresas mais bem avaliadas e emitir um alerta aos equipamentos que receberem avaliações negativas. 
A campanha inclui, ainda, a criação de um site voltado para o setor turístico, que vai disponibilizar cartilhas, normas e orientações para adaptação a esse público. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem aproximadamente 45 milhões de pessoas com deficiência.
 

Comentários

Beth Marge disse…
Que boa notícia recebo por este blog. Muitos de nós deixamos de fazer turismo interno exatamente por sentir insegurança qto aos serviços oferecidos no meio turístico.Com a cartilha e o site, ficará mais fácil viajar e encontrar um lugar acessível para nós. Uma outra boa notícia é o estímulo implementado pelo Mtur aos lugares com acesso e bom atendimento. Desta forma estes serviços se prestarão ao bom relacionamento aos usuários. Vale ressaltar que sendo o desenho universal usado em todos os projetos urbanísticos,todos serão beneficiados, não só as PcD.