Frase do dia

“O amor é tudo”
(Jesus Cristo)







Carreira


Inscrições para II Femucti

A Coordenadoria de Ciência, Tecnologia e Ensino Universitário de Cabo Frio informa que a II FEMUCTI - Feira Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação, já está com as inscrições abertas para as suas atividades que acontecerão nos dias 14 e 15 de junho. A FEMUCTI 2011 será realizada em parceria e na sede do Instituto Federal Fluminense (IFF), Campus Cabo Frio.
As atividades para a participação na Feira se destinam às instituições da rede municipal, federal, estadual e privada do segundo segmento do Ensino Fundamental e Ensino Médio, incluindo Educação Especial, Técnica e a Educação de Jovens e Adultos (EJA). Às 8h do dia 14 de junho haverá a montagem da feira, seguida da solenidade de abertura às 9h30 e exposição de trabalho das 10h30 às 17h. No dia 15 de junho, das 9h às 15h30, haverá exposição dos trabalhos e, às 16h, cerimônia de premiação e encerramento da feira.
Cada uma das escolas participantes já está recebendo o kit de participação, que contém folder, programação, regulamento e ficha de inscrição. Elas poderão inscrever até três trabalhos por segmento, desenvolvidos ou em andamento em 2011, que podem ter as seguintes categorias dos projetos: Ciência da Computação; Ciências da Engenharia; Ciências da Natureza; Ciências Ambientais e Ciências Humanas. Os tipos de projetos podem ser: experiência (teste para hipótese específica); estudo (apresentação para revelar evidência de interesse científico) ou inovação/invenção (desenvolvimento e avaliação de dispositivos inéditos).
Cada projeto deverá ter uma equipe composta de no máximo cinco alunos e um professor orientador. As inscrições vão até o dia 23 de maio e devem conter: justificativa, objetivo, metodologia, conteúdos curriculares e avaliação dos resultados. Os trabalhos devem ser enviados para o e-mail da Coordenadoria ou levados diretamente à sede, que fica na Rua Florisbela Roza da Penha, nº 292, Braga (antiga sede da antiga Prefeitura Municipal).
Segundo o Coordenador de Ciência, Tecnologia e Ensino Universitário (COGETEU), Professor Paulo Cotias, o objetivo da FEMUCTI é a divulgação da ciência nas escolas do município:
- A II FEMUCTI tem como objetivo estimular a produção e a troca de conhecimentos. Contamos com a participação de toda a comunidade educativa. Caso a unidade escolar ainda não tenha recebido o Kit da II FEMUCTI, é preciso solicitar o mesmo junto à coordenadoria – afirmou Cotias.
O IFF fica localizado na Estrada Cabo Frio-Búzios, s/nº, Baía Formosa, mais precisamente no antigo Centrinho. Outras informações podem ser obtidas com o Assessor de Programas e Projetos de Difusão Científica e Tecnologias Sociais da COGETEU e responsável pela organização da II FEMUCTI, Professor Yolmar, por meio do número: (22) 2647-3459 ou do e-mail cienciaetecnologia@cabofrio.rj.gov.br.


Inscrições para novo Prêmio Época
 A Editora Globo abriu inscrições para o novo Prêmio Época Empresa Verde, que elegerá as empresas brasileiras com as melhores práticas em relação ao meio ambiente. É uma evolução do Prêmio Época de Mudanças Climáticas, oferecido nos três últimos anos para destacar os esforços das empresas para controlar as emissões de gases do efeito estufa.

“Esse novo prêmio faz parte da nossa missão de ajudar o mundo a encontrar respostas para a crise ambiental. Preservar nossos recursos naturais é um dos maiores desafios da atualidade. E podemos contribuir premiando as boas práticas e apontando caminhos a seguir", diz Helio Gurovitz, diretor de redação da Época.  Desde o ano passado a semanal da Editora Globo circula com papel certificado e chega aos assinantes embalada em plástico reciclado.

O prêmio avaliará as políticas em relação ao consumo de energia e água, os descartes de material e as emissões potencialmente poluidoras. Também irá considerar as formas como as empresas usam embalagens ou incentivam práticas responsáveis entre os consumidores.

Serão concedidos dois tipos de troféu. O primeiro, Prêmio Época de Mudanças Climáticas, continuará destacando as duas empresas com as melhores práticas em relação especificamente ao aquecimento global. Serão concedidos para uma empresa do setor das indústrias e outra  de serviços. 

Os troféus principais do Prêmio Época Empresa Verde irão para a indústria e a empresa de serviços com os trabalhos mais completos em relação a todas as questões ambientais. E Época destacará as 10 empresas líderes em políticas ambientais.

Os resultados do prêmio serão divulgados em reportagens especiais com os vencedores na Edição Verde anual da revista ÉPOCA, que sairá em junho.

O prazo de  inscrição termina no dia 15 de abril.

Polícia Civil

A Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro se prepara para divulgar, entre este mês e o fim do ano, o pacote de seis concursos autorizados pelo governo, visando ao preenchimento inicial de 898 vagas. De acordo com a diretora da Acadepol, delegada Jéssica Almeida, o primeiro edital, previsto para sair até o próximo dia 31, será para 44 peritos legistas.

O concurso, que será organizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), será aberto a graduados nas carreiras de Farmácia, Medicina, Odontologia e Bioquímica. Ao contrário do que a corporação costuma fazer, as vagas não serão divididas por áreas e especialidades, mas sim por especialidades e conteúdos programáticos.

A remuneração inicial do perito legista é de R$3.592,88, incluindo alguns benefícios (os rendimentos, referentes a março, aumentarão mensalmente, até dezembro de 2014, em virtude de reajuste de cerca de 70% do valor do salário concedido pelo governo no ano passado).

