Turismo antecipa mais receitas e visitantes em 2014

Barómetro Academia do Turismo dá conta das boas expectativas do sector para este ano. A instabilidade económica, social e política é apontada como um dos factores com impacto mais negativo.
Património cultural deve ser o produto central a comunicar, defendem especialistas do sector do turismoBRUNO ALMEIDA/ARQUIVO
Mais turistas, mais dormidas nos hotéis, mais receitas turísticas. O ano de 2014 será, em geral, melhor do que o de 2013, pelo menos, a julgar pelas respostas dos empresários e especialistas ouvidos no Barómetro Academia do Turismo, do IPDT, Instituto de Turismo.


Cerca de 75% dos inquiridos acredita que haverá mais visitantes em Portugal no decorrer do ano e 73,5% diz que os hotéis irão aumentar o número de dormidas. Também 69,6% indicam que as receitas deverão melhorar face ao ano passado.
Questionados sobre os factores que terão impacto mais positivo no desenvolvimento deste sector, 19,6% refere a relação entre qualidade e preço, 18,2%, uma melhor promoção e comunicação e 15,4%, a melhoria da conjuntura económica nacional e europeia. No lado oposto, a instabilidade económica, social e política é apontada como o factor com impacto mais negativo (22,4% das respostas). Segue-se a ausência de promoção (ou promoção mal direccionada), com 14,7%, a “ausência de política nacional de turismo” ou “falta de visão estratégica global”, e a manutenção da carga fiscal (12,2%).
Para os especialistas, a definição de uma política nacional de turismo deverá ser a ser grande aposta para 2014. Os mercados internacionais e a redução da carga fiscal são, ainda, aspectos a ter em conta, de acordo com o barómetro, divulgado nesta quinta-feira.
O sector espera receber mais turistas alemães este ano, país que vai “liderar o crescimento dos mercados internacionais”. Rússia, China, Brasil, Reino Unido e França são os restantes mercados em que se prevê melhorias.
O estudo aponta ainda que as regiões de Lisboa e Vale do Tejo e Porto Norte são as que têm maior potencial de crescimento.
Questionados sobre qual deve ser o produto turístico central a comunicar internacionalmente por Portugal, os especialistas referiram o património cultural, o sol e a praia e a gastronomia e os vinhos, como os principais atributos do país.
0