Bom dia! Veja as manchetes dos principais jornais desta segunda-feira, 6 de janeiro. Detran vai notificar 21,4 mil motoristas flagrados na Operação Lei Seca nos últimos meses. Previsão é que 24 mil motoristas tenham sua licença suspensa ao longo deste ano.





Avanço. Blitz da Operação Lei Seca na Rua Mem de Sá, no Centro do Rio: de 2012 para 2013, o número de motoristas alcoolizados caiu 34%, o que mostra uma mudança de atitude
Foto: Gustavo Stephan / Agência O Globo


Avanço. Blitz da Operação Lei Seca na Rua Mem de Sá, no Centro do Rio: de 2012 para 2013, o número de motoristas alcoolizados caiu 34%, o que mostra uma mudança de atitude Gustavo Stephan / Agência O Globo

Paulo Roberto Araújo/O Globo
RIO - Dirigir alcoolizado pode não só pesar no bolso como também levar o motorista a ter sua carteira de habilitação cassada por até um ano. E, a partir de hoje, o Detran dá início à notificação de 21.419 motoristas flagrados em 2013 na Operação Lei Seca e indiciados em processos administrativos de suspensão do direito de dirigir. O número corresponde a 32% de todos os processos abertos no ano passado contra motoristas que praticaram infrações de trânsito diversas. Após a fase de recursos, o infrator que se recusar a entregar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) não conseguirá mais renovar o documento, porque será gerada uma restrição em seu cadastro.
O motorista que faz o teste do bafômetro é multado e fica sem a habilitação por cinco dias se ficar comprovado que ele estava sob efeito de álcool. Se não apresentar um motorista habilitado (que também tem que fazer o teste) para conduzir o carro, o veículo é apreendido e levado para o depósito. O infrator pode recorrer da multa em três esferas de defesa. Se não recorrer em tempo hábil ou se o recurso for negado, ele receberá em casa, mais dia, menos dia, a notificação de que está sendo alvo de um processo administrativo de suspensão da CNH. O mesmo acontece com quem se recusa a fazer o teste do bafômetro. A negativa será considerada uma admissão de culpa. Nos dois casos, os motoristas respondem a processo de suspensão do direito de dirigir e têm que pagar multa que, no segundo semestre do ano passado, subiu para R$ 1.915,40.

--------------------------------------------------------------------------------

































































----------------------
Jornais nacionais
Folha de S.Paulo
Agora S.Paulo
O Estado de S.Paulo

Veto de Dilma abre brecha para afrouxar controle de custos
Correio Braziliense

Postos comunitários da PM estão abandonados
Zero Hora

Nas estradas da EGR - Entrega de ambulâncias levará mais três meses
Brasil Econômico

'Eleitor só vai se ligar na eleição depois da Copa'
*
Jornais internacionais
The New York Times (EUA)
Irmandade Muçulmana de volta à luta pela sobrevivência
The Washington Post (EUA)
EUA não enviarão forças para ajudar Iraque
El País (Espanha)
Exército concentrará sua força em núcleo de 10.000 militares
Clarín (Argentina)
Crescem dúvidas sobre quando será o retorno de Cristina


---------------------------------------------------------------------------------------
O Estado de S. Paulo

Manchete: Veto de Dilma abre brecha para afrouxar controle de custos
Presidente retira da LDO referência para preços de obras na construção e rodovias; TCU vê fiscalização enfraquecida

Ao sancionar a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) no final do ano, a presidente Dilma Rousseff vetou artigos que abrem brecha para afrouxar o controle sobre custos de obras públicas. Dilma já havia excluído do texto enviado ao Congresso os pontos que definiam tabelas oficiais da Caixa e do Dnit como referência de preços para projetos de construção e de rodovias, mas os parlamentares votaram a LDO com os artigos. Estes critérios foram transferidos para um decreto presidencial, editado em abril, e podem ser alterados pelo governo sem serem apreciados pelo Congresso, informam Fábio Fabrini e Ricardo Delia Coletta. É a primeira vez em 14 anos que os parâmetros de precificação não constam da LDO. Para o presidente do TCU, Augusto Nardes, a decisão enfraquece os mecanismos de fiscalização e surpreende, “porque a presidente tem tido um discurso muito favorável ao controle em relação a fraudes e desvios”. O Congresso ainda pode derrubar o veto. (Págs. 1 e Política A4)

