Frase do dia

“O amor é tudo”
(Jesus Cristo)







domingo, 14 de dezembro de 2014

Em Búzios, escunas e barcos de turismo são impedidos de trabalhar com ventos acima de dez nós



A Capitânia dos Portos esteve em Búzios na manhã de sábado (13) garantindo que nenhuma, das vinte e sete embarcações de turismo que atuam no litoral da Cidade, saísse ao mar para realizar os tradicionais passeios com turistas. A proibição atende a uma norma da Marinha que impede embarcações de turismo operem suas atividades normais quando a velocidade do vento atinge 10 nós, algo em torno de 16 quilômetros por hora.
Para operadores do sistema a regra é rígida demais já que existem embarcações de médio porte realizando este tipo de passeio. Estes barcos de até 80 toneladas, e capacidade máxima de 200 passageiros, como o Libertas IV, ou o Aloha III, que pesa 44 toneladas e transporta 120 pessoas seriam estáveis o bastante para navegarem com conforto e segurança, mesmo com ventos acima do patamar estipulado pela Marinha.



Para Romney, presidente da Associação de Barcos de Turismo de Armação dos Búzios (ABAT), o setor precisa ter maior flexibilidade para trabalhar já que a região costuma receber ventos regulares ao longo de praticamente todo ano.
- O dispositivo normativo do Regimento do Tráfego Marítimo (RTM) deveria ser flexibilizado para 15 ou até mesmo 20 nós. Em dias de vento os operadores e capitães das embarcações costumam fazer um passeio junto a costa, no trajeto entre Tartaruga e João Fernandes. Percursos entre a costa e a Ilha Feia, por exemplo, não são operados em condições de vento; o próprio turista não se sente confortável, e o pessoal de mar sabe disso - conta Romney ao PH.
- Hoje, domingo (14) estamos operando normalmente, mas ontem cerca de dois mil e quinhentos turistas deixaram de conhecer melhor nossa costa, por conta da proibição. O setor, que tem no período do turismo náutico - de novembro até abril - seu melhor desempenho, amarga perda de aproximadamente R$ 100 mil a cada dia que fica em terra. A proibição, que visa a segurança de todos, poderia valer para ventos acima de 15 ou 20 nós. Ao contrário de outros lugares Búzios não tem registro de acidentes com embarcações de turismo provocados por ventos -, pondera o presidente da ABC que espera poder se reunir em breve com autoridades marítimas a fim de discutir os limites para operar os passeios turísticos.
Fonte: JPH
Postar um comentário