Trabalho de Geoprocessamento da Secretaria de Fazenda prevê desbloqueio de 5,5 milhões de repasses da SPU

Mapeamento registrou 6.211 imóveis em área de Marinha 
Representação dos imóveis contidos na linha de terreno de Marinha – 33 metros da linha de preamar médio – Datum SIRGAS 2000-24S na escala 1:3000

A Prefeitura de Cabo Frio, por meio da Secretaria de Fazenda, realizou pela primeira vez um mapeamento e cadastro dos imóveis localizados em áreas da União. O município tinha 4.941 imóveis cadastrados, totalizando uma receita de R$1,4 milhões por ano. Após o trabalho realizado pelo Geoprocessamento, o número de imóveis saltou para 6.211, o que representa um acréscimo de 25% nos repasses, o que equivale a R$ 1,7 milhões por ano.
Com o trabalho realizado serão desbloqueados os recursos dos exercícios 2017, 2018 e 2019, totalizando aproximadamente R$ 5,5 milhões, que só poderiam ser destinados ao município após a consolidação e envio do banco de dados à Secretaria de Patrimônio da União (SPU).  

“Durante aproximadamente 20 dias, todo o efetivo do geoprocessamento ficou envolvido neste trabalho, que além de representar um importante desbloqueio dos recursos, permite ao município informar pela primeira vez todos os imóveis georreferenciados à SPU, com coordenadas geográficas e mapas temáticos”, informou Gustavo Caetano, coordenador do Geoprocessamento.

O trabalho atende a uma demanda do SPU, que determinou um prazo limite até o dia 30 de junho. O banco de dados com todas as informações necessárias para atualização da base do município de Cabo Frio já foi encaminhado. Essa medida foi necessária após o bloqueio de aproximadamente três anos do repasse.

A partir de agora, o trabalho será realizado anualmente e está no cronograma de atividades do Geoprocessamento da Secretaria Municipal de Fazenda, que tem desenvolvido diversas atividades de aumento da arrecadação municipal e principalmente como fonte de busca de informação para tomadas de decisão da gestão municipal.

Comentários