Frase do dia

“O amor é tudo”
(Jesus Cristo)







sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Em São Pedro da Aldeia, mãe procura filha adolescente que fugiu com namorada

Menina de 16 anos disse que iria para festa, mas não voltou para casa.
Cartazes foram espalhados em São Pedro da Aldeia; caso está na 125ªDP.
Heitor Moreira
Do G1 Região dos Lagos 
Thayná Guimarães, de 16 anos, está de cabelo curto. Conselho Tutelar acompanha o caso.  (Foto: Roselete Guimarães/Arquivo pessoal)Thayná Guimarães Lessa, de 16 anos , está agora de cabelo curto (foto acima é do cartaz feito pela mãe) . Conselho Tutelar acompanha o caso. (Foto: Roselete Guimarães/ Arquivo pessoal)
Um caso envolvendo uma relação homoafetiva entre adolescentes está gerando uma 'corrente de buscas'  na Região dos Lagos do Rio, onde uma mãe procura pela filha há mais de 10 dias. Cartazes foram espalhados na cidade de São Pedro da Aldeia, rádios da região falam sobre o assunto, que também já tomou conta das redes sociais.


Roselete Guimarães Lessa, de 39 anos, procura a filha adolescente de 16 anos, que desapareceu no último dia 28 de dezembro, na cidade de São Pedro da Aldeia. A jovem Thayná Guimarães Lessa disse à mãe que iria para uma festa em Cabo Frio, cidade vizinha, mas os dias passaram e até hoje a menina não retornou para casa.
''Ela saiu de casa à noite e não voltou mais. Me disse que iria para uma festa, mas desde que conheceu essa menina, que eu não sei quem é, ela mudou de comportamento em casa. Tentei impedir que ela fosse a esta festa, mas não consegui. Preciso da minha filha de volta'', contou a dona de casa, que espalhou alguns cartazes pela cidade.
Mensagem de celular mostra resposta da filha para mãe.  (Foto: Heitor Moreira/G1)Mensagem de celular mostra resposta da filha para
mãe. (Foto: Heitor Moreira/G1)
Roselete Guimarães contou à reportagem doG1 que a filha andava um pouco revoltada nos últimos dias. Segundo a mãe,  elas chegaram a ter uma discussão por causa da nova namorada da adolescente, mas depois tudo teria ficado aparentemente bem.
Um dia após o desaparecimento, a mãe conseguiu contato com Thayná por mensagem de celular. Disse que iria até a delegacia registrar ocorrência, mas na mensagem,  a filha respondeu que a mãe não deveria procurar a polícia. " Se vc bota a policia atras de mim quem vai ser presa vai ser vc pq eu falo de homofobia que vcs tem", diz o texto da menina em suua primeira mesnagem para a mãe (foto acima).
''Na segunda mensagem, ela disse que estava bem e com a namorada, mas não falou onde estava. Não sabia mais o que fazer e assim mesmo fui até a delegacia'', relatou a mãe. 
Rosete Guimarães registou ocorrência na delegacia no dia seis.  (Foto: Heitor Moreira/G1)Rosete Guimarães registou ocorrência na delegacia
no dia seis. (Foto: Heitor Moreira/G1)
No dia seis de janeiro, Roselete foi até a delegacia de São Pedro da Aldeia (125ª DP) registrar ocorrência. O caso está sendo investigado pelos policiais.
Uma pessoa da família teria comentado com Roselete, que antes da adolescente sair de casa, ela teria comentado que iria para Brasília. A delegacia da capital do país já teria sido informada sobre o desaparecimento da menina na Região dos Lagos do Rio.
Sobre problemas em relação à sexualidade de Thayná, Roselete Guimarães afirmou que no início foi muito difícil aceitar a situação, mas que com o tempo começou a se acostumar com a ideia. 
''Eu nunca bati na minha filha porque ela é lésbica. Ela acima de tudo é minha filha. Amo minha menina. Não sei quem é essa moça que está com ela, se é uma pessoa boa. Eu só peço que me ajudem a encontrar meu tesouro. Ela precisa voltar para casa'', desabafou. 
Um cartaz com a foto de Thayná Guimarães foi colocado na delegacia de São Pedro da Aldeia. O número de contato da família para receber informações sobre adolescente é o (22) 992716419. O Conselho Tutelar da cidade também entrou no caso e está prestando apoio aos familiares. Grupos LGBTs da região tentam buscar informações sobre o paradeiro da jovem e, desta forma, auxiliar a família.
Postar um comentário