Parâmetros válidos

O Ministério do Planejamento argumentou não haver enfraquecimento do controle sobre obras, pois as tabelas constam do decreto editado por Dilma e continuam valendo como metodologia padrão. (Págs. 1 e A4)
Governo diz que concessões vão gerar R$ 80 bi em investimento
Balanço feito pelo novo secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Pablo Fonseca, mostra que o governo contratou em 2013 investimentos de R$ 80,3 bilhões pelos próximos 35 anos. São concessões de rodovias, aeroportos, terminais portuários, blocos de petróleo e gás natural e geração e transmissão de energia elétrica. A expectativa é que a primeira parte dos investimentos aconteça já em 2014. (Págs. 1 e Economia B5)
Eleição, conflito e 18 mortos
Em Bangladesh, ativistas pró e contra o governo se enfrentam; a polícia abriu fogo contra manifestantes, enquanto opositores incendiaram pelo menos 127 postos de votação nas eleições gerais realizadas ontem e boicotadas pela oposição. (Págs. 1 e Internacional A10)
Fotolegenda: Barreira cai e falta água
Além de interditar a Rodovia Osvaldo Cruz, queda de barreira deixou milhares de pessoas sem água no litoral norte ao atingir sistema de captação no Rio Grande. (Págs. 1 e Metrópole A11)
Bispo teme novos conflitos com índios no AM
Para d. Francisco Merkel, mediador do conflito na região de Humaitá, se for comprovada a participação de índios no desaparecimento de 3 brancos, a tensão vai piorar. No Natal, a população atacou instalações indígenas na cidade. (Págs. 1 e Política A6)
Iraque lança ataque aéreo para barrar Al-Qaeda (Págs. 1 e Internacional A8)

Novas regras reduzirão distorções do Ibovespa (Págs. 1 e Economia B6)

Bernard Appy
Tributação e pequenas empresas

O modelo de tributação de regimes simplificados e menos onerosos gera distorções que podem prejudicar o desenvolvimento do País. (Págs. 1 e Economia B2)
José Roberto de Toledo
2014 começou em 2007

Estudando registros, o Estadão Dados descobriu que o ciclo eleitoral brasileiro tem sete anos e começa sempre no ano anterior a um pleito municipal. (Págs. 1 e Política A6)
Notas & Informações
Municípios sem saneamento

Muitos gestores tratam com desídia essa questão essencial para a qualidade de vida dos munícipes. (Págs. 1 e A3)
Esportes: Blatter faz duras críticas ao Brasil
Em entrevista a jornal suíço, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, disse que o Brasil "é o país mais atrasado" em preparação para uma Copa e o que teve mais tempo para trabalhar. O Ministério do Esporte afirmou que o País estará pronto a tempo. (Págs. 1 e A15)
------------------------------------------------------------------------------------
Correio Braziliense

Manchete: Postos comunitários da PM estão abandonados
O projeto que custou R$ 217 milhões aos cofres públicos tinha como objetivo aproximar a Polícia Militar da população e coibir, com mais eficiência, a ação de bandidos nas redondezas. Mas os postos de segurança, a cada dia mais sucateados e abandonados pela própria PM, já não intimidam os criminosos. Só nos últimos dias, pelo menos quatro dessas unidades foram alvo de depredações no Guará II, Riacho Fundo II e em Santa Maria. “Com o efetivo que a PM tem hoje, não dá para colocar mais policiais na rua”, lamenta um militar que preferiu não ter o no me divulgado. Em Planaltina, bandidos deram três tiros em um rapaz, depois o amarraram num carro e o arrastaram pela rua. Nessa mesma cidade do DF, outras cinco pessoas foram feridas à bala no fim de semana. (Págs. 1, 17 e 19)
Juro do cheque especial chega a 146% ao ano
Taxa atingiu o maior nível em 18 meses. Por conta da facilidade, esse tipo de empréstimo costuma ser incorporado ao salário por muitos clientes. Valor devido aos bancos aumentou 16% em 2013. (Págs. 1 e 7)
Demissão de servidor corrupto leva até 10 anos
Funcionários flagrados em atos ilegais continuam a receber o salário até o fim do processo administrativo. No caso de alguns, polpudos vencimentos. O Executivo terminou o ano com mais de 13 mil empregados investigados. (Págs. 1 e 5)
------------------------------------------------------------------------------------
Estado de Minas

