Último adeus de Mandela em Qunu conta com 4,5 mil convidados

Zuma agradeceu esforços do líder africano por construir uma África do Sul democrática: ‘Obrigado por ser tudo o que queríamos e precisávamos em um líder’
  • Arcebispo emérito Desmond Tutu, Prêmio Nobel da Paz, participou da cerimônia após polêmica






  • 
Cerimônia do enterro de Mandela, em Qunu, contou com 4.500 convidados
Foto: EDMOND JIYANE / AFP


    Cerimônia do enterro de Mandela, em Qunu, contou com 4.500 convidados EDMOND JIYANE / AFP

    QUNU, África do Sul — Depois de dez dias de homenagens, sul-africanos e chefes de Estado se despediram pela última vez do ex-presidente Nelson Mandela neste domingo, em Qunu, vilarejo onde o líder nasceu e será enterrado. Dos 4,5 mil convidados que participaram do funeral, uma das grandes surpresas foi o arcebispo emérito Desmond Tutu, Prêmio Nobel da Paz e amigo de longa data de Mandela, que chegou a dizer que não participaria do sepultamento. A cerimônia, que começou às 4h (horário local), contou com ainda a presença do príncipe Charles, representando sua mãe, a Rainha Elizabeth II, entre muitos outros chefes de Estado, e figuras como a apresentadora de TV dos EUA Oprah Winfrey. Moradores de Qunu assistiram ao funeral por um telão montado próximo ao local. Soldados que fazem a segurança da área também acompanharam a cerimônia de despedida do líder africano.
    O evento começou com uma salva de tiros de canhão, enquanto o caixão, envolto na bandeira sul-africana, era transportado por um veículo militar. Em discurso, o presidente Jacob Zuma agradeceu os esforços de Mandela por construir uma África do Sul democrática. E aos familiares do ex-presidente por terem compartilhado Mandela com o mundo.

  • O Globo

  • 0