A próxima seleção, também organizada pela FGV, será a de piloto, cargo que exige nível médio e carteira de habilitação de piloto comercial de helicóptero e proporciona remuneração de R$3.504,04 (em março). Como a Polícia e a FGV precisarão enviar para São Paulo representantes para fechar contrato com a empresa responsável pelo exame psicotécnico, que é mais complexo que os dos demais cargos, o edital deverá sair na primeira quinzena de abril. A oferta será de quatro vagas, mais cadastro de reserva.

Em seguida, a prioridade da corporação será a divulgação, no início do segundo semestre, do edital para 600 inspetores, função voltada para graduados em qualquer área, com carteira de motorista "B" (remuneração de R$1.990,30), pois a ideia é que o curso de formação seja iniciado já em 2011. As demais 250 oportunidades serão para 50 delegados (bacharelado em Direito e vencimentos de R$10.690,58), 100 papiloscopistas (nível superior em qualquer área e R$2.982,09) e 100 peritos criminais (graduação específica e R$3.592,88).

Inspetor: 600 vagas para o nível superior

O concurso mais aguardado da Polícia Civil do Rio de Janeiro neste ano é para 600 vagas de inspetor. Além da oferta ser maior que o dobro da soma das outras cinco, que totalizarão 298 oportunidades, o cargo será aberto para graduados em qualquer carreira, ao contrário, por exemplo, de delegado (Direito) e perito legista (Farmácia, Medicina, Odontologia e Bioquímica). Para disputar a função ainda será preciso ter carteira de motorista categoria "B".

A remuneração do cargo, este mês, é de R$1.990,30, segundo a Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag). No entanto, em virtude de aumento concedido pelo governo no ano passado, o valor subirá mensalmente, até completar 70% dos vencimentos, até dezembro de 2014.

A licitação para definir a organizadora, que também será responsável pelos concursos de papiloscopista, perito criminal e delegado, já foi iniciada. A expectativa é que a instituição seja conhecida em algumas semanas, pois o edital está previsto para sair no início do segundo semestre, com o curso de formação começando até dezembro.

O concurso abrangerá provas objetiva de conhecimentos, de capacidade física, psicotécnica e médica, além do próprio curso e investigação social. Na última seleção, feita em 2008, o exame de múltipla escolha contou com 20 questões de Conhecimentos Básicos de Microinformática, 40 de Conhecimentos de Direito e 40 de Língua Portuguesa.

Fonte: Folha Dirigida

Recomendações para uma avaliação de desempenho justa e eficaz

 No decorrer de minha carreira executiva e consultiva nas áreas de management, executive search, outplacement, executive coaching e career counseling tenho assessorado centenas e centenas de executivos que nada têm a dizer quando são questionados sobre suas últimas avaliações de desempenho.  
Caro leitor, as empresas que geram, nutrem, desenvolvem, promovem e retêm os melhores talentos são aquelas que investem pesadamente na construção,  manutenção e permanente atualização  de um sistema de avaliação que contempla não apenas “the bottom line,” “Operações e Orçamentos”, mas também o desenvolvimento das pessoas em todos os sentidos, inclusive ético e moral. 
Os melhores modelos que conheço foram desenvolvidos por empresas como a General Electric, Procter & Gamble, Johnson & Johnson, Dow Chemical, Basf, entre inúmeras outras organizações reconhecidas pelo gabarito de seus profissionais ao redor do mundo. Para essas e tantas outras organizações de ponta, a avaliação de desempenho é um instrumento de gestão extremamente importante para o futuro das pessoas e dos negócios. É com base nesse instrumento que elas recrutam os melhores, promovem os mais competentes e habilidosos, afastam os medíocres e ainda têm assegurado o seu plano sucessório.
Para essas empresas, não existe escassez de profissionais excepcionais.
 Caro leitor, se você deseja fazer uma avaliação justa e eficaz de seus colaboradores, observe as seguintes sugestões:
 - Antes de conduzir a avaliação, reúna o maior número possível de informações sobre o profissional e seu desempenho.  Lembre-se que ele sabe mais do que você o que ele fez durante o ano. Portanto, vá  preparado. Não improvise.
 - Nunca confie em sua memória. Registre em seu caderno de anotações aqueles acontecimentos que podem impactar sobre a avaliação de seus subordinados – negativa ou positivamente.
 - Não seja precipitado e amador em suas avaliações. Seja racional e nunca faça julgamento de valor ao empreender uma avaliação.
 - Nunca perca sua sensibilidade acerca dos sentimentos de seus colaboradores. Avalie-os sobre todos os ângulos. 
- Durante a avaliação, pergunte ao avaliado se gostaria de discutir um ponto específico de sua avaliação. Deixe-o falar livremente e sem nenhuma censura.
 - Se o avaliado não tem nenhuma crítica a respeito de seu próprio desempenho, aponte-as de maneira firme, porém civilizada. Mostre os dados, os gráficos, os erros que ele cometeu e que embasam as suas críticas construtivas.
 - Escute e observe o comportamento do avaliado. Essa postura lhe dará tempo para pensar e agir com segurança.
 - Ofereça recomendações para seu desenvolvimento pessoal – leitura, cursos específicos, aprendizado de novo idioma, mudança de postura,  exposição perante a alta administração, etc.
 Caro leitor, essas recomendações não esgotam a discussão de um assunto tão importante, mas servem de guia para a sua discussão. Portanto, discuta-as, modifique-as, amplie-as, critique-as.
 Sugiro, ainda, que nunca deixe passar um ano sem que você seja avaliado pelo seu chefe. Se não o fizer, até mesmo porque não gosta de receber críticas ou sugestões para seu aprimoramento, amanhã, poderá ouvir desse mesmo chefe a seguinte expressão: “A empresa decidiu afastá-lo de seu quadro porque você não tem o perfil da organização.”
 Se você ouvir essa mensagem, não culpe seu chefe ou mesmo a sua organização. Você é o culpado, porque nunca solicitou uma avaliação honesta, franca e profissional de seu chefe. 

