EcoArt em Cabo Frio evidencia: o meio ambiente está na moda. Material reciclado pode se tornar marca do artesanato cabo-friense e colocar o município no ranking dos governos empreendedores

A EcoArt Fashion Show definitivamente abriu as portas para um novo mercado em Cabo Frio, onde a criatividade dos artesãos, mostrada na passarela durante um desfile no último domingo de Páscoa (20\4), na Praça Verde do Guta, na Praia do Forte, para um público de cerca de 500 pessoas, trouxe um conceito que uniu o meio ambiente e as maravilhosas peças confeccionadas pelos artesãos, através de produtos que vão para o lixo todos os dias.
Com total apoio da Comsercaf e o trabalho dos artesãos da Casa Artesanal, Cabo Frio sai na frente ao mostrar como se pode cuidar do meio ambiente de maneira inteligente e sustentável.
Fazer do artesanato um meio de movimentar um comércio sustentável, é a nova ideia da Coordenadoria de Artesanato, da secretaria de Turismo de Cabo Frio, que busca aliar a produção artesanal utilizando matéria-prima reutilizada, buscando também a inclusão social, a partir do momento que o artesão pode capacitar pessoas e com isso gerar renda para muitas famílias carentes.

- O meio ambiente realmente virou moda em Cabo Frio e vários outros projetos encima desse contexto já estão sendo preparados para colocar nossa cidade no ranking dos governos empreendedores. Este é o tipo de artesanato que o governo Alair Corrêa tem reconhecido e valorizado. A EcoArt Fashion Show, apresentou as belezas dos materiais reciclados como vestidos bolsas feitos com filtro de pó de café e bijuterias feitas em coco. União mais do que satisfatória entre aquele que coleta, a COMSERCAF e aquele que produz, o artesão. O evento foi um sucesso. Quero agradecer a minha parceira, a artesã Lucia Helena Magalhães Gonçalves, ao ator e produtor de modelos, Soró Luiz e a todos que colaboraram e aos amigos e visitantes que nos prestigiaram.
Para o sub secretário do Meio Ambiente de Cabo Frio, Jailton Dias Nogueira Junior, o desfile foi uma inovação na cidade.
- Além de valorizar o artesanato e seus personagens principais, valorizou e levou ao conhecimento a importância da matéria prima que antes era jogada no lixo e chamada de LIXO ou refugo. Não podemos mais descartar o que pode ser reaproveitado e que devemos ter um maior engajamento da sociedade, um maior incentivo financeiro e campanhas paralelas de educação ambiental, disse Jailton.



