Frase do dia

“O amor é tudo”
(Jesus Cristo)







sábado, 2 de agosto de 2014

Casal australiano abandona bebê com Síndrome de Down gerado por barriga de aluguel, mas leva a irmã gêmea

Gammy tem Síndrome de Down e problemas cardíacos
Um bebê com Síndrome de Down foi abandonado pelos pais biológicos após o nascimento por causa de sua condição. A criança nasceu de uma “barriga de aluguel” e tem uma irmã gêmea, que foi levada pelo casal australiano. A tailandesa Pattharamon Janbua, de 21 anos, foi quem gerou o pequeno Gammy e quem tem cuidado dele após o caso. O menino, atualmente com seis meses, também tem uma doença cardíaca congênita.


Mãe de outras duas crianças, Pattharamon queria quitar dívidas pessoais. Sem dinheiro, aceitou ser barriga de aluguel do casal australiano que não podia ter filhos. Por meio de uma agência em Bangkok, ela recebeu cerca de R$ 30 mil para gerar a criança. Depois da fertilização, Pattharamon descobriu que esperava gêmeos. E um exame pré-natal constatou que o menino que ela gerava tinha Síndrome de Dowm. Ao descobrir a condição da criança, o casal - que Pattharamon nunca conheceu - decidiu adotar apenas a menina.
A mulher afirmou ao site "Sydney Morning Herald", da Austrália, que o casal chegou a pedir que ela abortasse, mas ela ficou com medo. Agora, a jovem enfrenta dificuldades financeiras para cuidar de Gammy. A família vive no vilarejo de Chonburi, no norte do país asiático.
“Não acho que seja um karma ruim. É um bom karma, que nos fez ficar juntos. Mas quero dizer às mulheres tailandesas: não entrem nesse negócio de barriga de aluguel. Não pensem só no dinheiro. Se alguma coisa der errado, ninguém vai te ajudar e o bebê vai ser abandonado pela sociedade e nós temos que lidar com a responsabilidade disso”, declarou a mulher.
Gammy vive com a família tailandesa
Gammy vive com a família tailandesa Foto: GoFundMe / Reprodução
Através de uma ONG tailandesa, a família de Pattharamon lançou uma campanha na internet para arrecadar fundos para tratar Gammy. Até agora, mais de 80 mil dólares foram arrecadados (cerca de 160 mil reais).
Um doador anônimo australiano condenou a atitude do casal: “Deixar um gêmeo para trás? Como se fosse um boneco que você compra em uma loja. Vocês pegaram só o bebê que queriam e jogaram fora o que não queriam. Eles vão contar para a menina que ela tinha um irmão: ‘olha, a gente decidiu deixar ele para trás e nunca lhe demos suporte, nem financeiro’”.
O caso gerou uma polêmica sobre barrigas de aluguel na Tailândia. Um representante do Ministério da Sáude local afirmou que o pagamento para contratação de uma mãe de aluguel é ilegal, e que só são válidos “acordos altruístas” entre uma mulher que queira gerar a criança e um casal que comprovadamente não possa ter filhos.
Foto: GoFundMe / Reprodução
Postar um comentário