 ______________________________________________________________________

Dez erros mais comuns de quem presta concurso
Não ler o edital ou esquecer documentos na hora da prova são casos clássicos

Vários são os erros a que estão sujeitos os candidatos que prestam concursos públicos. Esquecer de ler o edital, de levar documentos exigidos na hora da prova ou até deixar para estudar na véspera são pecados mais comuns do que se imagina.
Pensando nisso, o R7 entrevistou dirigentes e professores de cursinhos preparatórios e reuniu dez dicas para ajudar os profissionais que estão na luta por um lugar ao sol no paraíso do setor público. Veja abaixo:
1) Escolher concurso pelo salário e pelo número de vagas
O primeiro erro é escolher o concurso pelo volume de vagas disponíveis e pela remuneração, não pelo perfil do cargo oferecido. Não é incomum, nesses casos, que os recém-contratados descubram que a nova profissão não tem nada a ver com eles ou com a área que querem trabalhar. Muitos bancários concursados para a Caixa Econômica Fedeal ou o Banco do Brasil, por exemplo, descobrem tarde demais que odeiam trabalhar em banco. Por isso, o conselho é escolher a carreira pela afinidade, para não ficar desmotivado e desistir do serviço no meio do caminho.
2) Não ler o edital
Esse é um dos erros mais comuns, na opinião de Wilson Granjeiro, diretor do Gran Cursos. O edital é a regra do jogo no caso de concursos públicos, é onde estão registradas todas as informações essenciais para ser aprovado. Os livros que vão ser cobrados, a matéria obrigatória na prova, as datas de divulgação dos resultados, que documentos levar, tudo isso está no edital. Vale a pena fazer uma leitura atenta, guardar uma cópia na bolsa para ler no momento em que estiver de bobeira e até imprimir e colar na parede do quarto.
3) Ignorar qual a empresa organizadora do concurso
Saber qual é a empresa ou fundação que vai organizar a prova é importante para conhecer o estilo das questões cobradas - a Cesgranrio, por exemplo, é uma das que fazem os exames mais simples, na opinião de professores de cursinho. As questões cobradas são diferentes da Vunesp, da Fundação Carlos Chagas, do Cespe, da Funrio, da Cetro, da FGV e da Esaf - todas organizadoras de concursos públicos.
A Esaf, por exemplo, é uma das organizadoras com provas mais difíceis do país. A Vunesp costuma ter exames mais padronizados, além de ser também responsável por vários vestibulares. Saber qual é a organizadora também ajuda a conhecer a banca que irá corrigir o processo seletivo. Algumas são mais tolerantes com autorizam os candidatos a chutar as respostas nas questões e outras não, por exemplo.
4) Priorizar o estudo das matérias mais fáceis para o candidato
Você gosta de português e literatura, por isso se foca em estudar essa área. Todo o resto - matemática, lógica, atualidades - fica em segundo plano. Essa é a fórmula para ir mal no concurso público, na opinião de quem dá aula para as provas. Professor da Central de Concursos, que prepara os profissionais para os exames, Vivaldo Pereira ressalta que as disciplinas básicas nunca devem ser esquecidas. São elas: matemática, português, atualidades e informática.
Abrir mão de uma das disciplinas porque ela é "chata de estudar" não deve ser uma opção para os candidatos, na opinião de Wilson Granjeiro. Todas as matérias são importantes, e zerar uma delas - ou seja, errar todas as questões - muitas vezes significa eliminação do processo seletivo.
5) Escolher um concurso de nível médio porque é mais fácil
Mais uma armadilha comum, na qual muita gente cai. Em geral, concursos com vagas para nível médio de escolaridade (equivalente ao antigo colegial) são mais fáceis do que os de nível universitário. Apesar disso, o número de candidatos é bem maior, o que faz a concorrência e a dificuldade do exame crescer. Trata-se de um erro "clássico", na opinião de Granjeiro.
- Vários concorrentes também terão nível universitário, não é uma ideia exclusiva de um ou outro candidato. Outro problema é que o concurso de ensino médio oferece salários menores e carreiras em geral pouco interessantes para quem se formou em universidade. Mais uma vez se cai na armadilha do concurso para um perfil que não é o do candidato.
6) Não fazer planejamento de estudos
Quem for prestar um concurso público tem que estar preparado. As provas são difíceis, principalmente quando o número de vagas é baixo e o cargo oferece boa chance de crescimento e de salário. Um candidato a cargos na Justiça, por exemplo, em geral precisa ter - além do diploma em direito - experiência de até três anos em advocacia. Pensando nisso tudo, se inscrever num processo seletivo e não se planejar para estudar significa não levar a sério a prova, na opinião dos diretores de cursinho ouvidos pelo R7.
O ideal é separar no mínimo três horas por dia, seis dias por semana, para estudar. O candidato deve fazer resumos das disciplinas cobradas e responder questões de provas anteriores como treino - escrever ajuda a fixar o conteúdo cobrado, mais do que apenas ler, afirma Ângela Nunes, professora do cursinho Atitude, com sede na Bahia.
7) Não simular as condições do concurso
Tem muito a ver com a dica anterior. O professor Wilson Granjeiro, do Gran Cursos, afirma que o concorrente precisa estar com o corpo e o cérebro acostumados à pressão e situações que vai passar na prova do concurso. Deixar de estar preparado fisicamente pode significar dormir demais e chegar atrasado na hora da avaliação. Ou ficar com sono e desconcentrado quando for responder às questões. O ideal, diz Granjeiro, é fazer uma simulação da prova.
- Em um cursinho pré-vestibular, o estudante não faz simulados? A ideia é a mesma, simular a situação da prova do concurso. Se a prova tem quatro horas, o candidato deve passar quatro horas respondendo o mesmo número de questões, sob condições similares ao processo seletivo. É importante saber qual a hora em que dá mais cansaço, em quanto tempo dá para fazer o exame etc.
8) Esquecer documentos e itens obrigatórios na hora da prova
Tem gente que perde a chance da vida de obter um trabalho por não levar o documento de identidade na hora da prova para o concurso. Esse tipo de coisa é um erro clássico, mas fácil de evitar, dizem os professores de cursinho. Uma saída é fazer uma lista do que levar no dia da prova e checá-la tanto na véspera quanto antes de sair de casa rumo ao local do exame.
9) Deixar o estresse tomar conta
Prestar um concurso público, assim como um vestibular, é estressante. O candidato tem que saber a hora de se desligar dos estudos e viver - encontrar a família, a namorada e os amigos. Um dos efeitos da pressão é o desânimo, segundo o professor Flávio Martins, dirigente da rede de cursinhos LFG. Ele já havia dado os mesmos conselhos anteriormente, para o R7. Quem se estressa desanima, e quem desanima desiste de estudar no meio do caminho.
- É essencial que o estudante faça intervalos durante os estudos, para descansar a mente e os olhos. Em média, a cada hora de leitura, o candidato deve parar por dez minutos.
10) Achar que apenas o cursinho preparatório resolve
É comum que candidatos se matriculem no cursinho e achem que isso basta. Todos os professores foram unânimes em dizer que o aluno precisa estudar em casa e se preparar fora da sala de aula, seja sozinho ou em um grupo de estudos. Muitas vezes é esta preparação que faz a diferença: muita gente frequenta cursinhos, "mas poucos se dedicam de fato, seja dentro ou fora dos cursos", afirma Granjeiro.
- Só com método, com foco, com disciplina é que hoje se passa na prova do concurso público. Não basta chegar e sentar para fazer o exame. É preciso ter calma, estudar por um bom tempo antes da prova, ter predisposição para refletir sobre as questões. Trabalhar para o governo oferece muitas vantagens, mas os concursos públicos estão cada vez mais difíceis.