Aldenir Soares, superintendente da secretaria de Turismo de Cabo Frio opinou que “o evento EcoArt é extremamente pontual para este momento onde todos precisam pensar em realizar ações sustentáveis”.
- Creio que este pioneirismo vai alcançar níveis maiores de popularidade quando muitos estiverem conectados com os danos que causamos ao meio ambiente. Assim, é muito edificante assistir iniciativas como esta que nos chamam a atenção para o reaproveitamento inteligente de materiais que a todo momento estamos jogando no lixo.
Milton Roberto, também superintendente da secretaria de Turismo acredita que o prefeito Alair Corrêa, com sua preocupação de fazer do turismo a principal atividade econômica pós-royalties, está levando o artesanato onde o povo está, por isso, o desfile apresentado na Praia do Forte.
- Cabo Frio tem um artesanato de qualidade e artesãos talentosos Uma das principais características do artesanato cabo-friense é o trabalho com materiais reciclados e essa parceria firmada com a COMSERCAF vem transformando o coco descartado nas praias e nas lanchonetes em matéria prima para verdadeiras obras primas.  A fibra do coco já chega triturada para os artesãos que já começam a produzir trabalhos fantásticos. Este foi apenas o pontapé inicial de um comércio que está se firmando no mercado
“Neste desfile, a parceria com a COMSERCAF agregou mais valor através do reaproveitamento de material reciclado, dando novo sentido a materiais que iriam para o lixo”, destaca a turismóloga da Sectur, Luane Ferreira.
- Foi uma iniciativa louvável da Secretaria de Turismo, através da Coordenadoria de Artesanato, que vem incansavelmente lutando pela mudança de paradigmas sobre a essência do artesanato. Uma experiência empolgante para os artesãos e promete muito mais, pois a oportunidade de criar objetos com material reciclado é como ter duas aventuras ao mesmo tempo: uma leva a cuidar da nossa cidade diminuindo a poluição. A segunda aventura é a capacidade de usar a criatividade e imaginação para dar uma nova função e forma a estes materiais que proporcionam uma nova dinâmica econômica através do acesso ao mercado do novo produto, disse Luane.
A também turismóloga da Sectur, Vanina Navega destaca que “matéria prima usada para a construção, reaproveitando produtos lançados na natureza, como o coco, CD’s usados, lacres de latas de refrigerantes, produzindo peças de tamanha beleza, como foram apresentadas no desfile da EcoArt, constituem um importante elemento de qualidade de vida e respeito ao meio ambiente e está em sintonia com os objetivos do Desenvolvimento do Milênio que prevê o desenvolvimento sustentável”.
- Ações como essa precisam de um investimento maior para alcançar e sensibilizar um público ainda maior. O evento foi uma grande e importante iniciativa, pois dá visibilidade e acesso ao mercado ao artesanato, além de divulgar os talentos locais. Do ponto de vista turístico, o artesanato está elencado como uma produção local de grande valor, pois atende um tipo de público variado, amantes da expressão através da arte. É um excelente produto turístico, disse Vanina.
Experimentar pequeno para fazer grande foi a visão secretário municipal de Cultura, José Facury Heluy.
- Gosto dessa coisa, principalmente na praça. Tudo que projete o artista é valido para que ele possa viver da sua arte e o evento veio nesse tom.
Duas jornalistas bastante antenadas da cidade também fizeram observação sobre o evento.  Renata Cristiane: "Achei a iniciativa sensacional. Importante pra economia da cidade e uma boa oportunidade de artesão e estilistas da nossa região terem a oportunidade de mostrar o trabalho. Os organizadores estão de parabéns!"
Cristiane Zotich:  “Achei o evento fantástico. Fiquei admirada tanto com a qualidade dos trabalhos dos nossos artesãos quanto com o aproveitamento que eles fazem de materiais que, certamente, eu jogaria no lixo. Nunca imaginei, por exemplo, ver tops feitos de lacres de latinhas. Algumas peças, como o vestido de CDs e DVDs, eram conceituais, mas esses tops de lacre são fantásticos para ir a uma balada, por exemplo, compondo com outra peça por baixo. Espero, sinceramente, que a partir deste evento, Cabo Frio enxergue nossos artesãos com outros olhos e que eles sejam, finalmente, valorizados e reconhecidos”.
Para o presidente da COMSERCAF, Toninho Corrêa, o desfile foi uma pequena mostra da união do governo Alair Corrêa.
- O trabalho em conjunto cria oportunidades fantásticas. A COMSERCAF está trabalhando para sustentabilidade e preservação do meio ambiente e os artesãos da nossa cidade são criativos e grandes artistas, transformam os resíduos em roupas, colares, bolsas entre outros. Foi gratificante ver que um evento aberto, na Nova Praça Verde, reuniu muitas pessoas que aplaudiram as peças e conheceram um pouco do nosso trabalho. Temos muito para fazer, mas vimos o evento com grande satisfação. Até a nossa máquina para triturar coco, junto com o Sr. Luiz que a manuseia foram aplaudidos. Verificar que estamos acertando, nos deixa muito feliz. Agradeço a minha equipe e também ao nosso prefeito Alair Corrêa, que acredita e é um grande incentivador das nossas iniciativas. Vamos trabalhar mais, inovar mais para termos uma cidade mais limpa e sustentável, finalizou Toninho Corrêa.

Telma Flora | Assessora de Imprensa

Secretaria Municipal de Turismo de Cabo Frio
0