Frase do dia

“O amor é tudo”
(Jesus Cristo)







quarta-feira, 21 de maio de 2014

Ministro diz que apenas 6 estádios da Copa terão Wi-Fi. Segundo Paulo Bernardo, estruturas de 3G e 4G não serão suficientes para conseguir atender toda a demanda esperada

Marcelo Camargo/ABr
O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, participa da abertura do 6º Encontro Nacional da Associação Nacional para a Inclusão Digital
Paulo Bernardo: "infelizmente, em seis estádios não haverá reforço do sinal por meio do Wi-Fi, o que ajudaria a absorver o uso de dados pelos torcedores", disse
Brasília - O Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia (Sinditelebrasil) alertou na terça-feira, em Brasília, que pelo menos dois estádios da Copa do Mundo não poderão oferecer telefonia e banda larga móveis aos torcedores conforme o planejado.


Por causa do atraso nas obras de conclusão do Itaquerão e da Arena da Baixada, não foi possível realizar testes necessários para os equipamentos de transmissão de 3G e 4G nessas duas sedes da competição.
Para o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, as estruturas de 3G e 4G até ficarão prontas a tempo dos primeiros jogos, mas, sozinhas, não serão suficientes para conseguir atender toda a demanda esperada durante as partidas da competição.
O problema é que, segundo ele, só haverá Wi-Fi nos estádios de seis das 12 sedes: Brasília, Rio, Salvador, Porto Alegre, Manaus e Cuiabá.
"Infelizmente, em seis estádios não haverá reforço do sinal por meio do Wi-Fi, o que ajudaria a absorver o uso de dados pelos torcedores. Mas isso não ocorrerá porque os administradores das arenas não quiseram. No dia da abertura do Mundial, todo o básico vai estar funcionando, mas com deficiências. Acho que seria melhor se tivesse Wi-Fi", avaliou o ministro.
Ainda assim, Paulo Bernardo lamentou a demora das obras de algumas arenas e cutucou os administradores desses estádios.
"Parece que os construtores e administradores das arenas só descobriram agora que precisam de estrutura de telecomunicações para atenderem aos torcedores. Isso é básico", afirmou.
O ministro esclareceu também que o sinal de telefonia e internet dentro dos estádios não é uma obrigação dos organizadores do evento e que o governo não teria como obrigar a instalação dos equipamentos dentro de empreendimentos privados.
"O nosso compromisso é com a fibra óptica da Telebras para a transmissão das partidas para todo o planeta. E mesmo com os atrasos de alguns estádios, como o de São Paulo e o de Curitiba, toda essa estrutura obrigatória está sendo concluída", completou.
http://exame.abril.com.br/
Postar um comentário