Pontualidade demonstra respeito e diferencia profissional

A falta de pontualidade é uma característica do povo brasileiro bastante conhecida, o que pode dificultar a vida profissional e restringir possibilidades de carreira e sucesso nas organizações.
Essa é uma competência fundamental no mundo corporativo, uma vez que os funcionários representam não somente a própria imagem, mas também a da empresa onde trabalham. Vou além, podemos até considerar que a pontualidade é uma forma de mostrar respeito e consideração com o próximo. Se você costuma se atrasar, não só para compromissos, mas em prazos firmados, sinal que alguma coisa está errada e que está vivendo sem um planejamento adequado. 
Desculpas como: "Foi o trânsito", "A reunião anterior atrasou" ou "O computador deu problema" já não colam mais e ainda pegam super mal, afinal, estes acontecimentos já não são tão imprevistos assim e para um compromisso ou meta fixada deve-se sempre trabalhar com uma margem segura de tempo. Alguns "minutinhos" de atraso e você pode colocar muita coisa a perder. 
A perda a que me refiro começa pelo desgaste da imagem, portanto, se o atraso ou o não comparecimento for inevitável, é importante justificar a tempo - antes que a pessoa possa formar uma opinião negativa a seu respeito. Sendo pontual, você estará sendo respeitoso com um tempo que não é só seu, mas também da outra pessoa. 
Todo e qualquer atraso gera desconforto e irrita quem espera, principalmente quando ocorrido com frequência. O atraso gera consequências desagradáveis, além de desconfiança e falta de credibilidade. Por melhor que seja o profissional, o defeito de se atrasar sempre pode acarretar em obstáculos em sua ascensão e ofuscar o brilho de seus resultados na empresa. 
Pontualidade em diferentes contextos:
Social: Se alguém te convida para uma festa que começa às 21h, provavelmente você chegará mais tarde que o horário informado no convite, pois se chegar pontualmente talvez não encontre ninguém na festa. No entanto, não podemos confundir nossa cultura em eventos sociais com compromissos e prazos profissionais. 
Entrevistas de emprego: Tanto o entrevistador quanto o entrevistado devem manter o senso no cumprimento do horário estabelecido e agendado. Se, por algum lapso, ocorrer um atraso por parte do entrevistado, existe o risco de perder um grande negócio ou uma ótima oportunidade. Não tendo como evitar o atraso, o certo é telefonar para a empresa o quanto antes, dando explicações sobre o motivo do atraso, sem a necessidade de narrar os fatos nos mínimos detalhes. Depois, pessoalmente, peça desculpas e se justifique, sem pormenores ou detalhes minuciosos que podem ser interpretados como mentira ou desculpa esfarrapada. 
Para o entrevistador a premissa é a mesma, se agendou horário com alguém, esteja pelo menos 10 minutos antes e se prepare para entrevista. Vejo candidatos ansiosos para entrevista de trabalho e que, muitas vezes, ficam esperando horas o responsável atendê-lo. Bem desagradável! 
Por parte do chefe: Os líderes devem dar bons exemplos, mantendo sempre a pontualidade para que os colaboradores possam fazer o mesmo com conduta e disciplina. O chefe, muitas vezes, não percebe quando um funcionário se antecede em relação ao horário de trabalho, mas no caso de um atraso, este incidente certamente não passará despercebido. 
Na empresa: Você é responsável por realizar um trabalho dentro de certo limite de tempo. Convém administrar o tempo sabendo quais são as urgências e as prioridades para agilizar ou encaminhar o serviço da forma mais rápida possível. 
É importante ficar atento e respeitar os horários de entrada, de almoço e de saída da organização, agindo de forma consciente e honesta para que nenhuma das partes se sinta prejudicada.  
Ser pontual é uma questão de responsabilidade e profissionalismo. Cabe a cada funcionário agir corretamente, tendo plena consciência de seus atos, deveres e horários a serem cumpridos. 