Manchete: Novos centros de BH. Velhos problemas 
Para fugir do trânsito ruim, da dificuldade de achar estacionamento, do transporte incipiente, dos assaltos, dos ambulantes e da poluição no Centro da capital, moradores foram, aos poucos, aderindo aos pontos comerciais e bancários perto de casa, como nas regiões do Barreiro, Venda Nova e Alípio de Melo. Mas, com o tempo, os problemas seguiram atrás. A Polícia Militar informa ter planejamento específico para atuar nos centros comerciais de bairros. A BHTrans alega que seus agentes monitoram o trânsito nessas áreas em ocasiões de maior movimento. E as regionais da prefeitura dizem, em notas, que coíbem o comércio irregular. Mesmo assim, crescem as queixas contra sujeira e falta de segurança e de fiscalização. (Págs. 1, 15 e 16)
Servidores corruptos e remunerados 
Dados da Controladoria Geral da União apontam que 2.456 servidores federais acusados de participação em falcatruas e que tiveram o envolvimento comprovado continuaram recebendo salários até a conclusão da investigação e demissão, em processos que duraram até 10 anos. Outros até se aposentaram antes para não perder o benefício. (Págs. 1 e 3)
Reajustes acelerados nos planos de saúde por adesão 
Convênios coletivos são adquiridos a preços menores, mas, com os reajustes não regulados e sempre muito acima da inflação, ficam mais caros que os planos individuais, para desespero de 6,6 milhões de pessoas. (Págs. 1 e 8)
Agropecuário: Famílias têm trabalho reconhecido no campo (Págs. 1, Capa e 3 a 5)

Consumidor: Telefonia foi a líder de queixas em 2013 no EM (Págs. 1 e 11)

------------------------------------------------------------------------------------
Jornal do Commercio

Manchete: Inscrição do Sisu começa a partir de hoje
São 171 mil vagas em todo país no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para instituições públicas que usam o Enem como vestibular. 54 das 59 universidades federais brasileiras estão oferecendo opções. (Págs. 1 e 6)
Corpo carbonizado é da advogada, diz OAB
Dirigentes da Ordem em Caruaru dizem que corpo encontrado em Água Preta é da advogada Severina Natalícia, desaparecida em Bezerros mês passado. (Págs. 1 e 9)
Um ano atípico
Companhias aéreas dizem que 2014 terá preços altos fora do padrão. (Págs. 1 e 12)
Médici usou a Sudene para mandar recado
No segundo dia da série Dossiê Sudene, o embate entre civis e militares. (Págs. 1, 4 e 5)
------------------------------------------------------------------------------------
Zero Hora

Manchete: Nas estradas da EGR - Entrega de ambulâncias levará mais três meses
Licitação para compra de 28 veículos para atendimento em rodovias pedagiadas atrasa após mudança no tipo de viatura. (Págs. 1 e 10)
No estoque: Ainda há carros com IPI reduzido
Desde o início do ano, quando imposto subiu, automóveis novos ficaram pelo menos 3% mais caros nas concessionárias. (Págs. 1 e 20)
Universidade: Começa hoje disputa pelas vagas do Sisu
Até sexta-feira, estudantes podem usar nota do Enem para se candidatar a 171 mil lugares em 115 instituições. (Págs. 1 e 30)
------------------------------------------------------------------------------------
Brasil Econômico

Manchete: ‘Eleitor só vai se ligar na eleição depois da Copa’
O presidente do Ibope, Carlos Augusto Montenegro, afirma que, com Carnaval em março e Copa do Mundo entre junho e julho, o ano vai passar muito rápido e a campanha eleitoral será curta. “Antes da final, ninguém vai falar de política, com exceção da imprensa”, explica, em entrevista exclusiva ao Brasil Econômico. Com base nas pesquisas de opinião, ele destaca que o nível de satisfação do brasileiro, hoje, é de 80%, porque para a maioria da população o que importa não são siglas como Copom, Selic e PIB, mas, sim, a economia doméstica. “O brasileiro quer saber é se a prestação vai caber no seu orçamento”. Montenegro admite o favoritismo de Dilma Rousseff, mas ressalva que “ainda tem muita água para passar por baixo da ponte”. (Págs. 1 e 4 a 7)
Finanças: BC decidirá abertura de Bolsa no Rio
ATS Brasil, que solicitou à CVM sinal verde para operar a nova Bolsa de Valores, dá mais um passo: nos próximos dias, o Banco Central recebe pedido para autorizar custódia e liquidação de operações. (Págs. 1, 20 e 21)
Negócios: Rimowa vai produzir no Brasil
Fundada em 1898, a marca alemã de malas chegou ao Brasil em 2007 e não para de crescer. A partir de fevereiro, todo o processo de montagem será feito na fábrica de Indaiatuba (SP), que exportará para a América Latina. (Págs. 1 e 14)
Política: Rumos da economia e manifestações de rua devem pesar na disputa sucessória (Págs. 1 e 3)

Plano de negócios: Cartão do BNDES bate recorde de desembolso e beneficia 200 mil empresas (Págs. 1 e 19)

------------------------------------------------------------------------------------
EBC Serviços
0