Bom dia! Confira os destaques dos jornais desta terça-feira, 4 de março. Campanha pelo fim da violência contra crianças e adolescentes toma conta do País


campanha carnaval

Ao abrir o desfile do Galo da Madrugada, em Recife (PE), a cantora Fafá de Belém apresentou campanha do governo federal para multidão de foliões

Na noite de sexta-feira (28) e no sábado (1), foram diversas ações desenvolvidas nas capitais priorizadas pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR).

Destaque para o Recife (PE), onde a cantora Fafá de Belém, que abriu o desfile do Galo da Madrugada, no sábado (1), apresentou a campanha para uma verdadeira multidão de foliões.

No Rio, o dia foi de adesão de artistas, enquanto em Porto Alegre atividades aconteceram no Complexo Cultural do Porto Seco e na Rodoviária. 

Recife (PE)
Uma das principais parceiras da Campanha, a cantora Fafá de Belém abriu o desfile do Galo da Madrugada e apresentou a Campanha à multidão. Fafá alertou a população sobre a importância de zelarmos pela proteção integral do segmento. 
Ao lado do puxador oficial do Galo da Madrugada, Gustavo Travessos, Fafá lembrou que o lugar de criança é na escola, em um ambiente seguro e protegido de qualquer violação de seus direitos. “Exploração sexual de crianças e adolescentes, trabalho infantil, maus tratos e violência piscicológica é crime.
Temos que ficar ligados e denunciar. Vamos cuidar de nossas crianças antes que elas sejam aliaçadas por quem não deveria. Disque 100”, alertou a artista.
Caracterizada com a identidade visual da campanha, a secretária Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos das Crianças e Adolescentes/SDH, Angelica Goulart, aproveitou para divulgar o canal nacional de denúncias contra violação dos direitos de crianças e adolescentes, Disque 100. Também participou da ação a representante da UNICEF Brasil,Cassimira Benger. 
Em Recife, assim como em outras capitais, ocorrem diversas frentes de divulgação da Campanha. A ideia é abordar, além dos moradores da cidade, o maior número possível de turistas que chegam para participar de um dos maiores carnavais do país. 
Rio de Janeiro (RJ)
A campanha chegou neste sábado aos blocos de rua do Rio de Janeiro, com distribuição de materiais aos foliões em diversos bairros da capital.
No centro da cidade, o secretário nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos, Gabriel Rocha, falou sobre a campanha para a multidão que acompanhava o desfile do Cordão do Bola Preta, considerado um dos maiores blocos de rua do país.
"Saúdo todos os foliões, e que neste carnaval todos estejam atentos e protejam nossas crianças. Quando diante de qualquer violação, não desvie o olhar. Disque 100!", disse o secretário.
Na Lapa, a equipe da campanha distribuiu folhetos informativos e máscaras de carnaval com os motivos da campanha.
Porto Alegre  (RS)
No Complexo Cultural do Porto Seco, onde é realizado o Carnaval da capital gaúcha, diversos foliões e autoridades aderiram à Campanha, promovida pela ministra Maria do Rosário.
O prefeito José Fortunatti, a secretária estadual de Saúde, Sandra Fagundes, e o diretor regional dos Correios do RS, Jair Batista Antunes, foram algumas das lideranças que se somaram à iniciativa. 
Na tarde de ontem, os comunicadores do programa “Pretinho Básico”, da Rádio Atlândida, posaram para fotos com a “TVzinha da Campanha”. Enquanto isso, seguiu a distribuição promocional dos materiais informativos na Estação Rodoviária, por onde passaram aproximadamente 80 mil pessoas, segundo estimativas da empresa que administra o local.
Acesse clicando aqui o press kit sobre a Campanha Nacional de Enfrentamento à Violência contra Crianças e Adolescentes no período do Carnaval.
Campanha
A Campanha Nacional pelo Fim da Violência Contra Crianças e Adolescentes no Carnaval é realizada anualmente pelo Governo Federal, em parceria com estados, municípios e organizações da sociedade civil.
O objetivo é conscientizar a população sobre a incidência dessa prática em todo o país. Neste ano haverá lançamentos em cinco capitais: Salvador, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Brasília e São Paulo. 
Com foco nos pontos de grande circulação de pessoas – como portos, aeroportos, rodoviárias, hotéis e nos próprios circuitos de carnaval (sambódromos, blocos e camarotes), a campanha consiste na distribuição de materiais informativos para que todos fiquem atentos e denunciem violações aos direitos de crianças e adolescentes. As denúncias podem ser feitas pelo Disque Direitos Humanos – Disque 100 ou encaminhadas aos conselhos tutelares.
Dados
Nos últimos três anos, o Disque 100 recebeu mais de 300 mil denúncias. Apenas em 2013, o serviço registrou um total de 124.079 denúncias.
A Campanha Nacional pelo Fim da Violência contra Crianças e Adolescentes no Carnaval segue tomando conta do país.
Fonte:Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República



----------------------------------------------------------------------------------------------------------
Capa do Jornal - 04/03/2014

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Folha de S.Paulo
Link permanente da imagem incorporada
Aumento de tensão militar na Ucrânia derruba as Bolsas

O Estado de S.Paulo

Brasil entrega à Itália o pedido de extradição de Henrique Pizzolato

Agora São Paulo
Tire suas dúvidas sobre os auxílios garantidos no INSS

O Globo
Link permanente da imagem incorporada
A Ilha não é brinquedo

O Dia/Rio

Greve de garis emprcalha o Rio e Comlurb ameaça com demissão

Zero Hora/Porto Alegre

Crise na Ucrânia: Europa quer negociar e EUA pressionam Rússia

Correio Braziliense

Servidores reclamam da futura sede do CNJ

Jornal de Brasília
Onda de crimes: Nem pets escapam

Estado de Minas
Faltam 100 dias para decolar... para construir
0