______________________________________________________________________

Montar um currículo na internet e como se candidatar às vagas na rede

Ao preencher currículos online, é preciso saber que a busca será feita através de palavras-chave.
 Segundo a consultoria Robert Half, uma em cada cinco empresas brasileiras já não recebe mais documento em papel de candidatos às suas vagas. Isso porque as companhias passaram a utilizar a internet e as redes sociais como principal meio para encontrar novos colaboradores.

Nesse sentido, a procura de oportunidades na rede aumentou 43% nos últimos dois anos, de acordo com o Ibope, chegando a 13,4 milhões de usuários com o mesmo objetivo.

A mudança de hábitos de recrutamento das organizações na última década se deve à maior agilidade e à possibilidade de acesso a mais informações sobre os candidatos.

“Ninguém mais quer uma pilha de currículos em cima da mesa para analisar um a um, é mais fácil e assertivo realizar uma busca por meio de filtros para encontrar os candidatos que possuem os pré-requisitos necessários”, diz Renato Grinberg, diretor Geral do portal de empregos Trabalhando.com no Brasil.

Grinberg aconselha o candidato a pensar como o próprio selecionador: ao preencher currículos online, é preciso ter em mente que a busca será feita por meio de palavras-chave. Portanto, é preciso perguntar-se por quais palavras e informações um recrutador iniciaria essa busca.

“Se o seu objetivo é buscar uma vaga para analista de crédito, por exemplo, seja direto. Não escreva “contabilidade”, que é a área em geral, essa informação é muito vaga e você pode não atingir seu objetivo”, exemplifica o diretor.

Outra dica do importante é colocar o máximo de dados relevantes possível. “O currículo online deve conter mais informações do que faria no impresso para que a pessoa possa ser encontrada mais facilmente e tenha mais possibilidades de ‘vencer’ os filtros”.

Grinberg ainda alerta: “Se possui mais de um objetivo profissional, não faça um currículo genérico, elabore duas ou mais opções com o objetivo claro em cada um e com as informações selecionadas”.

Dez dicas de como montar um bom currículo online
1- Complete todos os campos
Deixar algum em branco pode impossibilitá-lo de aparecer em algumas pesquisas de currículos;
2 -Seja direto
Procure não colocar a área em que atua como objetivo profissional, mas sim o cargo ao qual deseja concorrer;
3 -Experiências recentes primeiro
Essa informação deve vir sempre em ordem decrescente e completa, com cargo, funções e período de atuação;
4 - Destaque cursos relevantes
Realizou um curso de especialização de pouca duração? Não tem importância, isso mostra que está em busca de conhecimento e aprimora o seu currículo;
5 - Língua estrangeira
Se não fala outra língua, não minta! Porém, é válido colocar se possui conhecimento básico, apenas se ele realmente existir;
6 - Cuidado com erros de português
Isso pode desclassificar um candidato. Revise cuidadosamente e, se possível, peça para que outra pessoa colabore com você nessa tarefa;
7 - Destaque seus diferenciais
É importante saber “vender o seu peixe”. Escreva experiências pessoais relevantes ou premiações;
8 - Carta de apresentação
Elabore uma opção para cada objetivo profissional, destacando-o de maneira clara e criativa;
9 - Mantenha seu currículo atualizado
Lembre-se de atualizá-lo sempre com mudança de informações pessoais, profissionais e novos conhecimentos na área;
10 - Buscar um emprego já é um emprego
Procurar emprego pelo computador não é sinônimo de comodismo. Dedique-se a esta atividade, estipulando horários para busca de vagas e envio de currículos.
*Fonte: Trabalhando.com

TPM e trabalho: uma relação que merece cuidados

Não faz muito tempo, a TPM era uma coisa íntima. As mulheres que sofriam desse mal estavam entregues aos seus próprios sofrimentos. Eventualmente, entre sorrisos constrangidos, podia-se ouvir algum comentário sobre a instabilidade emocional da mulher, mas era só. Tudo era tão cheio de segredos que nem a família entendia como é que aquela figura doce virava um monstro todo mês sem nenhuma explicação. 
Mas, os tempos mudaram e hoje a TPM está incluída até nas preocupações das empresas. Com o aumento do contingente feminino no mercado de trabalho, não é difícil encontrar mulheres espalhando mal humor e malcriação com a desculpa de que estão “naqueles dias”. Que a TPM pode ser devastadora ninguém duvida.  Mas, no trabalho, é preciso que as mulheres mantenham o controle. Falando claramente, TPM não é desculpa para grosserias. 
Em algumas empresas em que o contingente feminino é grande, para atenuar os momentos de tensão, criou-se o Centro para TPM, que tem se mostrado como uma solução paliativa, porém eficiente. As mulheres que não estão se sentindo bem vão até o centro para tentar dar uma acalmada nos ânimos. 
Mas o fato é que as mulheres que sofrem da Tensão Pré Menstrual devem ficar alertas, porque os colegas e as empresas nem sempre estão dispostos a tolerar agressividade e má educação.  
Para evitar problemas e mal entendidos, reuni algumas sugestões que podem ajudar a passar batido pela TPM: 
1- Acordou de mau humor? Capriche no banho e na roupa de trabalho, passe seu melhor perfume e se enfeite. Isso é para não se sentir feia, o que pode piorar muito o estado de espírito. 
2- Tenha de reserva coisas naturais como chás, um mel especial ou alguma mistura mágica para essas datas. Comece o dia presenteando o seu corpo, isso vai fazê-la sentir-se querida. 
3- Ponha no rosto o seu melhor sorriso e não o tire. Aquele que você fez quando conseguiu seu primeiro emprego ou quando soube que conseguiu uma promoção. Isso é para dar de presente para os outros. 
4- Não conte para ninguém que está de TPM. O segredo é uma boa forma para não ficar vulnerável a piadinhas. 
5- Não se permita ser grosseira ou malcriada com ninguém. Faça um esforço brutal para não pisar na bola e depois ter que pedir desculpas. 

______________________________________________________________________

OPORTUNIDADES

Concurso para auditor fiscal no RJ tem inscrições encerradas nesta quarta

São 100 vagas e o salário é de R$ 9,9 mil

A Fundação Getúlio Vargas (FGV) encerra nesta quarta-feira (16) as inscrições do concurso público da secretaria da Fazenda do Rio de Janeiro. São 100 vagas para o cargo de auditor fiscal. O salário é de R$ 9.927.
A taxa é de R$ 150. É necessário ter nível superior, em qualquer curso, para participar do concurso. A prova está marcada para os dias 17 e 21 de abril. O edital completo e o formulário de inscrição  estão no site da FGV.
 

Concurso INSS 2011

O concurso INSS 2011 é um dos mais esperados do ano. O G1 publicou uma nota recentemente dizendo que os mais esperados para o ano de 2011 são: INSS, Petrobrás, Polícia Rodoviária Federal. Consequentemente é grande o número de pessoas que procuram saber alguma informação sobre o concurso do INSS 2011, até porque ainda não foi divulgado nada.
Tudo que se sabe é que um novo concurso para o INSS objetivando o provimento de 2 mil vagas para a área de atendimento deve ser realizado em breve. Os cargos oferecidos serão de técnico e analista do Seguro Social. Remuneração chega a R$ 5.276.
O cargo de analista – remuneração inicial de R$ 5.276 – requer nível superior e o de técnico – R$ 2.976 – requer nível médio. O concurso deverá ser autorizado pelo Ministério do Planejamento em breve, pela grande necessidade de provimento de pessoal.
Algumas dessas inscrições poderão ser feitas diretamente no site que irá realizar o concurso. Portanto logo após que sair mais informações sobre o concurso, entre no site e procure se informar sobre as inscrições do INSS 2011.

Concurso Marinha 2011

As inscrições para o concurso da marinha 2011 já estão abertas. As inscrições vão até o dia 14/04/2011 com valor de R$20,00. Veja o edital do concurso marinha 2011 aqui.
Para realizar o concurso é preciso ter pelo menos o ensino fundamental completo. Durante o curso de fuzileira da marinha, cada soldado irá receber uma bolsa de R$550,00 reais e depois quando estiver formado fuzileiro da marinha passará a receber R$1.100,00 reais.
Apenas podem participar homens, e tem que ser com a idade entre 18 anos e 21 anos. Se você fizer 18 anos até o dia 31 de dezembro desse ano você está apto a participar. E as pessoas que fizeram 21 anos até o dia 31 de dezembro também estão aptos a participar. Os participantes terão de ter altura entre 1,54m e 2m.
Os aprovados no concurso da marinha 2011 serão matriculados na condição de recruta fuzileiro naval. O curso terá duração de cerca de 4 meses e será feito no Centro de Instrução Almirante Milcíades Portela Alves, localizado no Rio de Janeiro, ou em Brasília. Lembrando que o participante aprovado terá uma ajuda de R$550,00 com gastos pessoais.
As inscrições para o concurso da marinha 2011 devem ser feitas pelo site www.mar.mil.br/cgcfn de 14 de março a 14 de abril.
O exame de escolaridade será realizado às 10h do dia 31 de maio.

Concurso Correios 2011

A Fundação Universidade de Brasília (FUB) será a responsável pela realização do concurso público nacional dos Correios, que dará oportunidade de trabalho a milhares de profissionais do mercado. O nome da organizadora foi publicado no Diário Oficial da União nº. 49, desta segunda-feira (14), e o contrato será assinado nos próximos dias.

Serão oferecidas 9.190 vagas para diversos cargos, sendo 5.060 carteiros, 2.272 atendentes, 1.014 operadores de triagem e transbordo, 796 analistas de correios (correspondente a nível superior) e 48 profissionais de medicina e segurança do trabalho.

A escolha da organizadora está dentro do cronograma divulgado pelos Correios, que mantêm o compromisso de realizar o concurso no primeiro semestre deste ano, com previsão de aplicação das provas em maio de 2011.
 Devolução da taxa de inscrição
Os Correios conseguiram o direito de seguir com o concurso anterior, mas a empresa acabou decidindo revogar a seleção e devolver as taxas de inscrição. Ao todo, 1.064.209 pessoas se inscreveram para a seleção cancelada. É o concurso que teve mais candidatos no ano passado, superando inclusive o do IBGE, para 192 mil vagas de recenseador, que teve 1.051.582 inscrições.
Os candidatos inscritos no concurso cancelado em 2010, deverão comparecer até o dia 11 de abril de 2011, a uma agência dos Correios, exclusivamente no seu horário de funcionamento, para receber o dinheiro. Somente as agências próprias estarão habilitadas para fazer o ressarcimento. Os valores variam de R$ 30 a R$ 60, de acordo com o cargo.
 Os candidatos deverão:1) Comparecer à agência portando documento oficial de identidade com foto (o mesmo utilizado na inscrição) e o comprovante de inscrição, se possível;
2) Informar o número do CPF e o documento de identidade, para os casos dos candidatos que se inscreveram pela internet;
3) Apresentar cópia da procuração utilizada na inscrição, cópia do documento oficial de identidade do procurador e ainda o documento de identidade original do candidato, nos casos de inscrição por meio de procuração;
4) Assinar a via do documento que será emitida pelo sistema para confirmação da devolução da taxa de inscrição.
A taxa de inscrição não solicitada pelo candidato não será aceita em novo concurso realizado pela ECT, devendo o candidato atender a convocação para a restituição dos valores a ele devidos. Novos concursos exigirão pagamento de novas taxas.
Os Correios deverão publicar, brevemente, o edital com as informações sobre o novo concurso, como período de inscrição, valor da taxa, data da realização das provas e o conteúdo programático das disciplinas que serão objeto das provas.
Informações adicionais podem ser obtidas pela Central de Atendimento dos Correios, nos telefones 3003 0100 (para capitais e regiões metropolitanas) e 0800 725 7282 (para as demais localidades).  
Concursos públicos atraem milhões de  pessoas

Só neste ano, 80.000 novos cargos públicos serão disputados por quem busca bons salários, estabilidade e ascensão na carreira

No Carnaval, enquanto muitos aproveitaram para cair na folia ou descansar, a advogada Janaína Barreto optou por apostar no futuro. Acordou cedo todos os dias, abraçou suas apostilas e estudou por pelo menos oito horas. A jornada anticonfetes e antisserpentinas tem uma explicação. Neste domingo (13), ela disputará com 18.000 inscritos uma das 193 vagas para juiz substituto no Tribunal de Justiça de São Paulo. Ou seja, são 93 candidatos por vaga, quase o dobro do índice para o curso de medicina no vestibular da Fuvest. “É uma escolha de vida. Perco hoje para ganhar amanhã”, diz ela, que segue para seu oitavo concurso.

O “ganhar” significa exatamente 19.643 reais de salário inicial por mês. Janaína alimenta o sonho de tornar-se funcionária pública, assim como milhões de jovens de classe média recém-saídos das universidades e de profissionais que não se sentem atraídos pelas oportunidades (e riscos) do setor privado. No ano passado, 10 milhões de brasileiros (estima-se que, entre eles, 800.000 paulistas) inscreveram-se em concursos para preencher vagas em órgãos federais, estaduais e municipais — 40% a mais que em 2005, de acordo com a Associação Nacional de Proteção e Apoio aos Concursos (Anpac).
Apesar de o governo federal ter anunciado no mês passado a suspensão de todos os concursos programados para o Executivo em 2011, ainda haverá cerca de 80.000 postos em jogo neste ano para os poderes Legislativo e Judiciário, empresas de economia mista, como o Banco do Brasil, e estatais com orçamento próprio, caso dos Correios. Sem contar as vagas nas esferas municipal e estadual.
 “O bom emprego não está mais só na indústria, no mercado financeiro ou no comércio”, afirma Lia Salgado, autora do livro “Como Vencer a Maratona dos Concursos Públicos”. “Os governos voltaram a ser os maiores e melhores empregadores do país, com salários interessantes acompanhados de benefícios.”
Há postos que oferecem vale-babá, auxílio-moradia e bolsa de estudo para os filhos. As gratificações por tempo de serviço, por funções exercidas e outro imenso rol de possibilidades também podem multiplicar o salário inúmeras vezes. Um consultor legislativo do Senado, por exemplo, tem salário-base de 5.675 reais, mas chega a garantir remuneração de até 23.826 reais. Os atrativos da máquina pública são imensos. Para efeito de comparação, segundo levantamento do Grupo Catho, empresa de recrutamento para o setor privado, e do Ministério do Planejamento, um advogado no serviço público federal ganha a partir de 14.970 reais, quatro vezes o salário desembolsado pela iniciativa privada para esse profissional.
Assim como o treino dos corredores de provas de longa distância, a preparação para encarar os concursos requer planejamento. Em média, as pessoas levam dois anos até conquistar o governo como patrão. “Ninguém levanta da cama e diz que vai fazer uma maratona”, afirma o professor Carlos Alberto De Lucca, coordenador do curso Siga, um dos doze principais da cidade, com 4.000 matrículas anuais. Ao contrário dos vestibulares, programados para o início e o meio do ano, os concursos não obedecem a um calendário fixo. São cerca de três meses entre a publicação do edital — documento que apresenta o regulamento — e a data do exame. É pouco tempo para estudar o conteúdo de doze, quinze ou até dezoito disciplinas, quantidade que varia de acordo com o cargo desejado. “O candidato precisa se dedicar o ano inteiro para chegar ‘aquecido’ na hora de enfrentar os testes e as questões dissertativas”, afirma De Lucca.
O interesse no assunto é tamanho que existem no mercado paulista dois periódicos especializados no setor: o “Jornal dos Concursos” e a “Folha Dirigida”. Publicados semanalmente, com tiragens de 80.000 e 60.000 exemplares, respectivamente, eles trazem novidades sobre legislação, vagas abertas e editais de âmbito federal, estadual e municipal. “De dez anos para cá, a organização desta área se tornou mais profissional”, acredita o diretor de marketing do “Jornal dos Concursos”, José Ricardo de Oliveira. Outro termômetro que dá uma ideia de quanto esse mercado está aquecido: no mês passado, 42.000 pessoas estiveram no Palácio das Convenções do Anhembi, lotando aulas e palestras durante os três dias da 2ª Feira da Carreira Pública. Sim, Feira da Carreira Pública.
A dedicação aos estudos é essencial para o sucesso. O administrador de empresas Bruno Lekecinskas trocou a família, a namorada e os amigos por uma temporada de dez meses no Rio de Janeiro. Sem internet nem televisão, ele estudava dezoito horas por dia e só deixava sua quitinete, no bairro do Botafogo, para frequentar as aulas do cursinho preparatório. Em seu quinto mês de clausura, chegou a conquistar no ano passado o 14º lugar na disputa por uma vaga para analista de compras na seleção da São Paulo Turismo. Foi apenas um treino, pois seu objetivo, ainda não atingido, é se tornar analista do Tribunal Regional Federal, emprego que poderá lhe garantir renda mensal de 6.551 reais, além de benefícios.
Histórias de obstinação não faltam nas salas dos cursinhos. O deputado estadual Fernando Capez, que em 1988 passou em primeiro lugar no concurso para o Ministério Público de São Paulo, lembra da dele. “Meu método de estudo era simples e rígido: selecionei a bibliografia que precisava estudar, contei o total de páginas e dividi pelos dias que restavam até a prova”, diz. Capez lia oitenta páginas por dia, sem descanso. Detalhe: acompanhava o texto com uma régua, sem deixar de fazer um resumo ao lado de cada parágrafo. “O ideal é que o aluno leia pelo menos duas vezes o conteúdo”, afirma o procurador de Justiça licenciado, que na época ainda trabalhava em período integral no Tribunal de Justiça.
O serviço público é também uma alternativa para quem está desempregado, já atingiu os 40 anos e vê o mercado profissional se fechar cada vez mais. Se a opção é voltar ao batente o mais rápido possível, os concursos que exigem apenas formação em ensino médio são os mais indicados. Os exames pedem conhecimento de duas a cinco matérias e os salários variam de 2.500 a 4.500 reais.
Foi o que atraiu Cristina Koyama, de 41 anos, que se sentia com poucas chances de ser contratada por uma empresa privada depois de morar por vinte anos no Japão, de onde voltou há seis. “Quando for aprovada, vou fazer um pé de meia e deixar para a minha filha.” Nessa situação também estão candidatos com bons currículos e pós-graduação em universidades conceituadas. Formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, o engenheiro mecânico Rogério Mascarenhas, de 54 anos, foi funcionário de uma subsidiária da Petrobras em Santo André por dez anos. Casou-se e deixou a estatal para tocar os negócios da família. Afetado pela crise de 2009, resolveu reinvestir na carreira pública: o objetivo é ser fiscal tributário ou da Receita Federal. “Como não tenho tempo a perder, estudo com a mesma disciplina de um lutador de caratê”, conta.
Se para uns se trata de uma saída para se recolocar no mercado, para outros a inclinação nasce em casa. O promotor Francisco Cembranelli, famoso por sua atuação no caso Isabella Nardoni, acompanhou a trajetória do pai como delegado de polícia e depois na promotoria pública. “O exemplo do meu pai continua vivo. Penso nele quando estou atrás das provas nos processos em que atuo”, diz ele, casado há catorze anos com Daniela Cembranelli, filha do também servidor Paulo Sollberger, subprocurador-geral da República que morreu em 2000. “Concorri com 8.000 inscritos para oitenta vagas”, lembra.
A vida é mais dura para quem enfrentará a seletiva para o Instituto Rio Branco, a escola responsável pela formação dos diplomatas brasileiros, em Brasília. Para os testes que ocorrerão em abril, estão sendo oferecidas apenas 26 vagas. No ano passado foram 8.869 inscritos para 108 postos: ou seja, proporção de 82 para um. Essa acirrada disputa não aflige Camila Surian, estudante do último semestre de relações internacionais da Anhembi Morumbi, que na semana passada fazia sua inscrição no curso preparatório da Escola Superior Diplomática. “Sei que ainda estou dando os primeiros passos, mas é questão de tempo. Um dia vou chegar lá.” 
_________________________________________

Concurso da Defensoria Pública da União no Rio de Janeiro

A Defensoria Pública da União no Rio de Janeiro, publicou edital de processo seletivo destinado ao preenchimento de vagas. São oferecidas vagas no concurso da DPU no Rio de Janeiro para cargos de Estagiários de nível superior incompleto.
A bolsa remuneratória corresponde a R$ 520,00, para jornada de 30 horas semanais, ou a R$ 364,00 para jornada de 20 horas semanais, em ambos os casos acrescida de auxílio transporte.
Para efetuar a inscrição o candidato deverá levar 01 quilograma de alimento não perecível, que será doado a uma instituição de caridade.
Os requerimentos de inscrição deverão ser retirados ou entregues na Defensoria Pública da União no Rio de Janeiro com endereço na Rua da Alfândega, 70, Centro, Rio de Janeiro/RJ no horário de 8h30 às 16h30, de segunda à sexta-feira, até o dia 8 de abril de 2011. A aplicação da prova está prevista para o dia 17 de abril de 2011, com início às 10h e término às 13h, na sede da Defensoria Pública da União no Rio de Janeiro ou em outro local a ser divulgado no endereço eletrônico www.dpu.gov.br.
O candidato deverá confirmar o local de prova no endereço eletrônico www.dpu.gov.br a partir do dia 11 de abril de 2011.
O gabarito preliminar da Prova Objetiva deverá estar disponível a partir de 20 de abril de 2011, na sede da DPU/RJ e no endereço eletrônico www.dpu.gov.br.
O concurso da DPU no Rio de Janeiro terá validade até o próximo exame de admissão.


Profissão além do futebol

Oficina aborda o Jornalismo Esportivo

Os profissionais de comunicação e estudantes de Jornalismo que planejam seguir carreira cobrindo o dia-dia esportivo têm que ter em mente que essa editoria não se resume apenas aos resultados e escalações dos principais times de futebol. A cada dia aumenta a necessidade das redações em contar com colaboradores que entendam de diversas modalidades.
Com esse pensamento, de uma melhor qualificação e conhecimento técnico dos demais esportes, a Escola de Comunicação do Comunique-se realizará no dia 26/3 a oficina Jornalismo Esportivo. Comandado pelo editor-executivo do Gazeta Esportiva.net, Erick Castelhero, o curso será realizado na cidade de São Paulo.
A elaboração de pautas, a produção de uma grande reportagem e os diferentes tipos de abordagem serão temas apresentados durante o curso. A oficina Jornalismo Esportivo será sediada na Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo (Aceesp), entidade que tem Castelhero na vice-presidência.
Inscrições e mais informações sobre o curso Jornalismo Esportivo, na página da Escola de Comunicação do Comunique-se.